28 abril 2006

É já terça-feira…

… que a Camila vai começar a escolinha! Hoje a educadora ligou a dizer que a autorização da DRE já chegou. Vai ser um dia cheio de emoções (espero que boas)!

27 abril 2006

Mais descansada... ou assim, assim

Ontem liguei à pediatra como tínhamos combinado na consulta, para saber o que é que o colega especialista em gastro pediátrica lhe tinha dito. Pois o dito colega disse-lhe que, visto que a frequência dos vómitos era apenas de 1 vez por mês (muito baixa), que o mais certo é ser uma hipersensibilidade do centro do vómito, uma região do sistema nervoso central que controla o mecanismo do vómito. Uma refeição que cai menos bem pode levar a uma “confusão” desse centro do vómito e ele mandar o estômago deitar tudo cá para fora. O facto de acontecer de noite também é normal nestes casos. Seria preocupante caso ela tivesse ciclos de vomitar 3 ou 4 dias seguidos, depois melhorasse e depois voltasse a vomitar durante vários dias, coisa que nunca aconteceu com a Camila. A pediatra perguntou-me se já tinha voltado a acontecer desde a última vez, eu disse-lhe que não, mas que ainda está dentro do “prazo”, só faz um mês no domingo. Ficou combinado voltar a contactá-la caso houvesse alguma alteração neste sentido, do aumento da frequência dos vómitos.
Fiquei aliviada depois de a ouvir, espero mesmo que seja isto e nada mais, mesmo assim a pulguita atrás da orelha vai continuar alerta a todos os sinais.

E o “r” já cá canta!

Desde a semana passada que a Camila começou a dizer o “r”, penso que a primeira palavra completa que lhe ouvi foi “pintura”. Nas palavras que têm dois “r”, acaba por exagerar, o “arroz” sai com uns “r” muito carregados. Devo parecer obcecada com isto, mas não é, é que a evolução da fala é uma das coisas que mais me fascina no desenvolvimento das crianças. Agora ouço-a a conversar, saem frases perfeitinhas (nem sempre, claro) e eu fico babada a olhar para ela, parece tão crescida a falar!

E a máquina escolhida foi...

...a Sony Cyber-shot DSC-S600. Do que já experimentei, parece-me que satisfaz os requisitos, a foto dos anões já foi tirada por ela às 10 da noite, pelo menos o flash é potente. Mas não vou abandonar a minha máquina “velhota”, ainda gosto muito de mandar revelar um rolo e ver o resultado só no fim, sou assim, gosto de surpresas :).

26 abril 2006

Novos habitantes do meu jardim


Já tinha os cogumelos há algum tempo, na semana passada chegaram os anões, vindos directamente da Suiça. Mas desconfio que moram outros anões mágicos mais pequeninos dentro dos cogumelos, pelo menos é o que digo aos meninos que tentam levantá-los da relva ;). Posted by Picasa

