30 abril 2008

Ah,...

... na 5ª feira rompeu o 2º dente de cima, empataram com os de baixo. Agora temos Mafaldinha que se diverte a ranger os dentinhos, não sei como é que ela consegue, que impressão, arghhhh!

A Camila foi passear...

... com a escolinha, é só até "ali" à cidade, à "Bilboteca", de autocarro, só com um cintinho mal apertado na cintura...
Não me liguem nenhuma, fáchavor, que eu hoje estou mesmo com uma telha daquelas!
Quando ando pessimista, não me apetece muito escrever aqui, este é o cantinho das coisas bonitas das minhas filhas. Felizmente, sou uma pessoa optimista por natureza, procuro sempre ver o lado positivo de todas as coisas que passam pela minha vida. Mas, nestes últimos dias, não consigo ver nada de positivo nas notícias que se ouvem e fico mal. São os alimentos que podem via a subir 40 %, assim como o vestuário. É o gasóleo que hoje subiu mais 3 cêntimos, como é que pode?! É este tempo louco, em que dias de Verão alternam, como se nada fosse, com dias de Inverno, mostrando que o clima está realmente a mudar e o aquecimento global não é só uma história da carochinha, como muita gente pensa ainda. E, quando pensava que já se tinha visto tudo sobre a preversão da mente humana, ouço a história de um monstro austríaco, de 7 filhos-netos e da sua cave de horrores.
Nestes dias, só penso: "Mas para que Mundo trouxe eu as minhas filhas?!". E penso, com tristeza, que talvez seja melhor não trazer mais nenhum. Porque a história do "tudo se cria!" não é bem assim, acho que se deve ter filhos com um mínimo de condições para lhes proporcionar os cuidados que necessitam, a nível de saúde e educação. E não falo de roupas de marca e coisas do género, isso não é uma necessidade básica, falo de comida, roupa que passa dos mais velhos para os mais novos, ensino público, poder pagar uma natação a uma, um ballet a outra (porque, infelizmente, só há a pagar, por aqui). Neste momento, acho que tenho condições económicas para ter um outro filho, mas com a evolução do custo de vida que se prevê e que começa, aos poucos, a sentir-se bem no nosso bolso, tenho as minhas dúvidas sobre se essas condições se manterão no futuro, enquanto eu tiver filhos ao meu encargo.
Eu sei que não posso andar sempre a pensar nisto e tal, mas penso porque é a realidade, o mundo onde vivemos. Não quero estragar o dia a ninguém, mas isto está mau...

26 abril 2008

Há um ano, por estes dias...


...passeava eu o meu barrigão pelas areias do Algarve.
Hoje passeio uma piolhita a tiracolo que mal me deixa teclar este post :))!

22 abril 2008

E aos quase 10 meses e meio...

... os baby-grows de 6/9 meses estão finalmente a ficar justitos, a pedirem para serem postos de lado. Nasceu pinguinha e pinguinha continua! :))

21 abril 2008

Há cada vez mais momentos de brincadeira entre as duas, deliciosos de se verem. A pequena incita a grande a fazer palhaçadas com o seu sorriso nº 35, de gengivola à mostra, e a grande não se faz rogada. Salta à frente dela, a cantarolar e a pequena abana-se toda, a tentar acompanhar os saltos. A grande quer a pequena sempre ao pé dela, no sofá a ver televisão, ao deitar quer que a ponha na sua cama para lhe dar uns miminhos, aos quais a pequena retribui com umas valentes palmadas na cara, puxões de cabelo e nariz e dedos enfiados nos olhos. A grande ri como uma perdida com estes ataques e não faz nada para se defender. É amorosa, a minha grande! Às tantas, a pequena pára com os seus "mimos", olha a grande fixamente e encosta a boquinha aberta à sua cara, dando-lhe um beijinho dos seus. Um doce, a minha pequena!

E eu... assisto a tudo isto, acreditando que não preciso de mais nada para ser feliz.

