30 maio 2008

Ontem, apanhei framboesas.

No ano passado, apanhei quase 2 kg de framboesas num sábado. Deu para fazer doce e uma tarte de framboesa para a sobremesa do almoço de domingo. Estaria boa? Dizem que sim, eu nunca cheguei a prová-la, no dia seguinte fui parar ao hospital! Por causa das framboesas? Nãaaao! Para a Mafalda nascer! :)
Ontem, apanhei framboesas. Desconfio que, sempre que fizer isso, não vou conseguir evitar de sentir uma pontinha de nostalgia! :D

(eu e a Mafalda, há um ano atrás)

29 maio 2008

Não quero que as minhas filhas cresçam "escravas" de marcas ou objectos, do ter porque os outros também têm, quero que elas percebam o que é realmente importante no que nos passam pelas mãos, mas manter esta filosofia não é fácil, mesmo nas mais pequenas coisas.
Ontem, enviei batatas fritas de pacote para o almoço da Camila no passeio. O pormenor: mandei batatas fritas de um pacote grande dentro de um saquinho de plástico dos lanches, não procurei comprar um pacote pequeno porque sabia que tinha este grande em casa, á espera de ser consumido. Hoje de manhã, aconteceu esta conversa:
Camila:"Ó mamã, os outros meninos que levaram batatas fritas, levavam um pacote pequeno!"
Eu:"Ai sim? E então?"
C:"Eu também queria levar um pacote pequeno."
Eu:"Porquê, as batatas que levaste não estavam boas?"
C:"Estavam, comi-as todas."
Eu:"E o que é que é mais importante, as batatas ou o pacote onde elas vão? Tu não comes o pacote, pois não?"
C:"Não, como as batatas."

Até com batatas fritas se sente a pressão do grupo (já aconteceu também com os iogurtes de pintarolas que "o não-sei-quê da escola levam sempre para o lanche, mamã!":))! Eu recordo-me de muitas situações da minha infância em que me senti diferente dos outros por não ter isto ou aquilo ou por fazer coisas de forma diferente dos outros porque era assim que os meus pais me diziam para fazer. Não era uma boa sensação, eu sei, e por isso, estou consciente que cederei numa ou noutra ocasião a pressões deste tipo, mas será a excepção e nunca a regra.

28 maio 2008

Pronto,...

... já cá tenho a pintainha debaixo das asas, cheia de histórias para contar sobre a sua visita ao Jardim Zoológico! Os olhos dela brilham enquanto as recordações do dia se atropelam na sua mente, mais rápidas do que aquilo que a sua boquita consegue debitar:
"E sabes o que é que era mais giro, mamã? Os golfinhos! As pessoas que andam com os golfinhos íam mesmo ao fundo do tanque, a sério! E vieram os leões-marinhos dar beijinhos às pessoas, mas não me deram a mim! Ah, mas sabes o que era mais giro, mamã? Os macacos, vimos uns macacos que comiam legumes, e uns gorilas pretos, grandes!Ah e sabes o que é que era mais giro, mamã? Os leões-marinhos que vimos a andar na estrada que era para as pessoas (!) e nós fizemos festinhas e um deu-me um beijinho e cheirava a peixe, blarghh!..." and so on and so on.
Agora já dorme e eu... já respiro! :))

Hoje só respiro...

... lá para as 7 da noite! :S

Consulta do 1º ano

Lá fomos ao Centro de Saúde e, com 11 meses e meio, a Mafalda pesa 8,650 kg, mede 72 cm de comprimento e 47 cm (percentil 95!) de cabeça, é ou não é uma miniatura?! E cabeçuda, acho vou passar a chamá-la de Alfinete de Cabeça, além de Pinguinha. :))
Quanto à alimentação, a teoria mudou em relação ao tempo da Camila. Na altura, o leite de vaca era só depois dos 3 anos, ontem a enfermeira disse que já podia começar a dar-lhe leite de vaca gordo, modas! A pediatra do privado, da última vez que lá fui, disse para ainda lhe dar leite em pó durante o segundo ano de vida, quem é que se entende com tanta opinião diferente?!
O sopro no coração ainda lá está, o médico mal conseguiu ouvi-lo porque a Mafalda resolveu abrir berreiro quando ele começou a auscultá-la, mas não é nada de preocupante. As ancas também estão ok, está tudo bem, como se quer. "Está muito boa assim, mãe, não a estrague!", foi o que ele me disse no final. Pois está boa, claro, com tanto mimo e amor que recebe todos os dias em doses industriais, como poderia não estar?! :))

25 maio 2008

"Hum, deixa cá ver,...

