28 julho 2006

Apercebi-me agora,...

... numa pequena ronda pelos blogs, que quase toda a gente vai de férias hoje! Se esta semana já foi tão paradita, nas próximas semanas a blogosfera vai estar às moscas.
Pensem em quem ainda tem que andar por aqui a desejar férias até Setembro e, de vez em quando, postem alguma coisa, vá lá!

(querem lá saber, né? querem é férias e fazem muito bem, aproveitem ao máximo!)

Refeições= Tragédia grega

Ultimamente, a hora das refeições da Camila tem sido tudo menos pacífica. Come duas ou três colheradas pela mão dela, depois começa com a preguiça, larga o talher, olha para um lado, olha para o outro, conversa, conversa, faz tudo menos comer. É claro que entretanto a comida fica fria, o que dá ainda menos vontade de comer. Eu e o pai passamos o tempo a repetir "Come, Camila!", ameaçamos não lhe dar sobremesa (não é correcto negociar com comida, eu sei, mas é o desespero) até ficarmos passados e sair berro. Ela começa a pedir para lhe dar à boca, eu digo-lhe que ela tem mãozinhas para comer sozinha e ela já chegou a responder-me "Não tenho nada mãozinhas!", a escondê-las debaixo da mesa. Ou então começa a mexer nos pés, porque lhe caiu o chinelo ou porque está quase a cair, e eu a ralhar-lhe porque é porcaria mexer nos pés quando se está à mesa. Põe-me doida!
O quarto de hora que estive com ela agora na hora de almoço em casa da avó foi dentro do género, o que me irrita mais porque é tão pouco tempo e mesmo assim teve que ser passado em stress! Ainda por cima, ouço a avó a ameaçar: "não comes o arroz, ponho-te aí legumes!". O quê?! Então ando eu em casa a convencer a moça que os legumes são bons, que ela está "gande e cumpida" porque passou a comer feijão-verde e cenoura e a avó chamar os legumes de bicho-papão? Tentou justificar-se:"É que ela disse que queria só o arroz branco, sem molho...". Pois, mas não se pode fazer entender que os legumes são maus, ai a minha vidinha!
Ela tem destas fases em que come pior e eu não costumo preocupar-me muito se ela tiver uma refeição que coma mal, agora quando são todas assim e eu só lhe vejo costelas e joelhos salientes, não consigo evitar pressioná-la para comer.

27 julho 2006

Os avós e os bisas...

... gostaram muito das canecas!:)

Adoro...

... quando ela diz “Está bem, mamã!” e “Boa noite, mamã!”. Não é só pelo sentido, é mesmo pela maneira como ela articula as palavras, com toda a clareza, não diz “tá bem”, diz mesmo “Está bem”, como uma pessoa grande.
E o “boa noite”, huumm, é a coisa mais doce de se ouvir! Deito-a, lemos uma história sempre, seguindo-se uma sessão de mimos e beijinhos. Depois ela gosta de dizer o “Anjinho da Guarda”:
“Anjinho da Guáda,
Minha cumpanhia,
Gudei minh’alma,
Di noite e di dia!
E da minha mamã e do meu papá!”

Antes de sair do quarto dela, digo-lhe: “Boa noite, amor!” e ela responde “Boa noite, mamã!” com uma voz baixinha, já ensonada. E eu fico com o coração cheio. Tão bom!
Desde que criei este blog, apanhei uma nova mania, ou melhor, reforcei uma mania que já tinha. Passei a observar mais atentamente as mulheres que vejo com bebés, para ver se reconheço alguém dos blogs que visito, já vos aconteceu isso? Antes, já gostava de olhar para qualquer bebé ou criança com quem me cruzasse, mas, há uns tempos, numa ida a um centro comercial da capital, surpreendi-me a pensar: “Será que esta tem um blog? Será que já vi estas caras em fotos?” Não sei se teria coragem de abordar alguém que reconhecesse, provavelmente não. Por isso esta mania irrita-me um bocado, para que é que eu ando a perder tempo a ver se reconheço alguém, se depois não iria falar com a pessoa, caso reconhecesse?!
Enfim, manias...

