29 dezembro 2008

E para reforçar o post anterior,...



... está aberta a época dos sorrisos desdentados cá por casa, com uma preciosa mãozinha desta querida (obrigada pelo carinho, P.!). Portou-se muito bem, sem grandes medos, só um nervoso miudinho que não a deixava estar quieta na cadeira. Agora tem o dente debaixo da almofada à espera do Ratinho, como eu e o pai aprendemos em França, ou da Fada dos Dentes, como ensinam por cá. E eu... estou aqui um bocado banzada... caraças, caiu-lhe o primeiro dente! :)

"Está tão diferente!"

Este é o comentário do momento em relação à Camila.Está diferente, a todos os níveis. Está grande, bem mais alta que os outros meninos do grupo que vai para a primária. Os modos de menina crescida e as conversas dela deixam-me, às vezes, de boca aberta, quer pelos termos que utiliza ou pelos temas de que fala. Está super vaidosa, sempre preocupada com o que vai vestir ou se tem o cabelo esticado ou ondulado ou que fita vai pôr no cabelo. Tem uma quase obcessão com calendários (também tenho uma pancada com cálculo de datas, deve ser genético!), quando apanha um começa logo à procura dos aniversários de toda a gente, a ver em que dia da semana vão calhar e, se neste ano calha à 2ª, para o ano calha à 3ª, passa tempos nisto. O gosto pelo desenho começa, aos poucos, a despontar, já vai fazendo casas e borboletas e flores. Adora dançar, todas as noites quer fazer espectáculos no quarto para os quais eu e o pai somos "convocados" para a assistência.
A relação com a irmã é um misto. Por um lado, é maternal, protege-a das quedas, ralha-lhe quando ela anda descalça pela casa, ensina-lhe brincadeiras (dar papa ao bebé, mudar a fralda). Por outro, é a mana-mais-velha-a-quem-a-pequena-roubou-a-atenção e gosta, por vezes, de ver a irmã em "maus lençóis". Denuncia as asneiras da pequena, na esperança que ela leve um bom ralhete, faz umas brincadeiras tontas das quais a irmã sai a chorar por causa de uma cabeçada ou outra, quando estou a filmar ou a fotografar as duas a dançar, põe-se sempre à frente, a tapar completamente a pequena, para aparecer só ela. Enfim, acho que é o normal entre irmãos, umas vezes aos beijos e outras vezes à cabeçada.
Ainda gosta muito de colo mas já não consigo dar-lhe tanto quanto ela deseja (são 22kg e 119 cm!), só sentada, ficamos enroscadas a contemplarmos o rosto de cada uma e, nesses momentos, vejo o quanto ela cresceu. Mas também vejo, por trás, a minha primeira bebé, que criou em mim uma fonte inesgotável de amor. E, por mais que ela cresça, certamente que vou vê-la sempre assim!

E lá se passou...

... o Natal, com o convívio familiar, as prendas e a alegria das pequenas. A Camila delirou com a máquina de costura da Barbie que recebeu no sapatinho, nem constava da carta ao Pai Natal mas foi uma surpresa bem escolhida, não a larga! A Mafalda está na fase "bebé e popó", recebeu um carrinho onde passeia o seu bebé novo e onde lhe dá comida. Só não o põe no bacio que vinha junto, esse usa-o ela de faz de conta, senta-se em cima a dizer "tsi-tsi".
... o 9º aniversário de casamento, no dia 26, com direito a jantarinho a dois, em que fizemos um balanço de mais um ano da nossa vida, com resultado positivo, e planos para uma comemoração do 10º aniversário em grande!

23 dezembro 2008

Que a luz deste Natal aqueça o coração de todos os que por aqui passam e daqueles a quem mais amam.
Feliz Natal.

O dito cenário


A sala da Carochinha, com uma lareira, um toucador e uma janela recortada por onde espreitavam os pretendentes, e a igreja para o casamento da Carochinha e do João Ratão. O teatro teve a sua graça, embora ache que os pais-actores pudessem ter dado mais de si, mas os meninos gostaram muito, isso é que importa.

Dias difíceis,...

... estes últimos. Uma razia de gripes e contipações, começando com a Camila que, felizmente, não passou de uma constipação. Depois, foi a Mafalda, novamente. Febres altas, muito ranho e tosse e muito murchinha, só queria "mamã, mamã!", arrebitou no sábado mas decaiu no domingo outra vez, o que mais me faz impressão quando ela está doente é que ela deixa de sorrir, fica com um ar tão triste! E depois eu, comecei na 6ª feira, muitas dores no corpo que atribuí ao serão anterior dedicado a terminar o cenário, mas que, no final do dia, vieram a revelar-se dores de anúncio de gripe. Três dias de molho e hoje de volta ao trabalho, ainda com muita tosse e sem grande disposição, mas com a esperança que passe rápido, a ver se começo a sentir qualquer coisinha de espírito natalício. :s

16 dezembro 2008

No início de Novembro,...

