30 dezembro 2007

Com 2007 a terminar,...

... fui reler o que escrevi há um ano, por esta altura. Aconteceu tudo o que eu esperava então em 2007, mesmo a morte do meu avô, embora não tenha escrito no post. Apesar dessa grande perda, não posso deixar de dar nota positiva a este ano que acaba amanhã, essencialmente devido ao nascimento da piolhita que tenho agora aqui no colo e que mal me deixa teclar! É o ano do meu bebé e vai ser sempre bom na minha memória, assim como é o ano de 2003. Descobri que o coração é um músculo muito elástico, em que cabe sempre mais e mais amor, graças à chegada da Mafaldinha. Só por isso, já podia dizer que 2007 foi muito bom.
Para 2008, só desejo mesmo saúde para as minhas filhas, para mim e para o pai, para podermos tomar conta delas, e para todos os que me são próximos, a minha família continua a ser um grande pilar da estrutura da minha vida.
Para quem nos acompanha, há muito ou pouco tempo, que 2008 traga a concretização de todos os desejos que conduzam à vossa felicidade. São os meus votos e os votos das donas destes olhitos!

28 dezembro 2007

Ultimamente, a Camila tem vindo a ter umas crises de ciúmes, especialmente em relação à bisavó e ao avô A.. Em relação a mim e ao pai, não notamos nada, até ver, mas com a bisavó e o avô ela não se contém e está sempre a tentar que não falem nem brinquem com a mana, mas sim com ela. Penso que são as duas pessoas em quem ela sentiu maiores diferenças no tratamento, porque, às vezes, a sensibilidade não é muita e, quando chegam a minha casa, lançam-se a brincar com a Mafalda e a Camila ressente-se com isso, já acusou a bisa:"Tu não falas comigo, só falas com a mana!". Eu tento não hipervalorizar o assunto, falo com ela e explico-lhe que a mana também precisa que brinquem e falem com ela. Do outro lado, vou dando uns toques à minha avóe ao meu pai, eu sei que, neste momento, para eles, a Mafalda até pode estar numa fase mais atraente do que a Camila, só que esta precisa de mais atenção agora. Eles tentam fazê-lo mas continuo a notar que a Camila sente que recebe a atenção em "segunda mão", como eu digo.
Isto é tudo muito natural que aconteça, já o previa e o "anormal" seria ela não sentir nenhuma trepidação no seu "mundinho" com a chegada da irmã, mas custa-me tanto ver a dor transformar a cor dos seus olhinhos de chocolate de leite em chocolate negro e fico mal, sofro com ela.

O Natal...

... foi muito bom! A casa cheia de gente, muita comida e convívio e muitas prendas para as meninas, prendas de mais! É uma overdose de papel de embrulho, laços coloridos, caixas para abrir, arames para desatar, até que as mãos chegam ao brinquedo mas os olhos já estão postos no seguinte e tudo recomeça. A Camila ficou eufórica com a visita de um Pai Natal muito raquítico lá a casa, com alguma veia para a comédia porque pôs toda a gente a chorar a rir, valeu-lhe o facto da afilhada estar tão excitada que nem ligou às gaffes e às barbas a cair.
As prendas com mais sucesso foram dois estojos de maquilhagem, que serviram para andar a pintar as unhas de toda a gente (o meu pai queixava-se ontem que ainda tinha as unhas cheias de brilhantes!) e para espalhar brilhantes por toda a casa, desde a sala à casa-de-banho, e um conjunto de varinha, coroa e chinelas de salto alto com pom-pom de princesa, que ela faz questão de usar todo o tempo que está em casa e eu já nem posso ouvir o tac-tac-tac dos tacões, não sei quem terá tido ideia tão pouco feliz... ups, fui eu, é verdade!
A Mafalda aguentou-se acordada até à vinda do Pai Natal, ajudou a abrir alguns dos seus presentes mas não ligou muito, evidentemente. Gostou do carrinho que os avós deram e de um bonequinho que fica com a cabeça iluminada quando se aperta.
A festa prolongou-se até ao jantar do dia 25 e assim passou mais um Natal, especial por ser o primeiro da Mafaldinha.

26 dezembro 2007

8 anos


De aliança no dedo, de caminho feito lado a lado, de sonhos e da concretização de alguns (especialmente dois "sonhos" que são a coisa mai linda do mundo!), a desejar que os próximos 80 anos sejam, pelo menos, iguais a estes!

23 dezembro 2007

A todos quantos nos visitam e respectivas famílias, desejamos um...