... trepo este murito...

... ou subo ao escorrega?!"

Produção de tarde de domingo

Um penteado para a grande...
... e umas telas para o quarto da pequena:

23 maio 2008

A mana grande

Anteontem e ontem, a Mafalda andou muito difícil para dormir durante o dia. Mesmo perdida de sono, mal se sentia na cama abria um berreiro desesperado, atirava com a chupeta, queria levantar-se a todo o custo, parecia coisa má. Na quarta-feira passou o dia quase sem dormir por causa destas birras, estava impossível. Ontem de manhã, na mesma e eu a desesperar, porque não era fome, não era fralda suja, estava cheia de sono e com uma birra descomunal, a chorar histericamente. Passei-me e gritei-lhe "Mafalda, tu tens que dormir!" (vá, batam-me, gritei com a minha bebé, eu sei que não resolveu nada mas aqui a mãe também é de carne e osso... e nervos, especialmente!). Ouço do quarto ao lado: "Também, não é preciso gritar com ela!" e derreti-me naquele momento. A mana grande a proteger a mana pequenina, uma solidariedade tão valiosa! Só desejo que seja assim pela vida fora, sempre.

(durante a tarde, a Mafalda adormeceu mais calmamente e, à noite, nem piou, adormeceu sozinha, como é costume, com a chupeta e o seu boneco...não sei que lhe bicho mordeu, não entendi mesmo!)

21 maio 2008

E aquela roca ali em cima quase a chegar ao 1?!

Pode uma coisa destas?!
Não me conformo! Buáaaa!...
Tenho andado a organizar as fotos no computador e é espantoso ver o que a Camila cresceu ao longo do seu 5º ano de vida. Não é só fisicamente, a sua expressão alterou-se, deixou de ter cara de bebé (isto visto friamente, porque, para mim, tem sempre cara de bebé, claro :) ), encontro fotos em que ela está com uma expressão tão séria e dou conta que essas fotos são posteriores ao nascimento da irmã, esse é o grande marco da mudança. Em grande parte das fotos tem uma cara alegre, um sorriso lindo, os olhos brilhantes. Naquelas em que está com a irmã recém-nascida ao colo, uma expressão de orgulho de mana mais velha, toda inchada. Pelo meio, há um ou outro olhar sério, de menina grande. A minha princesa cresceu interiormente mais neste ano do que nos 4 que já tinha vivido, perdeu algumas coisas do seu mundinho ideal mas também ganhou muitas. E acredito que ela considera o balanço positivo nos momentos em que a ouço dizer "Gosto tanto da minha maninha!" ao mesmo tempo que tem a Mafalda ao colo a arranhar-lhe a cara e a puxar-lhe os cabelos!

20 maio 2008

Anda aí...

... muita gente a pedir uma revolução, que tudo aumenta e tal e que nós assistimos mansos a tudo. Eu até alinho nessa da mudança, mas tiramos os fulanos que estão agora no poleiro e mete-mos quem, hum?! Quem?!... Essa, para mim, é que é a grande questão. :S

19 maio 2008

Amamentação: Capítulo encerrado!