Visita à escolinha

Na segunda-feira, aproveitei o facto de estar em casa para levar a Camila novamente à escolinha. Desta vez, o objectivo era ela aperceber-se de como é a escola com meninos, visto que na primeira visita eles não estavam presentes. Fomos depois do almoço, a educadora, a I., veio receber-nos à porta e, à primeira vista, pareceu-me simpática e calorosa com as crianças. Disse-me que a autorização da DRE (Direcção Regional de Educação) deverá chegar na semana que vem, assim que vier ela avisa e a Camila pode começar então a ir todos os dias.
Quando íamos no caminho, ela estava toda contente e já me perguntava se eu ia embora e se era o papá que a ia buscar. Eu disse-lhe que ficava lá com ela um bocadinho e depois vínhamos para casa. Quando chegámos à entrada, vi que ela estava receosa, começou a querer andar para trás, mas depois viu os meninos pela janela e a curiosidade foi mais forte. Não estavam todos os meninos, devido à ponte com o feirado, mas estavam bastantes, mais meninos do que meninas (são 20 no total, 15 meninos e 5 meninas, um pouco desproporcional!). Uns estavam a fazer pintura e colagem e outros a brincar com jogos. A Camila foi logo para a zona da casinha, entreter-se com os bonecos e carrinhos e biberões. Depois veio ver o que é que a I. estava fazer com os meninos, quis usar a tesoura mas ainda não consegue, foi coisa que nunca lhe passou pelas mãos em casa. A I. disse que daqui a uns tempos já estará bastante mais hábil.
Entretanto, vieram todos para a rua jogar à bola, a Camila veio espreitar mas depois preferiu voltar à casinha das bonecas, desconfio que vai querer reinar naquele canto.
O momento de maior interacção dela com os outros foi quando se sentaram todos à mesa para beber o pacote de leite escolar, foi o menino eleito “chefe do dia” que distribuiu os pacotes. Ela só bebeu metade, porque não está acostumada a beber leite à tarde e porque passou a maior parte do tempo a observar os outros, é uma cusquita, a minha filhota :). Às 15:30, viemos embora, ela estava contente e perguntava “amanhã venho outa vez, mamã?”. Eu fiquei feliz por vê-la tão entusiasmada, mas custa um bocadinho, percebê-la cada vez mais menina, cada vez menos bebé (suspiro!).

21 abril 2006

Eu vou!

Não, não é ao Rock in Rio! Vou é de fim-de-semana grande, tão bom! Bom fim-de-semana e um bom feriado, viva a Liberdade!

A Camila gosta...

… de ver a “Firibela”. Também gosta de ver os “Moangos com açúque” mas só vê quando está em casa da avó ou das primas, eu confesso, nunca vi um episódio dessa novela (devo ser caso raro). Ela não liga grande coisa à televisão, só aprecia a publicidade. Por isso fico intrigada, o que é que estes programas têm para conseguir captar a atenção de uma piolhita de 3 anos e deixá-la especada em frente ao écrãn?!

20 abril 2006

Indecisa

Ando para comprar uma máquina fotográfica digital. Não quero nada de hiper-sofisticado, uma máquina normal que tire fotos com qualidade, até 6 megapixels chega. Mas estou confusa com as marcas (Sony, Olympus, Canon), velocidades de obturação, lentes, etc, etc. Alguém me ajuda, o que é que sugerem?

Paixão

A cada dia que passa encontro-me mais apaixonada pela minha filhota. São os olhos dela, castanhos, grandes, nada de olho azul de bebé de anúncio, mas lindos e tão expressivos. Gosto especialmente quando eles reflectem todo o seu amor por mim. É o seu nariz, pequeno e abatatadito, parece um bombom, apetece trincar. É a boquinha linda dela, quase sempre aberta num grande sorriso, a mostrar os seus dentinhos pequeninos, perfeitinhos, a dizer as palavras que eu mais gosto de ouvir neste Mundo: “Mamã, gosto tanto de ti!”. As bochechas parecem pãezinhos de leite fresquinhos, dá vontade de comer com beijos. As mãos, já não são aquelas gordinhas de bebé, têm uns dedos finos e sabem fazer carinhos como ninguém. O corpo e as pernitas agora estão magritos, mas sempre a crescer, quase todos os dias há umas calças que deixam de servir. Os pés foram a primeira coisa que vi quando ela nasceu, fiquei “apanhadinha” por eles para sempre.
É uma paixão que me faz sentir muito bem, o abraço dela apaga todos os maus momentos do dia, alivia todas as tensões. Por outro lado, há sempre um grande receio, um medo enorme de a perder, que algo de mal lhe aconteça ou de, um dia, ver apenas a rejeição nos seus olhos. Queria saber fazer tudo bem na sua educação, para que não existam quaisquer traumas no futuro, para que ela se torne uma mulher segura e de bom carácter, alguém de bem com a vida. Não será muito fácil consegui-lo, mas quero que, pelo menos, ela tenha consciência que fiz tudo por isso. Quero que ela seja a minha menina querida, para sempre.