... Feliz Natal!
Felizmente, a coisa não avançou, depois de uma noite bem dormida e de uns Ben-urons, a febre e as dores no corpo passaram, às vezes acho que são sinais que o meu corpo dá para me avisar que está cansado.

Estes dias em casa têm estado a render bem, ele foi arrumações, ele foi pinturas na casa, ele foi compras, e as duas pimpolhas para tratar. A pintura do quarto da Mafalda está acabada:


É simples, tem uma parede com 3 verdes e depois uns ursinhos espalhados pelas outras paredes. O corredor também ficou de cara lavada, a seguir é o meu quarto.

Aos serões, acabei o vestido que andava a tricotar para a Mafaldinha estrear na noite de Natal:


Fiz tudo excepto a flor, que foi a avó que fez. Até ficou engraçado,parece uma boneca com ele vestido!
Agora, vou começar a preparar a sala para a ceia de Natal, vai ser uma festa!

19 dezembro 2007

Dói-me o corpo todo e só penso em cama... parece-me que estou a chocar qualquer coisa que não vem nada a calhar, amanhã fico de férias por uma semana e tenho tanto que fazer em casa! :((

18 dezembro 2007

No ano passado,...

..., por esta altura, quando embrulhava os presentes de Natal num serão, comentei com o F. que tinha a sensação que era o último presente de Natal que estava a embrulhar para o meu avô. A doença ainda não se tinha manifestado no seu pior, isso aconteceu daí a um mês, mas já o via mais fraco, mais parado, mais desistente da vida e isso trouxe-me a sensação de que ele não estaria entre nós neste Natal. Ele próprio devia senti-lo pois dizia sempre que não iria ao casamento do meu irmão e não foi, faleceu 6 dias antes.

Nesta ceia de Natal, sentiremos a sua ausência. Mas como a Natureza é sábia e a lei da Vida sempre se cumpre, teremos a Mafaldinha com a sua primeira presença (fora da barriga da mamã) na consoada, o que ajuda a amaciar a saudade.

16 dezembro 2007

A Mafalda descobriu, definitivamente, que estar acordada é bem mais interessante do que estar a dormir. O pior é quando ela aplica essa descoberta assim de madrugada, 5, 6 da manhã! Esvoaça, esvoaça, esvoaça, a bater as "asas", "canta" com voz grossa, ponho a chupeta e fica quietinha aí... 5 segundos e recomeça tudo outra vez. Esta noite só adormeceu de vez quando a pus de lado quase de barriga para baixo, de maneira a não conseguir ficar de barriga para cima, isto ao fim de mais de uma hora de cantoria, as últimas noites têm sido assim! :S Mas os dias não correm melhor, dorme sestas de meia hora, pouco mais, e para adormecer, tenho que a deixar chorar um bocado sozinha, porque não adormece a mamar, nem com abanos, palmadinhas no rabo, nem ao colo, nada. Deito-a, aconchego-a, viro costas e já ela está toda destapada, deixo-a cantar um bocado até que começa a desesperar-se e lá vou dar-lhe a chupeta, a ver se pega. Raramente pega à primeira, tem que voltar a chorar mais um bocadinho e lá vai mais uma tentativa, ontem passei a tarde nisto, já estava doida!
Não me lembro da Camila passar por isto, com esta idade ela já dormia a noitinha toda à muito tempo, a Mafaldinha não está a ser amiga dos papás, que andam com umas olheiras até ao chão!
A Camila teve direito a uma surpresa, na tarde de ontem: foi com o pai, o primo D. e o padrinho N. ver o espectáculo do Noddy! Não sabia de nada nem queria sair com o pai depois do almoço, queria ir ajudar o avô a fazer canalizações (sim, isso mesmo, canalizações, andou com ele na sexta-feira e achou divertidíssimo!), mas lá a convencemos a ir, sem lhe dizer ao que ía. E assim passou uma bela tarde que se prolongou para o serão, já que teve o primo D. a jantar cá em casa e a brincadeira foi mais que muita!

