27 outubro 2008

Ao pequeno-almoço,...

... fazia-lhe as recomendações para ela seguir nos próximos dois dias, porque vou estar fora a trabalho.
Ela:"Outra vez?! Não gosto nada quando vais para lá trabalhar!"
Eu, com o coração acabadinho de se quebrar: "Passa num instante. Se houvesse lá lojas e eu te trouxesse uma prendita cada vez que vou lá, já gostavas, não era?"
Ela:"Se não há lá lojas, tens que as procurar, não é?"

Interesseirona!

26 outubro 2008

Ontem à tarde, a tv sintonizada no VH1, o Top das melhores baladas de rock. Ia ouvindo o desfile de Richard Marx (Right here waiting), Extreme (More than words), Roxette (It must have been love), Mr. Mister (Broken wings), Foreigner (I want to know what love is) e muitos outros, alguns mais recentes mas, na maioria, músicas da minha "teenagerice". Para os meus botões, ia dizendo: "Xiii, ainda sei esta letra de cor", "eia, há quanto tempo não ouvia isto", "Isto é que era música, os slows das festas de anos nas garagens!". A coisa já não tinha tanta piada quando via os anos de edição das músicas: 1987, 1988, quase tudo para cima de 20 anos: "Xinamen, tou mesmo velha!". Ai! :S

24 outubro 2008

Ora então...

... isto dos seguidores é o quê?! Já não é preciso bloglines com isto, é?
Todos os dias me espanto com as diferenças entre as minhas filhas. A mesma massa, a mesma forma, o mesmo forno e saem dois bolos tão diferentes! :)
Com a Camila, sempre admirei a maneira pacífica como ela aceitava um "não", já mais do que uma vez disse aqui que ela nunca fez uma birra, a não ser que o sono fosse mesmo muito. Se dizíamos "Não mexe!", ela entendia que não era para mexer e lá ía explorar outra coisa, podia ter que se repetir o "Não mexe!" uma vez ou outra mas era raro. Nesse aspecto, a Camila não deu trabalho nenhum, nunca tive que tirar coisas do sítio nem pôr elásticos nas portas dos armários, nada disso. Com a Mafalda, é outra história. Até ver, também não tirei nada do sítio nem tranquei portas mas andamos constantemente a repetir "Não mexe aí!" e ela a insistir a ir ao mesmo sítio, on and on! Às vezes, leva uma palmadinha na mão, de raspão e, mesmo assim, tem vezes que não se nega. Outras vezes, lá deixa de mexer mas fica danada de ser contrariada e abre um choro muito sentido. Ontem à noite, foi assim, chorou, tentámos ignorá-la e ela, chateada, berrava mais alto. Puxei-a para o meu colo, já que ainda estávamos à mesa e não nos conseguíamos ouvir, a fulaninha pegou em qualquer coisa que estava sobre a mesa e puf!, calou-se instantaneamente, o choro tão sentido era só filme da safadona! Está visto que a piquena vai dar-me mais trabalho e mais luta do que a irmã, mas até acaba por ser interessante viver duas experiências tão distintas (desde que esta não me traga muitos mais cabelos brancos!).

21 outubro 2008

Apetite de leoa

A Camila anda com um apetite fora do normal, às vezes fico de boca aberta com o que ela consegue comer! Seja doce ou salgado, se lhe cheirar, marcha tudo. No sábado, estivemos num casamento. Depois de petiscar nos aperitivos, ainda comeu creme de legumes (e repetiu!), bacalhau não quis mas o lombo com frutos secos e maçã assada marchou, seguido da sobremesa. Ao sair do restaurante, depois desta almoçarada, ainda diz: "Ó mamã, são 5 horas e ainda não lanchámos!". "O quê?! Ó miúda, tu deves andar com a bicha solitária, com certeza!".
À noite, no copo d'agua, comeu caldo verde, arroz de pato, um pedacinho de leitão com batatas fritas e depois as sobremesas, bolo de chocolate, fios d'ovos (adora!), tarte de maçã e bolo da noiva (esse, eu é que adorei, que sou choco-viciada: pão-de-ló de chocolate, recheio de mousse de chocolate e doce de framboesa e cobertura de chocolate, uma autêntica bomba!).
Ela não está gorda, o peso está concordante com a altura, mas tenho receio que ela entre num ciclo de gula sem controlo, é que ela come com uma satisfação, gosta mesmo de comer! Ando a tentar dosear ao açúcar, também não quero proibir radicalmente porque o fruto proibido..., já se sabe. Ela está a crescer muito, este surto de apetite deve ser normal, mas não me quero distrair e só detectar que há algo errado quando a vir obesa, vou-me mantendo atenta... e atónita, com tanto apetite! :)