19 abril 2006

Hoje...

... estou com um enfado tão grande que nem me ocorre nada de jeito para escrever. Não gosto nada de ficar assim, com o cérebrozinho parado :S!

18 abril 2006

Ai, ai,...

... com este tempinho, estava-se tão bem a passear! É impressão minha ou toda a gente já fala em férias?! Oficialmente, as minhas são só em Setembro, ainda faltam horrores de tempo!!! Mas pode ser que se dê uma escapadinha lá para o fim do mês que vem, espero eu!

Afilhados

Tenho 6 afilhados, já estão a ver que para mim a Páscoa é quase como o Natal, no que diz respeito a compra de prendas :). A primeira vez que fui madrinha tinha eu 15 anos, a minha afilhada já foi baptizada grandita, hoje está já com quase 20 anos. Daí a uns meses, ganhei mais uma afilhada que hoje já tem 16 anos. A irmã desta tem 11 anos e desde pequenina que me chama madrinha, por ouvir a irmã, e então também entrou para o “grupo”. Com 18 anos, fui madrinha mais uma vez, de uma prima minha que mora na Suiça. Um ano antes de casar, fui madrinha do Crisma do meu marido. Há quase 2 anos, ganhei mais um afilhadinho, que é o filho da madrinha da Camila, fizemos uma troca! Compro sempre qualquer coisa para todos, até para o marido, porque acho importante manter este laço. Gosto muito de ser madrinha, independentemente do significado religioso, acho que é uma prova de confiança dos pais e tento levar o papel a sério, no sentido de ser amiga e de estar presente nos momentos importantes da vida das minhas meninas e do meu menino.

13 abril 2006

Já passou sem eu dar por ela ou ainda está para vir?

Sempre que leio algo sobre esta idade da Camila e depois de ter lido este texto, fico um pouco intrigada. A Camila nunca teve pesadelos nem nunca falou em monstros ou medos, dorme pacificamente toda a noite (excepto quando há vómitos, claro, mas isso é só uma vez por mês, felizmente!). Quando a vou ver, antes de me deitar, dorme profundamente e está normalmente virada para cima de braços abertos, toda "esparrameirada", parece-me tão em paz e segura! Uma vez ou outra, muito raramente, já a ouvimos soltar uma pequena choramingadela ou um gemido, vamos vê-la e ela está a dormir como se nada fosse. Nunca foi ter connosco à cama durante a noite e, mesmo quando acorda, chama-nos da cama mas nunca se levanta, espera que a vamos buscar, foi assim desde sempre, não foi nada imposto por nós.
Será que essa fase dos monstros e pesadelos ainda está para chegar? Todos passam por isso ou há excepções?

Desafio

Veio desta blogo-amiga:

Onde estava há 10 anos atrás:
Em Coimbra, a meio do meu curso de engenharia

Onde estava há 1 ano:
A trabalhar onde sempre trabalhei, desde que terminei o curso

5 petiscos:
Bacalhau com Natas
Lasanha à bolonhesa/de atum
Qualquer prato de polvo
Pão quentinho com manteiga
Doces, muitos doces!!!

5 músicas q sei de cor:
Uma ou duas dos Police/Sting
Quase todas dos 3 CD’s da Carochinha, chega?!

5 coisas que gosto de fazer:
Contemplar a maravilha que é a minha filha, seja acordada ou a dormir
Namorar (já o faço há 17 anos com o mesmo, acreditam?!)
Comer chocolate (viciada, mesmo!)
Tratar das minhas flores e do meu jardim
Bordar

5 coisas que faria se fosse milionária:
Cuidar exclusivamente dos meus hipotéticos 5 filhos, um ou dois dos quais seriam adoptados
Dava uma ajuda aos familiares que precisassem
Fazia as viagens que povoam os meus sonhos
Contratava uma massagista particular
Montava um grande orquidário

5 coisas que não voltaria a vestir/calçar:
Um kispo amarelo canário (ughh!)
Um conjunto vermelho de saia e camisola tricotado por mim
Umas botas verdes
Certas e determinadas mini-saias

5 brinquedos favoritos:
Os brinquedos da Camila, quando brincamos as duas
Computador
Máquina de filmar
Ferramentas de jardinagem

A quem passo este jogo:
A quem achar graça e quiser fazê-lo

11 abril 2006

E o primeiro bibe já está pronto!