19 abril 2008

A aula de natação de ontem correu bem melhor. Antes de começar, sugeri ao professor que experimentasse mudá-la de posição na fila. Ela estava sempre em último lugar, para que ele pudesse mandar fazer os outros e depois ajudá-la a ela, só que, nessa posição, ficava sempre junto à outra metade do tanque e com imenso tempo para olhar para a aula do lado, enquanto os colegas faziam os exercícios, até chegar a vez dela.
O professor aceitou a minha sugestão, mudou-a para segundo lugar e notou-se a diferança no desempenho da Camila. Ela própria disse, quando vínhamos para casa, que "gosto mais daquele sítio, porque assim já não fico a olhar para a outra aula, mamã!". Elogiei-a bastante e disse para aprender a nadar bem para poder ensinar-me quando formos de férias para o hotel, ficou toda contente, a achar-se importante.
A minha menina é um amor e a maior parte das vezes em que nos aborrecemos uma com a outra, a culpa é minha por ter pouca paciência, ser tão exigente e esquecer-me de que ela é só uma menina de 5 anos, o que provoca que ela própria fique irritável e mais rezingona. Tenho que esforçar-me mais para evitar as situações de tensão e controlar-me melhor, sem deixar de ser firme quando for necessário, vamos todos ganhar com isso aqui em casa!

17 abril 2008

3º dentinho já cá canta!

Primeiro incisivo superior direito já rompeu.

Por duas vezes,...

... já aconteceu a Mafalda pedir mama, de forma explícita. Há uns dias, quando cheguei a casa da minha mãe, peguei-a logo ao colo, como sempre faço. Ela abre o meu casaco, fica tipo hipnotizada a olhar para o peito e encosta a boquita à camisola de lã, fartei-me de rir. Ontem à noite, já perto da hora de deitar, veio do colo do pai para o meu, começou a mexer nos botões do casaco do meu pijama. O pai comentou que ela estava a brincar com os botões mas eu vi logo o que ela queria. Abri um botão e, assim que viu pele, agitou-se toda, depois ficou quieta a olhar outra vez como hipnotizada e encosta a boca ao meu peito, tão gira!
Para já, vou manter a amamentação, mas decidi comprar leite para ela tomar um biberão a meio da manhã, porque, geralmente, ela mama menos bem de manhã, está desperta e quer é brincadeira. À noite, mama bem e tem-se aguentado toda a noite a dormir, nos últimos tempos. Quem fica com ela, o pai ou a avó, dá-lhe, a meio da manhã, uns cereais líquidos ou um iogurte, mas penso que lhe fará melhor beber um pouco mais de leite. Mantemos, para já, os nossos momentos de miminho. :)

16 abril 2008

Posso a exigir a uma menina de 5 anos que deixe de viver na Lua? Posso?!

Não sei se posso... o Mundo da Lua é tão mais giro do que este! Mas, infelizmente, é neste que vivemos, será que devo fazer com que a Camila comece a entender isto desde já? Às vezes, fico na dúvida se a pressiono de mais ou não... Mas ela é tão distraída, pasma a olhar para tudo e para todos e, por isso, não faz o que deve (menina de 5 anos tem deveres?!) e falha-me a paciência. Na semana passada, a auxiliar da escolinha comentou que ela é a última a começar o lanche, pasma a olhar para todos os meninos a comer e esquece-se de começar a lanchar.
As idas à piscina são o cúmulo. Ela anda na piscina desde os 18 meses, este ano é o primeiro em que anda sozinha, sem um dos pais a acompanhar. Está num grupo em que são todos maiores do que ela, mas, a nível de habilidade, estão mais ou menos na mesma, embora a Camila tem mais dificuldades por ser mais pequena e ter medo, ainda não se habituou muito bem a andar sozinha na água. Têm aula num tanque de aprendizagem que está dividido em duas partes, há sempre duas aulas em simultâneo. Pois a D. Camila passa o tempo todo a olhar, pasmada, para a aula do lado, não ouve nada do que o professor diz quando está a explicar o que é para fazer. Ele atira-lhe água para lhe chamar a atenção, ela olha-o, ri-se e volta a pasmar para o lado (ainda ontem sugeri ao professor pô-la na aula do lado para ela prestar atenção à aula do grupo dela :D)! Claro que, quando chega a vez dela fazer os exercícios, não sabe o que é para fazer ou sabe porque vê o colega antes dela a fazer, mesmo que mal feito, está a tirar muito pouco proveito das aulas. Depois, no balneário, outro desatino, olha para toda a gente, a ver o que estão a fazer, completamente distraída, e eu tenho que repetir duzentas vezes:"levanta a perna, enfia o braço, vira-te para mim", etc, etc., fico doida! Ontem conversei com ela e disse-lhe que, se continua assim, sem tomar atenção à aula, deixa de ir porque os pais não andam para andar a gastar o dinheiro só para ela chapinhar e olhar para o lado, é para aprender alguma coisa. Pensei para mim: será que este tipo de conversa está a fazer algum sentido para ela?! Tenho dúvidas, vamos ver como corre na próxima aula...