Serão de ontem:

3 horas a passar a ferro!!! Blaargh

26 julho 2006

Dia dos Avós

Hoje é o Dia dos Avós, dia de Santa Ana e São Joaquim, pais de Maria, avós de Jesus. Felizmente, ainda não é um dia comercial, vale pelo seu siginificado que, para mim e principalmente para a Camila, é muito. Os avós e os bisavós são um grande pilar da vida dela e desejo muito que o sejam por muitos e longos anos.
Para lembrar o dia, fizemos as duas (ela ajudou na parte dos desenhos), um pequeno mimo para lhes oferecer:

para os avós maternos,


para os bisavós


e para o avô paterno.

 Posted by Picasa

25 julho 2006

Ontem fui ver isto:


Dá para rir muito, dá para sobressaltar (mas eu sou assustadiça de natureza, não se fiem muito nesta minha opinião) e dá para ficar encantada com o Capitão Jack Sparrow ;) Posted by Picasa

24 julho 2006

Pressa de crescer

Toda a gente lhe diz que ela está grande. E é verdade, parece que deu um pulo nestes últimos tempos, é só pernas. Como não aumentou de peso, está uma magricela-pernitas-de-alicate. Andar com ela ao colo já parece um bocado ridículo e desajeitado, por ela ser tão grande, mas ainda sabe tão bem embalá-la como quando ela era bebé! Como está sempre a ouvir que está grande, ela própria anda sempre repetir: “Eu já sou gande, mamã, já tou muito cumpida! Já posso ir pá escola pimáia!” Pois é, a rapariga está cheia de pressa para ir para a escola primária, apesar de ter lá ido apenas uma vez no final do ano lectivo. Já lhe expliquei que primeiro tem que fazer os 4, os 5 e os 6 anos e depois é que vai para a primária, mas ela volta sempre à mesma conversa.
Às vezes, digo-lhe para não ter pressa de ser grande, que é tão bom ser pequenino, e ela olha para mim com um ar de espanto e explica-me, mais uma vez, como se eu fosse muito burra:”Mas eu já sou gande, já tou cumpida!”.
Ok, filha, o relógio já anda depressa demais e tu ainda o aceleras!

21 julho 2006

Estou com a sensação...

... que boa parte da blogosfera está de férias, certo?

20 julho 2006

Menina do Papá

Da minha experiência, a relação do pai com a filha é muito especial, desde o dia do nascimento da Camila. Ela dá-se lindamente comigo, mas talvez o pai terá mais paciência, não sei, é uma paixão um pelo outro. Ele diz que não se importa se, um dia, vier outra menina, dá-se lindamente com esta.
Ela não me pode ver abraçada ao pai, começa a meter-se entre as nossas pernas, a rir-se e dar umas “rosnadelas”, empurrando-me subtilmente para o lado. Quando era mais pequenina e via-nos abraçados, vinha a correr com os bracitos esticados e dizia: “Ei, falta aí a Bibia, falta a Bibia!”. Agora não é ela que falta, sou eu que estou a mais, eheheh.
Eles adoram-se e isso faz-me muito feliz, porque ele merece todo o mimo que a filha lhe dá. É claro que às vezes não consigo deixar de sentir um ciuminho, do bom (se é que isso existe), quando, por exemplo, ele entra em casa e o primeiro sorriso, beijinho e conversa vai para a sua menina, só se dando conta que eu existo quando lhe chamo a atenção (não aconteceu muitas vezes, mas já aconteceu, não negues, senhor F.!)
Tenho lá em casa uma menina do papá. E um papá da menina, pois claro. :)

19 julho 2006

Para quem apreciar...

... orquídeas e quiser contemplar obras-primas da natureza como estas.




é só visitar este sítio. Posted by Picasa

Ontem,...

... demos um grande passeio até aqui:

Foi muito giro, pena foi que apanhámos alguma chuvita mas depois passou. A Camila gostou de ver as princesas e os cavaleiros. Aconselho a visita! Posted by Picasa

18 julho 2006

Estou triste, buáaaa!!!