Sexta à noite, com 11 meses e 6 dias, a Mafalda mamou pela última vez. Há já umas 3 semanas que a quantidade de leite vinha diminuindo, ela só mamava de manhã e à noite mas, de manhã, o peito estava quase vazio, não conseguia repôr o "stock" durante a noite. Ela gostava do quentinho, do aconchego, mas também começou a perder o interesse porque mamava e pouco corria, aborrecia-se, estava sempre a querer trocar de mama, muito desassossego. Comprei leite em pó para ela beber de manhã e o desinteresse pela mama aumentou, do biberão saía mais leite com menos esforço :). Na semana passada, estive dois dias fora em formação e isso foi o princípio do fim, nem o peito se queixou muito. Ainda amamentei na quarta e na quinta à noite, mas tive que completar com biberão. Na sexta, mamou calmamente, tinha jantado tarde, portanto não tinha grande apetite e foi mais para gozar o miminho. No final, largou o peito, olhou-me fixamente e deu-me um grande sorriso, na sua expressão percebi uma despedida, um "Ficamos por aqui, obrigada, mamã!". E ficámos. Foi quase um ano, eu não me importaria que durasse mais tempo mas também não me sinto mal por ter acabado, ela está bem e não lhe vão faltar os momentos de miminho a duas que tanto gostamos!

16 maio 2008

A dona Camila...

... anda a chatear-me a molécula com o sono. À noite, nunca quer ir para a cama, porque quer estar na sala, porque quer ver o Camilo (que raio de fixação que ela tem pelo velhote!), porque não gosta de dormir... Demora séculos a arranjar-se para ir para a cama e depois é mais um beijinho à Mafalda, ao papá, à mamã e outra vez à Mafalda porque "ela não me deu a mim!", ui ca nerbos! Com isto tudo, deita-se sempre depois das 10 da noite, o que resulta...
... numa manhã seguinte muito má! "Quero dormir, deixa-me dormir!", é um castigo para a tirar da cama, para a vestir, para a fazer tomar o pequeno-almoço, "Despacha-te, Camila! Acorda, Camila! Mexe-te, Camila!", um stresse! Hoje de manhã:
- "Não entendo como é que durante o dia andas sempre a correr e de manhã parece que ficas sem pilhas!"
-"Tens que pôr as minhas pilhas no carregador, mamã!"

Tem resposta para tudo, a miúda! :)

Ah, ...

... esqueci-me de registar mais umas macacadas da Mafalda. Quando pega numa escova ou pente, leva à cabeça para se pentear. Comandos e telemóveis servem para encostar à orelha e dizer "Bábábá". Delira quando vai ver os nossos canídeos e faz como eles "auauau".
Ontem fomos fazer o seu BI e a senhora viu-se aflita para lhe tirar a impressão digital, prenderem-lhe as mãos é que nem pensar! :)

15 maio 2008

Se eu tivesse aqui uma bombazita à mão,...

... deitava-a sobre os quartéis dos generais da treta de Myanmar que estão a dificultar a entrada de ajuda, era limpinho!
Aos 11 meses, temos uma Mafalda bem arisca, vá-se lá saber a quem ela sai! A moda de agora é arranhar a torto e a direito, ainda ontem levou uma palmadinha porque agarrou-se à cara da irmã a ferrar-lhe as unhas nos olhos e no nariz, fiquei possessa! Vê-se que não é a brincar, parece ser feito mesmo com intenção de magoar, como é que pode haver maldade numa cachopa de 11 meses?!
Fora estes acessos, está uma giraça cheia de gracinhas que só faz quando quer e bem entende, claro! As últimas são abanar a cabeça para dizer "sim" ou "não" e a da "galinha põe o ovo...". Neste último mês, aprendeu finalmente a rebolar para um lado e para o outro e agora não há descanso na muda da fralda, é que ela rebola a alta velocidade. Ainda não passa de deitada para sentada, mas já passa de sentada para de pé, agarrada a um móvel ou ao sofá. Anda muito, com as mãos agarradas, claro, mas ainda tem umas passadas um bocado descoordenadas. Gatinhar, nada, quando se põe de gatas ou vira-se logo de barriga para cima ou fica a balançar para trás e para a frente e acaba por pousar a cabeça e deitar-se.
Entende muito do que lhe pedimos, o "dá cá", "põe a chupeta na cama", o "não!" (este entende mas não liga nenhuma, acho que vais sofrer tanto com a tua teimosia, Mafaldinha!). Dá "beijinhos" encostando os lábios à cara do premiado e, às vezes, sai uma lambidelazinha, mas, lá está, é só mesmo quando lhe apetece.
Está uma traquinas linda, derrete-me com os seus sorrisos e ainda não me mentalizei que o 1º aniversário está à porta, juntamente com o baptizado, não está fácil! :)