14 abril 2008

Estou em dúvida sobre manter ou não a amamentação. Ela mama de manhã e ao deitar, mas, se jantar mal, o meu leite não lhe chega. Ainda ontem aconteceu, não jantámos em casa e ela comeu pouco com a distração da companhia. Estava cheia de sono à hora de deitar, mamou o que havia disponível e, uma hora depois de adormecer, estava a chorar com fome. Eu já não tinha leite e acabou por beber um pacote inteiro (250 ml) de cereais líquidos, que tenho de reserva para estas situações. Quando janta bem, mama e, na maior parte dos dias, dorme a noite toda, às vezes acorda por volta das 5 ou 6 da manhã com fome.
Neste momento, não sei se a mama anda a alimentá-la ou se é só um momento de miminho e aconchego para ambas. Na consulta dos 9 meses, questionei a pediatra sobre a pouca quantidade de leite que ela bebe e ela responde que, para ela, mais valia ela beber 90 ml do meu leite do que um biberão de 240 de leite de lata. Sobre amamentar depois de ela ter um ano, disse para o fazer enquanto ambas quisermos, gostei da opinião. Por outro lado, desde que fiz o tratamento da pneumonia com 2 caixas de antibiótico, a minha amiga Suzette (a Cerazette) deve ter-se passado da cabeça e ando com o meu corpo um bocado descontrolado, acho que vou ter que me livrar dela.
Estou confusa, quero amamentar, mal não lhe faz, mas não sei se continua a ser um benefício...

11 abril 2008

Acordei às 6 da manhã com a mão direita dormente, não dormi mais nada porque comecei a ter uma comichão horrível nos dedos e ainda estou na mesma, um formigueiro muito incomodativo sem sinal de querer estar a desaparecer! Não estou a gostar, isto poderá ser sinal de quê?!

(Já são quase 22:00 e ainda "formiga" um bocado. Juntando isto ao facto de, ultimamente, ter acordado vários dias com ambas as mãos dormentes, mas que passou logo, e ao historial de problemas de coluna dos meus pais, parece-me que estou a começar a gozar de uma "herança" antecipada :S)

10 abril 2008

Dia 10, 10 meses

Cada vez mais linda e mais traquina. Acho que vai ter muitos "desgostos" ao longo da vida, de tão teimosa que é, quer mexer em tudo o que não deve e não desiste até lhe dar um "Não!" mais alto, muito a sério. Mesmo assim, daí a uns minutos, é capaz de voltar ao ataque, é tramada a miúda, vai-me dar o que fazer! Com a Camila, nunca tirei nada do sítio, protegi as tomadas mas sem grande necessidade, nunca teve tendência para ir lá meter os dedos. No outro dia, ía com a Mafalda a "andar" no corredor e ela quis logo dirigir-se para a tomada mais próxima, já com os deditos esticados para cuscar o que era aquilo. Cheira-me que vai ser muito menos pacífica do que a irmã, eventualmente tornar-se uma menina daquelas que fazem birras no supermercado, coisa que a irmã nunca fez (aliás, nunca fez uma birra!) e que eu não gosto nada (quem gosta, não é?!). É essencial ser firme com ela desde o início, porque ela agora já começa a entender bem o que é um "Não". É claro que a acho reguila comparando com a irmã, porque a irmã sempre foi uma "paz d'alma", mas comparando com outros bebés, ela até é sossegadita, desde que esteja ao colo, está tudo bem, até adormece no meio de uma festa cheia de barulho.
É uma reguila, mas uma reguila adorável, querida, pequenina, com um sorriso que nos desarma. Adoro a alegria que lhe ilumina a cara quando me vê a chegar a casa, os dois dentinhos a aparecer naquela boquinha que dá uns beijinhos tão doces, quando quer, claro! Os incisivos de cima estão quase a romper, parecem ser enormes, tal o inchaço que ela tem na gengiva. Não rebola nem se senta, de sentada já passa a gatas mas não se aguenta muito tempo nem gosta da posição, reclama logo. O que ela quer mesmo é estar de pé, basta ter um pequeno apoio e levanta-se logo quando está sentada, mas ainda é muito descoordenada a mexer os pés, por isso acho que ela não se vai mexer por si tão depressa. Mas também não importa, não estamos em nenhum concurso. :))
Pensar que faltam só dois meses para o primeiro aniversário! Estes 10 meses voaram, ainda anteontem comentava isso com o F.. Tivemos o tempo muito mais ocupado, claro, com tanta coisa que foi sempre ficando por fazer, mas com tanta alegria, tanto amor partilhado entre os 4! A Camila trouxe o extâse de um primeiro filho, a Mafalda fez-nos descobrir a maravilha que é a multiplicação do amor!