13 dezembro 2007

Ontem a Mafalda teve a consulta dos 6 meses. Pesa 6,540 kg (mantém o Percentil 25, é mesmo pinguinha!), mede 65 cm de comprimento (subiu para o P50) e 43,5 cm de perímetro encefálico (P75!). Coloquei várias questões à pediatra, entre as quais esta dimensão da cabeça. Ela disse que não é nada de preocupante, a Mafalda tem o que se chama uma dolicocefalia, um termo relacionado com a forma da sua cabeça. Uma das suturas dos ossos do crânio colou primeiro do que as outras e, por isso, a cabeça cresce mais para a frente e para trás do que para os lados, ela tem a cabeça estreita quando se olha de frente mas, quando se olha de lado, tem-a larga, faz um melãozito mas nada de exagerado esteticamente.
Olhos e ouvidos tudo ok, a anca também está bem, não há necessidade de repetir a ecografia. Na auscultação, detectou-lhe um soprozito no coração, que ela chamou de sopro inocente. Para eu não me preocupar, em princípio, será algo que ainda não fechou mas que pode fechar a qualquer momento. Se fosse mesmo complicação cardíaca, ela teria o fígado dilatado e atraso no crescimento, o que não se verifica, é uma coisa a ir vigiando nas próximas consultas.
Quanto a alimentação, perguntei-lhe se deveria de deixar de dar mama a seguir à sopa (faço-o porque ela come mal e tenho medo que fique com fome) e ela disse que sim, para ela deixar de estar sempre à espera da mama, para deixar um pouco de leite para dar mais tarde, se ela eventualmente mostrasse ter fome. Depois levou 3 vacinas e chorou tanto, coitadinha da minha bebé! :S
No geral, está bem, já desenvolveu os reflexos de protecção (esticar os braços para se proteger quando vai a cair), é muito activa (rasgou tudo quanto era papel de resguardo nas marquesas onde se deitou:) ) e está bem desenvolvida.

11 dezembro 2007

Ai a minha vidinha!

Esta manhã, o stress do costume quando o pai vai trabalhar mais cedo e eu tenho que despachar as duas piolhas e moi même, especialmente porque a Dona Camila demora uma eternidade a fazer seja o que for e eu fico doida com isso. Depois da guerra para tomar o pequeno-almoço, mandei-a vestir-se enquanto eu arranjava a Mafalda. Claro que ela começa logo "Mas eu não consigo vestir isto sozinha" e tal, mas hoje berrei-lhe: "Veste a camisola, as calças e as meias já e sem mais conversa!".
Ela: "Eu não visto as meias!"
Eu: "O quê?!", já a fumegar.
Ela:"As meias não se vestem, calçam-se!"

E com esta me calou, estou ou não estou feita com a cachopa?!

10 dezembro 2007

6 meses

Meio ano passou desde aquele feriado de 10 de Junho tão especial!:) Já vamos a meio do primeiro ano de vida, o ano de todas as descobertas. O que ela gosta agora é de estar de pé aos saltos, brincar com as cortinas da avó quando está de pé ao colo de alguém no sofá, ver as luzes de Natal da nossa varanda quando está de pé ao colo de alguém no sofá, enfim, o que interessa é estar de pé! Segura-se alguns segundos sentada mas começa logo a levantar o rabo para que a ponham... de pé, claro!
Começa a demonstrar os seus afectos, é lindo vê-la encostar a cara à cara da irmã com um ar tão amoroso ou acariciar (às vezes, um pouco à bruta ainda!) a minha face com um sorriso que me ilumina. O sorriso dela... ninguém lhe resiste, derrete qualquer má disposição. Para os mais próximos, dá-o sem restrições, para os que vê menos vezes, avalia primeiro e depois então solta aquele sorriso desdentado mais lindo!

"Tosse" e guincha muito para chamar a atenção, já se aguenta uma boa meia hora no parque a brincar e adora música, começa logo a dançar. Está carequinha e parece que vai mesmo ficar com os olhos cinzentos.

Continua a não ir à bola com a colher, a mama marcha muito melhor! Não sei se não gosta dos sabores ou da colher, o certo é que já lá vão duas semanas que começámos os sólidos e a evolução não é muita, a colher é sempre empurrada à força para dentro da boca e é logo tudo cuspido cá para fora, dar-lhe papa ou sopa é um jogo de paciência :S.
É bem verdade a teoria de que a mamãs tentam sempre "abebezar" mais o segundo filho, eu confirmo, mas não há como negar as evidências, ela está a crescer, a minha flor mais linda! :)

09 dezembro 2007

Andava eu, feliz e contente na minha vidinha, a caminho dos 4 anos quando, um dia, o meu pai, com ar apalermado (não me lembro se estava, mas devia estar, ficam todos assim nessas ocasiões!) me diz: "A mamã tem lá um mano, no hospital!". Reza a história (sempre que a minha avó conta isto, eu digo que não me lembro, mas, na verdade, tenho alguns flashes na memória, coisa pouca...) que fiz grandes birras com o choque da notícia porque, para mim, era ponto assente que quem vinha lá era uma mana chamada Sandra ou Sandrina (acho que a escolha tinha a ver com uma miúda com quem eu brincava muito na altura). Agora um irmão?! Nã, nã, ni, nã, nã, não era nada disso que estava combinado, protesto!