Costurado pela avó e bordado pela mãe. Posted by Picasa

10 abril 2006

A Camila (aos 3 anos e um mês)

- Pesa 13,780 kg e mede 99 cm (medições feitas há uma semana). Com esta altura e este peso, está um autêntico palito, tem umas pernitas de canivete. Calça o 26 ou 27, dependendo do modelo, e veste roupa de 4 anos (embora as calças tenham que levar sempre suspensórios, não tem rabo nem barriga para as segurar). Já sabe vestir-se e calçar-se sozinha há uns meses, mas é preguiçosa, prefere fazê-lo com ajuda. Tem os dentes todos desde os dois anos e meio. Deixou as fraldas com 27 meses, de dia e de noite.
- Fala correctamente, apenas não consegue dizer ainda o “r”. Consegue manter uma conversação com um adulto com facilidade e fluidez.
- Está quase sempre a cantar, sabe de cor dezenas de cantigas, a maioria dos CD’s da Carochinha, mas neste momento, prefere cantarolar as melodias e acrescentar-lhes letras de sua autoria, em LINI (linguagem inventada não identificada, :) ). Outras vezes, emerge a Pálissete (a artista que há dentro dela!), a preferida ainda é o “My humps”, dos Black Eyed Peas, acompanhada de grande coreografia (eles é que não a conhecem, senão estava já contratada :D).
- Continua a ser muito fã do Noddy e de publicidade, são as coisas que a prendem ao écrãn. Inexplicavelmente, fica fascinada com os “Morangos com açúcar” quando os vê em casa das primas E. e B. (em casa, esse programa não “dá” na nossa televisão, mas um dia hei-de ver um episódio para tentar perceber a piada daquilo :S).
- Não tem ainda grande habilidade para o desenho, o que gosta de fazer agora são as “pintuias”, fazer bolas de muitas cores com aguarelas. Adora livros, não adormece sem uma história (as preferidas do momento são as que eu invento a partir do folheto que trouxemos do Oceanário, quer sempre as histórias dos peixinhos).
- O que lhe dá muito prazer: brincar com os papás na cama deles, depois de acordar; a companhia e brincadeiras do avô A., do padrinho S. e da namorada, a J., do priminho D., das primas E. e B., das primas da mãe B. e L., com as quais faz “O trio das 3 Malucas”; estar sentada à porta de casa dos bisavós, com eles a darem-lhe passas de uva e a descascarem-lhe pevides; andar com a avó a tratar da bicharada (porco, galinhas, coelhos, etc.); comer massa, muita massa, adora; receber miminhos dos papás, especialmente os abraços apertados a 3.

A minha filhota é tudo isto e muito, muito mais!

09 abril 2006

A brincar ao “xtóante”...

Na sala, ao pé da sua cozinha:
Ela- “Sou a sinhoia do xtóante. Quéies comê o quê?”
Eu- “Não é assim, tens que perguntar: O que é que a senhora quer comer?”
Ela- “Pode ser um ovo…”
Eu- “Não, pergunta-me a mim.” lol
Ela- “O ca sinhóia qué comê?”
Eu- “Pode ser um ovo estrelado com batata frita.”
Ela vai à sua cozinha e traz a “comida” na mão.
Eu-“Na mão?! Então este restaurante não tem pratos?!”
Ela- ”Não tenho, estão todos pa laváe.”
Eu- “Está bem… Quero beber uma Coca-Cola, faz favor.”
Ela- “Coca-cola já não há.”
Eu- “Então um copo de vinho.”
Ela- “Tamém já acabou-se.”
Eu- “Então o que é que tem para beber?!”
Ela- “Água, da toneia.”
Eu- lololol. “Agora, quero sobremesa.”
Ela- “Toma, é uma taça de salada de futa.” (servida numa “panela”)
Eu- “Não tem mais nada?! Arroz-doce? Pudim?”
Ela- “Auoz doce já não há, há pudim e há bolo de chocolate.”
Eu- “Então quero bolo de chocolate, se faz favor.”
Ela- “Quéies um cházinho?”
Eu- “Pode ser. E era a conta, se faz favor.”
Ela- “São xinco.”
Eu- “Cinco quê?”
Ela- “Xinco ninhéios”