09 abril 2008

Cláudia_Peixinha, perdi-te, reencontrei-te mas estás privatizada. Deixas-me o teu mail?

"Ora digam lá...


... se eu não fico gira com os meus óculos novos? Assim, já consigo abrir os meus olhitos quando vou à rua em dias de sol, dantes escondia a cara no colo da mamã, tal era o incómodo que a luz me fazia. A mamã esqueceu-se foi de comprar um bocadito mais de nariz, para eu ter onde apoiar as lunetas! :))"

08 abril 2008

O que vimos no Porto:

- A Rua de Santa Catarina, com lojas e mais lojas, uma representação medieval, o Majestic, o Relógio de Carrilhão no prédio do C&A/Fnac...
- A Avenida dos Aliados e o lanche numa esplanada...
- A Torre dos Clérigos e a subida e descida de 197 degraus, com a Mafalda no marsúpio pendurado no pai e eu com a Camila pendurada na mão...
- As Caves Ferreira e a prova de vinhos, mesmo antes do almoço de domingo, com o estômago quase vazio, o que deu ainda mais cor e alegria ao dia :))...
- O almoço da Ribeira...
- Uma ida ao Parque da Cidade, na mira de ir mostrar o Pavilhão da Água aos pequenos, que não estavam cá há 10 anos para o ver na Expo98, mas que está fechado ao domingo (falhanço na programação do passeio, não ter verificado previamente os horários). Ficámo-nos por um passeio pelo Parque, o tempo convidava, a nós e a quase toda a gente da zona...

Fomos com os duplamente compadres, a madrinha da Camila, que tem o D., meu afilhado. Os miúdos (e os graúdos também!) estavam de rastos no sábado à noite, de tanto andar a pé, acho que a Camila só ouviu as buzinadelas em sonhos :).
Foi bom virar as costas ao tanto que tinha para fazer em casa e passear com os meus mais-que-tudo, amei!

07 abril 2008

Porto,...

... bela cidade, da qual fomos conhecer um bocadinho neste fim-de-semana. Ficou a vontade de voltar, para conhecer o tanto que ficou por visitar!

Mental note: para a próxima, não escolher um fim-de-semana em que o FCP esteja na iminência de ser campeão, especialmente se o alojamento for no centro da cidade! (e quem não salta, é "lampion", olé, olé!)

03 abril 2008

Hoje, ao levar a Camila à escola, tive uma experiência que posso classificar de aterradora. Estava um carro a arder mesmo em frente à escolinha! Uma avó foi levar o neto, estava a conversar com a educadora e a auxiliar e o carro desata a arder, com labaredas à séria. No momento em que cheguei, estava a auxiliar a tentar controlar a coisa com a mangueira do jardim da escolinha, a dona do carro em pânico e a educadora à janela com os meninos de olhos esbugalhados a assistir à cena. Ainda se despejou o extintor da escola e um pequeno que trago no carro mas aquilo cada vez ardia mais e o medo era que o calor chegasse ao depósito da gasolina! Os bombeiros demoraram algum tempo a chegar, ao fim de quase meia hora depois de serem chamados (o quartel fica aí a uns 5 km), lá ouvimos a sirene e veio o alívio, afinal a coisa não correu para o pior, não houve bomba, mas o carro ardeu todinho, o motor derreteu! Os bombeiros disseram depois que o fogo teria começado na parte eléctrica, que as pessoas que abriram as portas do carro tiveram muita sorte, que não se deve fazê-lo porque só alimenta mais a combustão.
Fui buscar a Camila ao meu carro, que tinha deixado a uma boa distância e ela, aflita:"E a escola, ardeu, mamã?!". Lá a tranquilizei, fui deixá-la com a educadora, que estava branca como a cal, e fui trabalhar, toda a tremer e a tentar não pensar no que poderia ter acontecido. Uma boa maneira de começar o dia, não?!