Não me valeu de nada protestar e lá aceitei dar-lhe guarida (se repararem bem, nota-se o amarelado do meu sorriso na foto, abstraiam-se do brilho de não-imagino-o-que-possa-ser nos olhos!).
Que dizer da convivência desde aí?... É o meu parceiro de crescimento, com tudo de mau (zangas, lutas, etc) e de bom (zangas, lutas, etc.) que isso envolve, e que fica para a vida toda :). É o tio "mai lindo" das minhas filhas, como ele se auto-denomina (pois pudera, também não têm mais nenhum!), o padrinho da minha primeira filha. E faz hoje 29 anos. Parabéns, puto!

08 dezembro 2007

Já lavamos os "dentes"! :)


Hoje foi a festinha da escola de dança da Camila. Ela só dançou uma coreografia mas deve ter sido a menina com mais público dedicado, pais, avós, padrinhos, tios e primos, tudo foi aplaudir a minha estrelinha! E que linda estrela ela estava, o figurino era rosa em cima, ganga em baixo, umas caneleiras cor-de-rosa que tricotei esta semana, o cabelo apanhado num rabo de cavalo e sombra nos olhos, que foi a parte que ela mais gostou, agora anda doida por maquilhagem!
Era a mais pequenina de todas e, por isso, ainda tinha mais graça. Para mim, não teve enganos e trocas de pés, as outras é que estavam todas trocadas! :))


É incrível como uns poucos minutinhos a olhar para um palco onde saltitava a minha filha me encheram o coração de orgulho, puseram a lágrima no canto do olho e rios de baba a escorrer! :D

07 dezembro 2007

Dilema:

O que fazer no serão de hoje?

- passar a ferro
- embrulhar presentes
- tricotar as mangas do vestido da Mafaldinha, com as pernas embrulhadas numa manta no meu sofá, assim no quentinho, hum, tão bom!...

A escolha está difícil, as opções são igualmente (not!) atraentes! :D

"Querido Pai Natal,...

... este ano não queria que me desses nada, queria que me tirasses... aí uns 10 cm de cintura, pode ser? ;)"


(continuo sem perceber porque é que uns vêem a foto toda e outros, como eu, só vêem uma tirinha, não sei o que faça, é que nem andei a inventar no template nem nada!)

(agora tirei a foto :S)

06 dezembro 2007

E ela a dar-lhe!

Há mais alguém que veja a foto das miúdas e o título (além da mãe da malta)? É que eu não vejo nem no computador de casa nem no da empresa, que raio se passa?!
Depois de três noites seguida a dormir a noite inteira sem acordar para mamar, esta noite a sô dona Mafaldinha resolveu que não lhe apetecia dormir das 03h30 às 05h30! Acordou com fomeca, acho que por não ter jantado papa (não jantámos em casa e não me apeteceu ir carregada com as tralhas, a mama é mais prática!), mas não voltou a adormecer depois de mamar, ao contrário do que é costume. Vai daí, toca de cantar, esbracejar, cuspir a chupeta, enfim, o que vale é que não chora, menos mau. De vez em quando, tem uma noite destas e, assim, não estou a ver quando é que a vou mudar para o quarto dela, é que não me apetece passar as noites a levantar-me a toda a hora. Mudei a Camila quando ela tinha 7 meses, mas ela já dormia a noite interinha muito tempo antes. Esta pinguinha está a dar-me mais que fazer, pois está. Se calhar, é porque sabe que o quarto dela ainda não está totalmente decorado, quase 6 meses depois dela ter nascido (que vergonha, mãe!)!