20 outubro 2008

Na quinta-feira passada, dia 16, foi o Dia Mundial da Alimentação e o assunto foi falado na escolinha da Camila.
Eu: "Então e o que é que falaram sobre a alimentação? Ah, espera, já sei! Disseram que os legumes fazem mal, especialmente o feijão-verde e os bróculos, que não se deve comer legumes na sopa, não foi?"
Enquanto eu dizia isto, ela começou por sorrir tipo "grande disparate tás praí a dizer!" mas depois pôs o ar mais sério que conseguiu e disse, a reprimir o riso como podia:
"Pois foi, foi! Foi isso, a sério, os legumes não fazem nada bem!"

Chica-esperta! :)

O jogo das escadas

Ontem descobri um joguinho secreto do pai e da Mafalda. Vai descendo os degraus para a cave com ela ao colo, conta "um, dois, três!", pára e, automaticamente, ela dá-lhe um beijinho. Desce a contar mais três, pára e lá vai mais um beijinho na bochecha do pai. A meio das escadas, peguei eu nela para jogarmos as duas, contei "um, dois, três!", parei e ela... fica a olhar para o pai, que estava atrás, para lhe dar beijinho a ele! Quem me mandou intrometer na brincadeira?! :))




(obrigada pelo ânimo, é bom receber raios de sol em tempos enevoados!)

13 outubro 2008

Faço login no blogger,...

... clico em "Nova Mensagem", olho para este quadrado e... nada! Este blog, em harmonia com o mundo, está em crise. :(

08 outubro 2008

Gosto quando as deixo a sorrir, a dizer-me adeus. De manhã, despedi-me da grande na escola ao pé do portão porque ela quis esperar por uma amiguinha que estava a chegar. Deu-me um beijinho, disse-me adeus e ainda a vi a saltitar de mão dada com a amiga em direcção à porta da escola. Agora, ao almoço, a pequena ficou na varanda com a avó, a espreitar-me por entre os desenhos do gradeamento, a acenar com a mãozinha e a mandar beijos repenicados. Adoro ficar com estas imagens na retina, que me acompanham e me confortam durante o tempo que não estou com elas, que me sossegam porque as sei felizes quando não estão comigo.
A Camila começou a ir para o ATL este mês e parece-me que é por isso que esta semana está mais cansada. Pois, porque brincar constantemente das 9 até às 17:30 ou 18:00 também cansa, acredito que sim. Quando vinha para casa às 15:30, também brincava mas sozinha, é um ritmo mais calmo. Agora no ATL, é uma excitação constante a brincar com as coleguinhas da escola e com as que foram para a primária este ano, têm a sala da fantasia, casinhas, uma piscina de bolas (é o maior atractivo para ela!), faz ginástica, adora tudo e quer fazer tudo! Depois, ainda tem piscina à 3ª e 6ª e dança à 5ª. Quando começou a escola, acordava sozinha antes da 8, então no primeiro dia do ATL mal dormiu, de tão excitada que estava. Esta semana já lhe tem custado mais a acordar, nota-se que está mais cansadita. Mas acho que se vai adaptar rapidamente à nova rotina, tudo o que envolve brincar é para cima de bom!