12 maio 2008

Memórias de Maio

Era uma vez um miúdo e uma miúda, ele 14 e ela 13 anos, ele do 7ºB e ela do 7ºA. Um dia, ela reparou nele, através da janela do polivalente da escola. A bem dizer, ela já o tinha visto várias vezes, era um miúdo novo na escola nesse ano. Mas, naquele dia do início de Maio, ela reparou nele a sério. Até que é giro, disse à amiga. Moreno, vestido de ganga..."Olha, vou pedir à C., que é da turma dele, para mo apresentar!". No dia 10 de Maio, a C. lá os apresenta e, nos olhares e palavras tímidas trocadas, houve um calor novo no coração de cada um que lhes disse:"Aqui está alguém especial!". A empatia foi imediata e logo no dia 13 de Maio, uma sexta-feira 13, começaram a "andar". Encontros a todos os intervalos, um beijinho ali outro acoli, e muitos olhares que diziam mais do que eles conseguiam exprimir por palavras.
Vieram as férias grandes, quase 3 meses sem se verem ou falarem, pois no tempo desta história ainda não haviam telemóveis nem sequer telefone fixo em casa dela. Em Setembro, o reencontro deu-se com a alegria de constatar que os sentimentos se mantinham. Nas férias do Natal seguinte, algo correu "mal", no calor de uma festa com os colegas de turma, ele envolveu-se com outra miúda. Quando as aulas recomeçaram, ele foi contar-lhe o que se tinha passado e a história deles interrompeu-se aqui...
...para recomeçar um ou dois meses mais tarde. Ele não conseguia deixar de pensar nela e pediu ao melhor amigo de então para ir falar com ela, para saber se estava perdoado, se não haveria uma hipótese... Ela não pensou muito e disse que sim, embora na altura andasse com a cabeça ocupada com outro rapaz. E por isso, não resultou, ela conversou com ele seriamente umas semanas depois e, mais uma vez, a história se interrompeu.
Em Maio do ano seguinte, eram ambos da mesma turma e tinham voltado a aproximar-se, construindo uma bela amizade, nada mais. Ele convidou-a para a festa dos seus 16 anos, ela foi e aí descobriram que a amizade que sentiam era apenas uma parte de um sentimento muito mais forte. No dia 7 de Maio, conversaram e reataram a história deles pela 3ª vez com um "Vamos tentar!".


Consta que continuam a tentar, todos os dias, através do amor que sentem um pelo outro e pelas filhas que entretanto nasceram, manter sem interrupções esta história que teve o seu começo há 20 anos atrás, num mês de Maio tão especial!

"Há festa, há festa, na minha aldeia..."

Neste fim-de-semana foi a festa da capela cá da aldeia, com a respectiva procissão. Há coisas da Igreja com as quais não alinho, mas acho piada manter certos rituais e tradições que não fazem mal a ninguém e criam boas memórias para mais tarde recordar. Ontem, a Camila foi com a avó à missa e à procissão com um fato de anjo pertencente à capela, estava gira, a minha anjinha!
Para ela, acho que foi como um 2º Carnaval, mas comportou-se bem, manteve a solenidade da ocasião. Brincou e dançou no arraial, a Mafalda também gostou da música e andou que se fartou (agarrada, claro!). À noite, estavam as duas derretidas com sono, caíram na cama que nem... anjinhos! :)

10 maio 2008

11 meses...


... e o countdown para a 1ª velinha arrancou!

Não sei se ria, não sei se chore! :D

09 maio 2008

Ok, ...