Natal

Dos Natais que já vivi, tenho óptimas memórias (excepto de um, há 19 anos atrás, em que faleceu um priminho meu de 2 anos, mesmo no dia 24). Lembro-me apenas dos Natais passados em Portugal (nasci e vivi em França até aos 6 anos), dos anteriores não me lembro. Passávamos o Natal em casa dos avós, alternando um ano nos maternos, outro nos paternos. Mas quando era nos maternos, acabávamos sempre por ir ainda a casa dos paternos porque lá era mais animado (o meu pai tem 7 irmãos e a minha mãe só tem um), muitos tios e tias, primos e primas, às vezes vinham os do estrangeiro, era uma casa cheia de gente e de alegria. A dada altura, aparecia o Pai Natal, vestido com uma colcha vermelha da minha avó e com algodão colado às barbas, e estranhamente parecido com algum dos meus tios ;). Nessa altura, eu já não acreditava no Pai Natal, aliás, não me lembro se alguma vez acreditei nem me lembro de quando deixei de acreditar (por isso apoio totalmente que se promova essa fantasia nas crianças, não traz traumas nenhuns, eu acho), mas delirava com alegria dos meus primos mais pequenos, uns eufóricos, outros fugiam a chorar para as mães com medo das barbas, uma algazarra, mas uma algazarra das boas!
Fico triste ao pensar que as minhas filhas já não viver isto, já não há famílias assim com muitas crianças, mas faço um esforço para lhes dar uma amostra. Este ano, vou fazer o Natal em minha casa, por ser o primeiro da Mafalda, já não faço desde o primeiro da Camila. Em princípio, já somos 27 à mesa na noite de Natal! Alguém me perguntava se isto não me causa transtorno e eu respondi que não, mas pensei: "até causa, mas é um transtorno dos bons, que me faz sentir bem!". Quero que as minhas filhas sintam que a família não é só o pai, a mãe e os avós, há alguns tios e primos com que mantemos laços mais estreitos e que eu não quero deixar alargar, porque fazem parte das minhas vivências e porque quero que façam parte das delas também. Acho que este vai ser um bom Natal! :)

05 dezembro 2007

Olha,...

... o blog passou-se! Não me aparece a foto das cachopas nem o "títalo", ora esta agora!:S

Nojento, mas com uma certa piada!:)

Numa manhã da semana passada, quando estava mais doente e expelia rios de ranhoca (continua, mas menos), a Camila deu uns dois ou três espirros seguidos e ficou com um grande ranho pendurado. Eu e a avó: "Ei, que nojo e tal, anda limpar, olha para isso quase a chegar à boca!". Resposta dela: "Ah, mas, desta vez, não engoli!" :O

(não tive coragem de perguntar mais nada, blarghhh!)

04 dezembro 2007

Estamos a chegar ao fim de mais um ano, a Mafalda faz seis meses na segunda-feira, eu faço 33 anos daqui a dois meses... inevitavelmente, ocorre-me no pensamento que o tempo está mesmo a passar a correr, cada vez mais depressa, à medida que envelheço. Ainda "ontem", as férias da escola no Verão duravam eternidades, assim como as tardes em que a minha mãe me obrigava a deitar para dormir e eu não conseguia e ficava horas intermináveis (pareciam-me a mim) na cama acordada. E nunca mais era Natal, e nunca mais fazia anos, tudo demorava tanto tempo a acontecer. :)
Envelheço... ainda me é difícil acreditar que envelheço, que a idade avança, porque, na minha cabeça, são mais as vezes que me sinto com 16 anos do que 32. Quando olho para o meu marido, ainda o vejo com os seus 14 anos, como o conheci, só me apercebo das nossas mudanças nas fotos. Isto é bom? Mente jovem e tal, penso que sim, espero mantê-la fresca e actualizada até, pelo menos, chegar à adolescência das cachopas ;). Às vezes, penso mais para a frente e tenho receio de não aprender a envelhecer, de não conseguir aceitar as mudanças da vida, não já mas daqui a 15, 20 anos, quando as filhas sairem de casa, debaixo da asa, quando eu tiver mesmo que arranjar outros objectivos na vida para além delas. Vejo casos, pessoas da geração dos meus pais, que estão a passar mal essa fase, eu não quero que assim.
Aqui está um exemplo do material para posts que anda aqui na minha cabeça, isto é, nada de jeito, o que justifica que, ultimamente, sejam em menor quantidade :).

02 dezembro 2007

Hoje também foi dia...

... da 1ª sopa. Decidi experimentar um cremezinho de batata, cenoura e cebola e posso dizer que engoliu melhor a sopa do que engole a papa, não manda tanto cá para fora, embora se mantenha a resistência à entrada da colher na boca :S. Ao jantar, a papa até não correu muito mal, o problema é quando a apanho cheia de sono, aí é que corre pior. Mas com calma, vamos lá!

Este ano, a árvore de Natal...

... escapou à regra de ser feita no dia 1, foi só no dia 2, mas teve direito a decoração nova, vermelho e dourado. Valeu-me a ajuda da minha duende maior, que andava delirante com as decorações e as luzes na rua e em casa não tinha nada!