Quando fui operada, no ano passado, passei dos 66 para os 60 kg, à custa de muita fominha, foi o único lado positivo da coisa. Com 1,66 m, considerei que estava bem assim e que ía fazer tudo para manter o peso que consegui à custa de tanto sacrifício. Consegui mantê-lo até ao Natal, aí foi a desgraça, passei para os 62. Em Fevereiro, recomeço o ginásio, que tinha interrompido desde a primeira cirurgia. E não é que já vou nos 65?! Mas será possível?! Pode ser um bocadinho muito inho mais de massa muscular, mas também é de banha, as calças não enganam. Eu tenho algum cuidado com o que como, cometo uma extravagância de vez em quando, é certo, mas agora até parece que o ar me engorda! Estou passada, estou triste, estou gôda!
shuiff, shuiff :((

17 julho 2006

Mais uma...

No sábado à noite, as cigarras cantavam a todo o gás.
Eu:"- Estás a ouvir este barulho? São as cigarras."
Ela:"- As cigarras fazem este barulho puquê?"
Eu:"- Estão a conversar."
Ela, muito depressa:"- Com quem, com as fumigas?"

(ela já conhece, e bem, a fábula da Cigarra e da Formiga, lida dezenas de vezes à hora de deitar)

Curtas do fim-de-semana

Domingo. Passou a tarde em casa da avó, com o padrinho e a J., namorada dele. Depois, saíram os 3 para lanchar. Chegou a casa já passava das 8 da noite e ainda assim, não queria ficar em casa, queria ir novamente para casa da avó ou das primas, qualquer lado onde lhe cheirasse a brincadeira. Fiquei toda a tarde sozinha porque o pai foi trabalhar. Á noite, estávamos novamente deitadas na rede e queixei-me, a fazer de amuada:
“- Hoje não me ligaste nenhuma!”
Ela:”-Tens que compá-me um tufone!”
Eu: “- Hã?! Um telefone para quê?”
Ela:”- Puque assim eu vou passear com a J. e o padinho e dipois já ligo-te e tu ligas a mim! Pode sê... um tufóne vêde, tá bem?”
Eu:- Sem palavras e a rir à gargalhada!
Sábado à noite. Para fugir ao forno que é a minha casa por estes dias, estávamos as duas deitadas na cama de rede que temos na varanda, olhando o céu estrelado. Entretanto, ligámos o avião e fomos a subir, a subir até a uma estrela, para ver se lá também estava calor.
Eu:”-Vamos a qual, àquela mais brilhante?”
Ela:”-Não, essa dos bilhantes não, vamos à outa pecanita lá ao lado. Vrummm! Já chigámos! Está mais fesquinho aqui, mamã?”
Eu:”-Está, está. Já estou com um bocadito de frio.”
Ela:”- Atão, vamos a outa! Vruummm!....”

etc., etc., etc..
Sábado, manhã na praia. Foi à água com o pai no nosso gelado Atlântico (ai, Mar das Caraíbas, que saudades!...)
Comentário da Camila, ao chegar ao pé de mim:
“- Este mar também é salgoso, é! Ó póva a minha língua!”, esticando a língua em direcção à minha boca.
Lol

14 julho 2006

Nota 20

No final da escolinha, na semana passada, a educadora disse que, durante esta semana, comunicaria a avaliação dos meninos aos pais. No caso da Camila, visto que ela só andou lá 2 meses, não havia grande coisa a avaliar, por isso disse ao meu marido que não havia necessidade de lá ir. Disse-lhe também que ela estava desenvolvida, muito desenrascada para a idade dela, que ainda não leva as actividades muito a sério, mas que é próprio da idade. E disse o mais importante de tudo, para mim:
“Vê-se que é uma menina feliz!”
Amei esta avaliação :)

13 julho 2006

Com este calor,...

... não consigo escrever nada de jeito, estou com o cérebro a sublimar!

12 julho 2006

Como fazer uma menina feliz com poucos €€

Foi o mais recente mimo da avó que, por força de trabalhar numa superfície comercial, está mais ou menos viciada em comprar mimos para a neta quase todos os dias. E a neta gosta, pois claro! Os chinelos são a paixão do momento, ficou super contente quando os viu e estava ansiosa que eu chegasse e os aprovasse, para que se pudesse tirar a "medida" (é o que ela chama às etiquetas) e calçá-los. Acho que, por ela, até dormia com eles!
"São igais aos teus, mamã!"
"Os meus chinelos fazem baúlho a andar"
"Quando o teu pé ficar pecanito, eu empesto-te os meus chinelos, tá bem?"
:D Posted by Picasa

11 julho 2006

E ontem a Camila completou 40 meses!