... reunião de pais na escolinha e a educadora pede sugestões de actividades a realizar com os pais. Aqui a pessoa diz: "E que tal uma festa de Natal? Um teatrinho, qualquer coisa assim?", toda a gente "Ai que boa ideia e tal". Escolhe-se a história da Carochinha, para evitar histórias de Natal (há, pelo menos, um menino não católico) e começam a distribuir-se as tarefas. E aqui a pessoa, para se livrar de um qualquer papel na peça, oferece-se para fazer o cenário, pois que até tem algum jeito para o desenho. Mas onde é que eu estava com a cabeça?! Então não era mais fácil enfiar uma máscara de coelho ou cão ou boi e dizer uma patacoada ou outra à Carochinha do que agora ter que desenhar um cenário de alguns 5 por 3 metros da casa da Carochinha e mais a Igreja até sábado?! Há reuniões em que mais valia faltar, especialmente nos dias em que só me nascem ideias destas na cabeça!

15 dezembro 2008

Querido Pai Natal,

este ano portei-me bem e queria que trouxesses:
- tempo para conseguir ir três, duas, vá lá, vezes por semana ao ginásio (é que isto de pagar 3 meses juntos e não conseguir lá pôr os pés há quase 2 meses é chato, no mínimo);
- tempo para conseguir acabar um puzzle começado há mais de um ano para o quarto da Mafalda;
- tempo para brincar mais com as pequenas sem estar a pensar nas mil e uma coisas que estão por fazer pela casa;
- tempo para tratar melhor do meu jardim e das minhas orquídeas;
- tempo para conseguir andar sempre com as unhas bem pintadas;
- tempo para conseguir conversar mais com o marido, sem ser por telemóvel ou recados rabiscados à pressa antes de sair de casa.
Corro o risco de parecer um pouco repetitiva, mas era isto, PN. Ah, e qualquer coisa para me fazer perder 4 kg que trago aqui à volta da cintura e arredores, tá? Sê amiguinho, vá lá!!!

"Chamada da escola?!...

...Não pode ser coisa boa!". Pois não era, a Camila estava com febre. Nada de grave mas não consegui impedir-me de ir a voar até à escola, imagino se algum dia me ligam a contar de uma cabeça ou braço partido! :O
Estava muito chochinha e a queixar-se de dores de cabeça, fui levá-la à avó, tomou Ben-u-ron e vamos lá ver o que isto vai dar! :s

10 dezembro 2008

18 meses,...

... um ano e meio... ou, na "pior" perspectiva, já só faltam 6 meses para os dois anos! :s
Não vou aqui descrever as suas pequenas conquistas do dia-a-dia, iguais às de todas as crianças da sua idade, nada de espantoso. O que me espanta, todos os dias, é sentir que o meu amor por esta pequenina aumenta cada vez mais, porque ontem pensava não ser possível amar com mais intensidade e amanhã descubro que sim, que o sentimento que sinto pela Mafalda não tem limites. É quase uma coisa física, às vezes, até dói de tão bom que é tê-la aninhada no meu colo, cheirar-lhe a covinha do pescoço, receber os seus beijinhos. É uma grande paixão, daquelas de fazer sorrir quando penso no seu sorriso, de sentir cócegas na barriga na antecipação do reencontro à hora do almoço ou ao fim do dia. Sou tão mais feliz por tê-la na minha vida, a minha pinguinha Mafarrica!

09 dezembro 2008

No ano passado,...

... escrevi isto neste dia. Hoje, o meu litle brother faz 30 anos e é um gajo cheio de sorte. É que, apesar dos 30, de apresentar já umas belas entradas, alguma proeminência no ventre, ser um "sinhor inginheiro" e, finalmente, ser um homem casado, não há grande hipótese de eu conseguir vê-lo por esse prisma... é e sempre será o puto, o meu. Parabéns, trintão!



Nós em 79 (aceitam-se prováveis explicações para o meu dedo no nariz :D)

08 dezembro 2008

Devia ser proibido...

... passar fins-de-semana e feriados trancafiada em casa, o sítio onde o que há para fazer nunca se acaba, em que as tarefas procriam como coelhos e se vão multiplicando sem rei nem roque, o sítio onde nunca ninguém me ouve dizer "tenho tudo feito!"! 'Tou de rastos, da tracinho se (parafraseando alguém)!

Para me consolar, vou ali enroscar-me no meu sofá 10 minutos, a comer um crepe com gelado.

04 dezembro 2008

Tem um dente a abanar...