(de toda esta conversa, duas conclusões: a minha filha não tem grande jeito para o negócio e eu só sei pedir “porcarias” para comer :D )

06 abril 2006

O "zinásio"

Quando ela me vê a preparar a mochila à hora do almoço, começa logo: “Ixo é o quê, é a oupa do zinásio? Eu quéio ie ao zinásio contigo! Quando é que eu vou ao zinásio mais tu? Eu goxto de ie ao zinásio!”. Ela nem sabe o que é um ginásio mas acho que gostou da palavra e então repete-a à exaustão. Se ela soubesse o sacrifício que é, às vezes, ir ao “zinásio” :S. Ai “beleza”, a quanto obrigas! :)

Mais sossegada

Ontem liguei à pediatra para lhe dizer umas coisas que me lembrei que não lhe tinha dito nas consultas e que poderiam, ou não, ter alguma importância. E ela considerou interessante uma delas: o pai da Camila lembra-se de várias ocasiões, ainda era miúdo pequeno, em que acordava a vomitar e do mau sabor que tinha na boca, lembra-se de acontecer de noite, mas não se lembra se era só de noite. Lembra-se de os médicos dizerem que eram crises de fígado e depois tudo passou com a idade. Infelizmente, a minha sogra já não está entre nós, ela, com certeza, teria muito mais informação guardada na memória. A pediatra então disse-me que isto poderia também ser uma característica herdada, como alguns miúdos que põem o pezinho de lado a andar, como o pai ou como a mãe, ou outra coisa qualquer do género. E que se passou com a idade, óptimo. De qualquer forma, ela vai falar com o colega especialista em Gastro e lá para o dia 20 ligo-lhe, a pedir informações.
Mesmo não esquecendo as outras hipóteses, o facto de ela considerar esta hipótese viável trouxe mais sossego ao meu coração.

05 abril 2006

Obrigada

Muito obrigada a todas pelos comentários de apoio. Estou um pouco receosa perante as hipóteses que a pediatra me apresentou, mas tento não entrar em pânico nem fazer muitos “filmes” na minha cabeça. Não há nada de concreto ainda e ela está muito bem, mais reguila e arrebitada que nunca. É claro que não vou descansar enquanto não souber se ela tem realmente algum problema e qual é, não vou enfiar a cabeça na areia e deixar andar, mas não quero que isso domine a minha vida, como aconteceu neste últimos dois dias. Por isso, xô, nuvens, embora para longe, porque o meu sol, a minha Camila, continua a brilhar, mais do que nunca!

Post sem sentido, só com sentimento

Queria apenas passar o todo o meu tempo contigo, sentir o teu cheiro na curva do teu pescoço e enchê-la de beijos, deliciar-me ao ouvir-te rir com as cócegas que isso te faz. Os momentos em que me sinto mais realizada na vida é quando me pegas na cara com as tuas mãos e me dizes “gosto tanto de ti!”. Queria ser capaz de proteger-te de tudo o que é mau neste Mundo, não só das doenças, que é o meu receio do momento, mas também da maldade humana, dos monstros que são capazes de se aproveitar da inocência de uma criança, da violência. Queria poder guardar-te na minha barriga de novo sempre que fosse preciso, para te defender de todas estas coisas. Não é possível, mas era o que eu queria.
Quero que cresças muito, linda, saudável, segura de ti. Quero ver-te mulher e sentir que fiz um bom trabalho ao educar-te. Quero estar sempre do teu lado e que continues sempre a dizer-me “gosto tanto de ti!”. Quero ser capaz de ultrapassar todas as dificuldades para que tudo isto seja possível.