4 anos

Faz hoje 4 anos que ouvi pelo telemóvel, enfiada numa casa-de-banho da empresa: “É positivo!”. Nunca vou esquecer o turbilhão de sentimentos que me invadiu nesse momento, muita alegria mas também muito medo, uma ansiedade enorme pelo desenrolar da história que se iniciava nesse instante.
Íamos em 2 meses de tentativas. Na noite de 10 para 11, pensei que me passava para o outro lado, com tanta dor que tive, umas dores tipo menstruais mas muito fortes, nunca me senti tão perto do desmaio como nessa ocasião. Tomei um Nimed e, sobre a manhã, as dores acalmaram mas fiquei sempre com uma moínha. De manhã, fui ao médico de família que me passa a credencial para um teste de gravidez, não sei antes me “ralhar” por ter tomado o Nimed, havendo a possibilidade de estar grávida, o que me deixou cheia de remorsos. Levei a urina ao laboratório e liguei à tarde para saber o feliz resultado.
Como continuava com dores, procurei a minha ginecologista que me mandou ir ter com ela no dia seguinte ao hospital, pois estava de serviço. Lá fiz novo teste que confirmou o primeiro positivo e ela fez-me uma eco, em que se via um saquinho muito pequenino, sem se conseguir ver nada lá dentro. Era uma gravidez muito, muito recente, e ela pediu que voltasse lá daí a 2 dias, para ver se já se via alguma coisa e despistar a hipótese de ter um “ovo branco” (saco embrionário sem embrião). Uma possível justificação que ela deu para as dores seria o processo de nidificação, quando o óvulo já fecundado se fixa na parede do útero, e que normalmente é um processo que não causa dor e a mulher não dá por nada, mas também acontecem casos de se sentir dor.
Voltei ao hospital mais duas ou três vezes até conseguirmos ver um feijãozinho pequenino, que ela datou com 5 semanas e 2 dias. Fiquei muda de emoção. Estava tudo bem com o meu bebé pequenino! Vi o seu coraçãozito a pulsar daí a 3 semanas, outro momento que não vou esquecer.
Faz hoje 4 anos que se concretizou um sonho e que se iniciou a maior história de amor da minha vida.

07 julho 2006

Post a puxar para o lamechas (às vezes, também calha)

Há muita coisa da Camila que eu gostava de guardar para sempre na minha memória. Quando começo a tentar lembrar-me dela em bebé, já se torna difícil recordar certas coisas, pequenos detalhes que eu tentei absorver mas que a memória confunde ou não guardou (imagino que a quem tem mais do que um filho, isto aconteça ainda mais facilmente :) ).
Lembro-me das gargalhadas que ela, recém-nascida, dava enquanto sonhava, as crises de soluços que nos mantinham acordados até acabarem, a descoberta do primeiro dente a raspar na colher, lembro-me especialmente da carinha dela a dormir, o ar relaxado e completamente entregue ao sono, os lábios entreabertos, que ainda hoje vejo sempre antes de me ir deitar. Guardei o momento do primeiro beijinho na minha face. Lembro-me do primeiro dia sem fraldas. Já não me lembro da primeira palavra, a recordação dos primeiros passos também está um pouco difusa. Não sei de cor o peso e altura dela com um ano ou dois, nem me lembro quando é que ela começou a virar-se sozinha ou a manter-se sentada.
O que eu quero mesmo, mesmo guardar é o ar de adoração dela quando me olha, as declarações de amor escritas nas suas pupilas e que me fazem sentir a pessoa mais felizarda do mundo. Ela está a crescer a grande velocidade (ainda anteontem comentava com o pai que, no próximo Mundial, ela já vai estar na escola primária!) e vão haver, provavelmente, momentos de conflito entre nós (a adolescência é um fantasma terrível para mim :S), mas desejo muito que ela continue a ser capaz de contemplar-me com esse olhar de vez em quando.

06 julho 2006

Isso queria eu!