... a Mafalda já é crescida, já passou a fase de maior perigo e tal, tudo bem. Mas embirro com a posição, que posso fazer? Embirro mais ainda porque ela agora dá tantas voltas para adormecer, apanho-a nas mais variadas posições (tipo ontem, quando fui aconchegá-la e agarrei... um pé! sim, um pé onde devia estar a cabeça) e a gajinha acaba por adormecer sempre, sempre de barriga para baixo!
Não sei bem porque é que ela anda com as noites tão agitadas de há umas semanas para cá, passa sempre uma boa meia hora às voltas na cama antes de adormecer, mesmo que esteja perdida de sono, e, durante a noite, choraminga várias vezes mas chego lá e está a dormir bem. Não sei se tem a ver com o surto de desenvolvimento motor, passa o dia a querer andar e levantar-se, a rebolar, a mexer em tudo, e acho que nem de noite ela sossega, com tanta energia.
A Camila nunca passou por isto, portanto a história de ser a segunda e já não haver novidade, não é bem assim! :)

08 maio 2008

Não sei o que faça, nos últimos tempos a Mafalda adormece sempre de barriga para baixo e eu não gosto muito, por causa da história da morte súbita. Eu bem que a ponho de lado, depois de ela adormecer, mas daí a pouco, já está de barriga para baixo outra vez, que raio de vício que a cahopa havia de apanhar!

07 maio 2008

Hoje...

... é o "nosso" Dia dos Namorados! 18 anos... tanto tempo que ele não se vai lembrar, quase que aposto! Só se ler este post :D.


(Leu o post mas assegurou-me que já se tinha lembrado antes. Pois... não interessa, o que interessa é que me surpreendeu com um champanhe francês para brindar e uma cartinha cheia de mel, daquelas que já não me escrevia há muito tempo! :D)

Depois da cena linda da chupeta,...

... passo para o quarto ao lado, na revista das "tropas" que faço antes de me deitar e apanho um "susto"! A Camila está a dormir profundamente, toda esticada em comprimento, e constato que já ocupa quase três quartos da cama! É com estes "choques" que apanho de vez em quando que me apercebo que ela está mesmo grande!

Lindo de ver...

... é a Mafalda às voltas com a chupeta para a pôr na boca, no meio do seu soninho, é tão fofo!

04 maio 2008

A prenda do dia

Sexta ao almoço:
- "Ó mamã, hoje vamos trazer a prenda do Dia da Mãe!"
- " Está bem, mas eu não quero saber, não digas mais nada."
- "Queres que eu te diga como é o papel de embrulho?"
- "Não, Camila, eu não quero saber."
A avó: - "Não se diz, é surpresa!"
- "Tá bem, mas eu só queria dizer que o papel de embrulho é às flores!" :))

À tarde:
-"Sabes onde é que escondi a tua prenda, mamã?"
- "Não digas, é só domingo, eu quero uma surpresa. A prenda que logo vais dar ao papá também está escondida, as surpresas escondem-se."
- "Está escondida onde?"
- "Está no roupeiro (os olhos dela brilham e diz: Está no mesmo sít...) do quarto da mana (faz um ar de:Ah, afinal, não é o mesmo roupeiro.)"

Hoje, logo ao acordar (cedinho, porque nem do dia de hoje facilitaram!), recebi então a minha prenda, um T-shirt com uma flor à frente e o "retrato" de nós duas atrás, acompanhada de uma moldura com uma montagem de fotos das duas princesas, preparada pelo pai, adorei!

02 maio 2008

Um dia especial

Faz hoje...
... 4 anos que celebrámos o baptizado da Camila
... 2 anos que a Camila foi à escola pela primeira vez
... 1 ano que vimos a Mafalda pela última vez dentro da minha barriga, na eco das 32 semanas.

E a efeméride mais importante de todas:
Faz hoje 34 anos, nascia um bebé que se tornou num homem muito especial, que amo de tal forma que nem consigo dimensionar, que é o melhor pai que poderia ter escolhido para as minhas filhas (nunca me canso de o repetir!). Parabéns, meu amor!

01 maio 2008

Dia da espiga

Além do ser o Dia Mundial do Trabalhador, hoje é também a Quinta-feira de Ascenção, que, por aqui, designamos também como Dia da espiga. É dia de se fazer merendas com a família, de se colher um raminho silvestre, com papoilas, espigas, ramo de oliveira e outras flores do campo, de se comerem as primeiras cerejas (que estavam a €12,oo/kg no mercado e então passaram ao lado!).
A Camila e o avô cumpriram a tradição e apanharam o seu raminho.