04 abril 2006

Não se fez luz, adensaram-se as nuvens

Voltei à pediatra que tinha consultado em Novembro, recapitulei a história desde o início e acrescentei os novos episódios. Falei dos tipos de leite que já experimentei e pus a minha dúvida se seria mesmo do leite. Ela disse que podíamos estar a focar-nos no caminho errado, estas crises de vómitos cíclicos poderão estar relacionadas com outras coisas, como, por exemplo, doenças metabólicas. Depois, auscultou-a demoradamente, consultou os apontamentos da consulta anterior e vi o seu ar intrigado. Perguntei-lhe se tinha encontrado algo de diferente, lembrando-me do que o médico de família detectou há cerca de um mês. Ela respondeu-me que a Camila tinha um sopro que não tinha na consulta anterior e que é vulgar aparecerem por volta dos 3 anos. Contei-lhe então que o médico de família já tinha mandado fazer um electrocardiograma e que estava tudo normal, ela chamou-o então de “sopro inocente”, porque não têm mal nenhum. Colocou-me várias questões, se ela falava bem, se era calminha, se ficava pálida quando tinha as crises, se era mesmo só de noite que ela vomitava. Esse foi o facto que a deixou mais intrigada e apreensiva, disse que não gosta dessas coisas quando só ocorrem de noite, tipo vómitos ou dores de cabeça. No final da nossa conversa, confessou que, tendo já visto muitos casos relacionados com intolerâncias alimentares e problemas de metabolismo, ainda não tinha conseguido identificar um caminho a seguir no sentido de descobrir o que se trata. Disse-me então que iria falar com um colega especialista em Gastroenterologia Pediátrica para ver se ele lhe dava alguma pista, para retirar este ou aquele alimento da dieta, por exemplo. Uma outra hipótese que ela pôs foi de ser algo relacionado com uma irregularidade pontual do batimento cardíaco, que pode provocar vómitos. Disse-me para, na próxima crise, tentar medir a pulsação e ver se está muito acelerada. Combinámos falar depois da Páscoa.Ela está tão bem, está bem desenvolvida a todos os níveis, só tem esses vómitos chatos de vez em quando. Não sei o que pensar, só sei que sinto medo misturado com incredulidade. Porque olho para ela a cantar no seu “Camilês” a plenos pulmões, a rir, a saltar, a espalhar a alegria e a inocência dos seus 3 anos, enfim, a encher o meu coração de felicidade e não consigo acreditar que ela tenha qualquer doença. Será possível?!

03 abril 2006

Consulta

Hoje, ao fim do dia, vamos à pediatra por causa do problema dos vómitos. Espero que se faça alguma luz sobre o assunto.

Dilema dos dias da semana terminados em feira

Devo desejar que passem mais depressa para que o fim-de-semana chegue rápido? Mas, com essa ansiedade presente todos os dias, não estarei a fazer com que o tempo, no global, me escape por entre os dedos e, daqui a “pouco”, a minha filha já é uma teenager? Os fins-de-semana são óptimos, estou todo o tempo com a minha menina, brincamos no jardim, vamos passear, etc., mas são dois pequeninos dias que passam num ápice. Vem a terrível segunda-feira e começo logo a projectar o que é que se vai fazer no próximo fim-de-semana. Não devia fazer isto, tenho que começar a aproveitar mais os dias-feira, tenho que começar a gostar deles! (difícil, hoje está complicado!!!)

Além de orquídeas,...

...gosto muito de tulipas brancas. Esta é do meu jardim.
 Posted by Picasa

A minha última aquisição

 Posted by Picasa