Hoje de manhã, dizia-lhe que amanhã acaba a escolinha.
E ela:"-E dipois já não escola puquê?"
Eu:"-Porque são férias, para os meninos, para a I. (educadora) e a X.(auxiliar)."
Ela:"- E eu também?! Também tenho féias? E vamos outa vez pa Punta Cana, mamã?"

Era bom, era! (suspiro)

05 julho 2006

Não desfazendo dos nossos,...

que alguns são bem jeitosos, não acham que os jogadores da selecção italiana são assim... como dizer... qualquer coisa de especial? Eu acho. E vai ser giro vê-los jogar com os nossos no domingo, espero! Mas se por acaso hoje não correr bem, espero que os nossos rapazes não se ponham a chorar no campo, têm muito com que se orgulhar e sorrir.
Vai um croissant?

Estou doida com isto!!!

Estive aqui um bom tempo a mexer no template do blog, a ver se conseguia personalizar a barra lateral, no Preview aparece tudo certinho como eu queria, os links divididos com títulos diferentes, etc. Salvo as alterações, faço o Republish, o template mantém-se com as alterações que fiz e não é que esta gaita aparece TUDO COMO ESTAVA ANTES??? Tanto tempo perdido, estou furiosa e sem perceber!
Alguém consegues explicar-me o que fiz mal, como se eu fosse uma ganda naba destas coisas (que sou mesmo)?

(tive mesmo que voltar ao template original porque nem este post nem o seguinte apareciam, embora aparecessem no Preview, isso é que não entendo! ai, que eu tou feita com isto!)

Adenda: Afinal, está-me a parecer que o Blogger está com a "paradinha", fiz um teste que correu bem mas agora já não consigo corrigir, dá erros a fazer o Republish, grrr! Amanhã tento de novo.

04 julho 2006

3,3,3,3

Achei piada quando reparei. Segundo a barrinha, hoje a Camila tem:

3 anos
3 meses
3 semanas e
3 dias Posted by Picasa

Mais uma obra de arte (plástica e musical)

"O baquinho ligeiro andava,
ligeirinho andava no máar!
Veio a onda, balouça o baquinho
e o baquinho faz chape no máar!" Posted by Picasa

03 julho 2006

A febre F já cá canta

A toda a hora, temos isto, repetido muitas vezes:

“Não tenho nada mas tenho cáse tudo,
Sou rica em sonhos e póbe, póbe em ôio
Mas não mimpóta, óbésse ter dinheio,
Não compo amigos, estelas, amô bedadeioooooo”

(já não posso com a música mas acho-lhe um piadão porque ela canta com uma convicção que só visto, acompanhado de coreografia e tudo. Ah, e não me perguntem o que é "óbésse", é como ela diz mesmo :D)

De volta está também...

... a prima B., que contribuiu um pouquinho para o nascimento deste blog, pois foi a forma que encontrei para que ela pudesse acompanhar melhor, do outro lado do Atlântico, as aventuras e traquinices da Camila, que ela adora. Finalmente voltou, para de novo completar o trio das "Três Malucas", composto pela Camila e as primas B. e L., sendo que estas duas são minhas primas direitas, têm 25 e 24 anos mas ficam com a mesma idade mental da Camila quando se juntam as três!

De volta

A auditoria correu bem, acho que os auditores até eram fraquinhos, mas esta coisa das certificações, a meu ver, é tudo um jogo um pouco viciado.
O fim-de-semana lá passou a correr, o sábado foi aquele stress ao fim da tarde (grande Ricardo!) e chega-se a domingo à noite num instantinho. A Camila voltou hoje à escolinha, faltou na sexta-feira porque estava muito constipada e com um pouco de febre, mas já passou, agora anda só ranhosita. Ontem teve um dia de brincadeira com o amigo M. e o primo D., mas isto de brincar com machos deixa as suas marcas, mais especificamente umas arranhadelas e nódoas negras nas pernas :). Não é que os miúdos sejam violentos, as brincadeiras é que são mais fortes e enérgicas do que o que ela está acostumada. Ela é bem menina, gosta de brincar com os seus tachinhos e às mães e bebés, embora também goste muito de andar aos chutos à bola. Pedalar é que ainda não consegue, tem andado a pedir uma “beciqueleta” mas ela nem no triciclo consegue pedalar, quanto mais numa bicla! Há-de aprender, espero.