Com quase 16 meses, a Mafalda diz:

- papá
- mamã (diz raramente e poucas vezes dirigido a mim, continuo a ser papá muitas vezes. aliás toda a gente é papá! :D)
- bôbô = avô
- bó = avó
- pópó = carro
- babé = bebé (usa para crianças, bebés, bonecos)
- papau = sapato
- á tá! = já está!
- mnã-mnã = miam-miam (para a comida ou o leitinho)
- cocó (é a palavra declarada com mais perfeição, usa para dizer que o tem na fralda e para tudo o que encontre no chão e que seja lixo ou quando pega em sapatos, porque lhe dizemos para não mexer, é lixo, tem cocó!)
- não! (também diz muito bem e aplica ainda melhor! :) )
- olá
- ão-ão-ão = cão
- tá-tiii! = está aqui!
- teté = chupeta

Diz muito mais coisas, tipo "papapa tetete papa tete", que acabamos por entender graças à expressividade dela, acabamos quase sempre por perceber o que ela quer. E ela entende tudo o que dizemos, mas quando são ordens, gosta de se fazer de desentendida, não cumpre e ri-se porque sabe que não está a cumprir, a malandra!

07 outubro 2008

Será que o ritmo "laboral" está demasiado puxado para ela?!

Ontem, ao deitar:
Camila- "Ó mamã, será que amanhã posso tirar o dia de férias para ficar a dormir de manhã?"

:D
Quando vejo alguém a concretizar um sonho profissional, como está a acontecer com a Costinhas e a fotografia, penso no que é que realmente me faria sentir realizada profissionalmente e... bem, não chego a conclusão nenhuma. Sei que não tenho o emprego dos meus sonhos, ao nível do trabalho em si, mas valorizo-o porque estou numa empresa (ainda) sólida e estou a 5 minutos de casa, o que vale muito dinheiro e qualidade de vida fora do trabalho. Gostaria de fazer várias coisas, a maior parte sem nada a ver com a minha formação, mas acho que, assim que se tornassem rotina, que tivesse prazos para cumprir, etc., essas coisas perderiam a piada, perderia o entusiasmo em fazê-las... Pronto, ando nisto agora, com estes pensamentos que não vão dar a lado nenhum e só andam aqui a ocupar espaço, até me enerva! :)
Tenho pouco para escrever aqui. Ou melhor, tenho muito, mas nada que interesse. Na cabeça crescem textos, correm ideias soltas que colidem umas com as outras, parece uma cómoda de gavetas a precisar de uma bela arrumação, tudo misturado sem um fio condutor. De vez em quando, fico assim não sei porquê. Não consigo concentrar-me, não gozo nada do que faço porque estou sempre com a cabeça a mil, desligada da tarefa do momento. Queixo-me que não páro um minuto, sempre a correr, com n tarefas a cumprir em casa, com as filhas, com o trabalho. Se arranjo um tempinho livre, queixo-me que não sei para onde me virar, se para as fotos delas que tenho que organizar, se para as minhas flores e o meu jardim, se para os meus projectos de bordados em lista de espera, se para o livro que me emprestaram e que entretanto devolvo sem ler... Detesto andar assim, ser indecisa, não me sentir orientada, a cabeça não deixa. Não sei se é cansaço, se é da mudança de estação, só espero que passe rápido.

02 outubro 2008

Ah,...

... e o maridão não é 5 estrelas, é 6! :)

E lá se passaram...

... mais dois dias fora de casa :S. Noto que a Mafalda sente muito a minha falta, toda ela se alapa a mim quando chego e não descola mais. Hoje de manhã não me queria largar, chorou para ir com a avó, não gosto nada de me separar dela assim. A Camila (lá vem a inevitável comparação!) nunca fez nada do género, nem para ficar em casa da avó nem na escolinha, nada. Tenho a felicidade de não saber o que é aquilo de que muitas mães se queixaram por aqui neste passado mês de Setembro, com o regresso à rotina das creches/amas/afins. Cheira-me que, daqui a dois anitos, a Mafalda vai fazer questão de me apresentar às Sras. Separações Dolorosas. :(