Sobre as pequenas... II

A Mafalda está uma espevitada, tem pilhas com energia infindável. Só quer estar de pé, está sempre a balançar braços e pernas, nem no colo sossega, está mesmo com um surto de desenvolvimento motor como descreve o amigo Brazelton para os 9 meses, no Grande Livro da Criança. Até as noites estão a ressentir-se disso, demora uma hora ou mais para adormecer, sempre a espernear e às voltas, e mais ainda não rebola nem se senta sozinha, acho que se o fizesse, saltava da cama para fora.
É uma bebé simpática, às vezes reage mal quando lhe aparece, de repente, alguém desconhecido à frente, mas passa-lhe rápido. Dá muitos beijinhos na atmosfera, já me deu dois na cara faz hoje uma semana e um à avó, mais ninguém foi contemplado. Como é pequenina, continua muito portátil e anda muito ao colo, eu gosto (admito, também tenho a tendência de a "abebezar" mais do que a conta). Para castigo meu, já cheguei a ter que fazer o jantar ou lavar a Camila ou estender roupa com ela pendurada em mim, porque tem momentos em que só se cala no colo, grita com voz bem grossa enquanto não a levantar-mos do parque ou do carrinho.
Grita. Grita muito, não a chorar, é mesmo gritar bem alto até conseguir o que quer por já não a conseguirmos ouvir, é uma sabida. Grita quando a sentamos na cadeira de comer e a comida não lhe aparece logo à frente, anda numa fase de muito apetite. Já comecei a dar-lhe da nossa comida, quando não é nada de muito temperado, ontem comeu uma pratada de salmão grelhado com batata cozida e alface picada por cima, adorou.
Adora brincar, como todos os bebés. Com a mana, com os pais, com os avós, quer é brincar, espinotear, dançar, ai o que ela gosta de fazer uma roda para dançar comigo e com a irmã!
Está uma bebé linda, com umas bochechinhas que dão vontade de comer com beijos e vê-se que está a crescer feliz, é tudo o que importa!

02 abril 2008

Sobre as pequenas...I

A Camila espanta-me todos os dias, é uma alegria vê-la transformar-se numa menina crescida, a maneira como apresenta os seus argumentos para me convencer do que quer e como aceita as minhas explicações quando o que ela quer não pode ser naquele momento. Às vezes, sei que exijo dela uma maturidade que ela ainda não tem e o meu coração aperta-se quando me apercebo de algum momento em que ela se ressente de já não ser o centro de todas as atenções, mas o seu estado geral é andar a sorrir e a saltitar e a fazer passos de dança. Ajuda-me bastante com a irmã (quando quer, claro!), leva-a para o quarto dela, põe um CD a tocar e faz um espectáculo de dança que põe a Mafalda a vibrar. Apesar de toda a dança, a agilidade ainda lhe falta às vezes e acontece tropeçar nos próprios pés e mergulhar de cara no chão, como aconteceu na sexta-feira passada. Bateu com os dentes e o lábio de cima na calçada do jardim, fiquei super-aflita mas os dentes não partiram nem foram para dentro, ficaram a abanar um pouquinho e raspou o espaço entre o lábio e o nariz, agora parece que tem um bigode, com as crostas, tadinha.
Nem tudo são rosas, claro, a teimosia e a impaciência dela tiram-me do sério. Pede qualquer coisa e eu respondo que já vou/faço, mas enquanto eu não o fizer não se cala, sempre, sempre a bater na mesma tecla, uiii, que nervos! Estou farta de lhe explicar que, quando eu digo "já vai", não estou a dizer que não faço, estou a dizer que faço assim que puder, que tem que aprender a esperar, mas não lhe entra e, às vezes, corre mal e acaba por ter um castigo. Tenho evitado a palmada, funciono mais com os castigos, mas ainda grito um bocado de mais da conta, confesso, ando a tentar moderar-me. Mas estes "ataques de impaciência" dela conseguem pôr-me fora de mim, juro!
Já começa a reclamar que a estou a apertar quando lhe dou um ataque furioso de mimos e aí vejo que ela está mesmo a crescer. Por isso, eu não reclamo quando ela se cola a mim, quando me sobe para o colo e encosta a cabeça no meu peito, mesmo que eu esteja com a irmã ao colo, quando me pede para a levar ao colo da casa-de-banho para o quarto, antes de deitar, e lá tento enroscar os muitos centímetros de pernas e braços dela nos meus braços... a minha primeira bebé já era... mas, para mim, sê-lo-à para sempre!

01 abril 2008

Ai que blogueira tão mal comportada...

... que eu ando, tenho que levar um tau-tau! Não escrevo, não visito, não comento, não nada (estão agora vocês a pensar:"E falta?!" :D)
Tenho aproveitado os últimos dias em casa para fazer umas limpezas e estar o máximo de tempo com as minhas queridas que estão uma delícia mas isso dá outro post. Hoje fui ao médico, está tudo bem com os pulmõezinhos e amanhã volto ao trabalho.
Acabei de saber da 3ª gravidez desta mamã e estou muito feliz por ela, foi uma novela mais novela do que as mexicanas, Carla, muitos parabéns!