... há meses. Já abanou mais, depois deixou de abanar e agora está quase nas últimas, abana que se farta e ela já nem trinca coisas duras para não se magoar. Quando lhe mexo, penso que se calhar era melhor tirá-lo para ela não andar com aquilo a magoá-la mas não consigo, arrepio-me só de pensar nisso (fruto da memória do meu pai a arrancar-me um dente com uma linha, brrrr!), vamos ver cai entretanto ou se penso em levá-la ao dentista, se doer muito. Ela diz que não queria ficar desdentada mas, quando lhe falo no ratinho que lhe vai trazer uma moeda quando ela puser o dente debaixo da almofada, anima-se logo. Aliás, até se anima de mais, já me disse: "E notas, não traz notas? Também podia trazer-me uma nota!" :))

03 dezembro 2008

Depois do almoço,...

... na viagem de regresso ao trabalho, vejo na rua duas mocinhas de 14, 15 anos paradas no passeio, a ler coisas de um telemóvel, a rir muito do que estava escrito... debaixo de uma chuva torrencial, completamente ensopadas, os cabelos a escorrer e elas ali, como se fosse perfeitamente natural e estivesse mesmo à espera de apanhar uma pneumonia. Antes de condenar em definitivo, ainda fiz um rewind, pesquisando, nas minhas memórias de adolescente, se isto era coisa para ter piada, mas não, não achei que fosse, nem com 15 anos nem agora, só me apeteceu chegar ao pé delas e mandar-lhes duas valentes "bofatadas" pelo grande disparate! Olha se me calha uma assim daqui a 10 anos?!

02 dezembro 2008

A Mafalda não está melhor, continua sem febre mas muito ranhosa e com tosse. Esta manhã, fez questão de acrescentar à lista de maleitas um belo galo na testa, terceira cabeçada pelo terceiro dia consecutivo. Pai Natal, era um capacete para a Mafaldinha! :S

Sim,...

... o dia de hoje está a custar muito! Além do frio que está e da pouca vontade para trabalhar, dói-me a garganta e os meus são dois cubos de gelo desde que saí de casa! :((

01 dezembro 2008

Nestes dias VI

Habituei-me muito mal a estar em casa, no quentinho, com as minhas meninas e o maridão, amanhã vai doer tanto, taaaanto, buáaaaaa!

Nestes dias V

Hoje cumpriu-se a tradição da casa e montámos a árvore de Natal, este ano em versão XXL, 2,40 m de árvore!


Há mais de uma semana que a Camila andava a chatear para montar a árvore mas a regra, desde que tenho a minha casa, é ser no dia 1 de Dezembro. Não sei é se ela vai chegar intacta ao Dia de Reis, a Mafalda só faz é rondá-la, toca numa bola ali, num sino acolá, com muitos "Aaaai!" de admiração, cheria-me que, ao mínimo descuido, temos árvore no chão, vamos ver!

Nestes dias IV

A Mafalda apanhou uma grande constipação com febre alta no primeiro dia, chegou aos 39,5 ºC! Quase há hora que tínhamos programado sair para o ballet, fomos com ela ao médico, esse fim de dia foi um stress! Passámos pelas urgências mas estava um caos, cheio de gente, ainda ficaria mais doente se lá entrasse. Acabámos por ir a um hospital privado, pagar €37,50 para sermos nós quase a fazer a consulta, ainda tive que lembrar ao jovem doutor para lhe espreitar os ouvidos, estamos mal no público, mas no privado não estamos melhor. Pelo menos, auscultou-a, estava tudo bem nos pulmões e a garganta sem infecção, era apenas uma grande constipação. Entretanto, a febre passou, continua a deitar litros de ranho e sem grande apetite, só espero que não evolua para nada pior, a minha pobre pinguinha! :S

Nestes dias III

Fomos ao ballet e foi lindo! A Camila só soube ao que ía no momento em que viu o programa, minutos antes de começar, e ficou radiante. Ficou extasiada a olhar para tudo, estava sempre a fazer perguntas e reparos ("Olha, o bailarino também faz pé de bailarina!"). Dei-lhe uma pincelada da história antes do bailado começar e ela depois foi interpretando ao longo do espectáculo. Esteve sempre atenta e nunca lhe deu o sono.
Gostei muito de assistir, assim como o pai, que ía um pouco a medo, mas gostámos especialmente da alegria da nossa filha e do brilho que lhe fizemos nascer no olhar!

Nestes dias II

Eu, o pai, a Camila, o primo D. e a madrinha R. fomos ao cinema ver

Achei engraçado, o mais giro mesmo foi ver a Camila e o primo de mãos dadas no "escurinho do cinema", tão ternurentos!

Nestes dias I


O cabelo da Mafalda foi cortado pela 1ª vez, pela tia R., a nossa cabeleireira de sempre! Foram só umas farripinhas na franja, que já incomodavam nos olhos, e atrás, para ficar mais arredondado, ficou ainda mais fofa!