29 outubro 2009

Estou numa formação...

... a ouvir um alemão a falar inglês, que só me faz lembrar o Herr Flick do Alô, Alô!:-D E estou a escrever aqui, portanto podem ver que isto está interessantíssimo!

27 outubro 2009

Quando olho para a Camila com "olhos de ver", apanho sempre um choque. Está grande, enorme! Hoje vi-a a espreguiçar-se na cama, a ocupar quase todo o colchão e, lá está, mais um choque! Está alta, com formas mais cheias, pernas fortes, um rabiosque bem redondo e gira como tudo! Vaidosa com as roupas e os penteados, sempre muito coquette. Cada vez mais teimosa, faz de conta que não me ouve e continua a fazer as coisas como se eu não estivesse a falar com ela, depois encolhe-se quando me vê quase virada do avesso, sempre com um "Eu não vi/ouvi!" ou "Foi sem querer!", quando é tudo menos distracção. O que eu gosto mesmo é quando estamos "em paz", sem guerrinhas, a conversar, ai que delícia, as conversas dela! "Hoje levámos todos azul no comprotamento, à segunda-feira portamo-nos todos bem. Mas depois, à terça, descamamos (descambamos, deve ter ouvido isto à professora), ficamos malucos!!" e continua num blá, blá, blá sem fim, comigo quase sem ouvir, fascinada a admirar e a rir-me para dentro da sua graça de menina crescida.
Até aqui, maravilhavam-me as suas conquistas mais físicas, o cumprir das etapas do seu desenvolvimento como criança. Agora, contemplo o desenvolvimento da sua personalidade, da descoberta dos seus gostos, da formação do seu carácter, do rascunhar do esboço da mulher que ela vai ser um dia. Não consigo deixar de me sentir a envelhecer, mas com uma imensa satisfação interior por ter o privilégio de acompanhar desta forma o crescimento de um ser humano!

"Ó mamã,...

... queria tanto, tanto levar a vacina da gripá!", como se me pedisse um presente de Natal muito desejado!
Cada uma que esta miúda tem! :D

24 outubro 2009

Tradução

Pajanja = Pijama
Ajoja = Camisola
Cocota = Coca-Cola

Não era fácil de acertar, esta pequena inventa cada palavra, até eu me vejo aflita, às vezes! :)

(sim, ela já sabe o que é Coca-Cola e adora, mas raramente lhe põe a vista em cima!)

22 outubro 2009

Mafaldês

"Pajanja"
"Ajoja"
"Cocota"

Alguém arrisca um palpite? :)

"Tá miáta!"

Foi o que a Mafalda me disse quando entrei no quarto dela, pela manhã. Pois estava, toda molhada, ela, a cama, até a coberta, mais um acidente. Normalmente acontece uma vez por semana, mas já há semanas em que não acontece, felizmente, ou aguenta toda a noite ou chama para a levarmos à casa de banho. Hoje, a gaijinha, que não é parva nanhuma, começa logo com risinhos e gargalhadas forçadas, a ver se consegue fazer-nos rir da situação. Disse-lhe que não era para rir, que ela devia chamar a mamã ou o papá, que não tem graça fazer xixi na cama. E ela a fazer risinhos, a tapar a boca com a mão com um ar tipo "ri-te lá do meu teatro, esquece lá isso!". Há hora do almoço, quando a senhora da limpeza lhe perguntou o que tinha acontecido à cama dela, ela volta ao mesmo, a rir e a dizer "A xixi à canha!", como se fosse a maior piada, e a senhora desmancha-se a rir, não dá para resistir. Sabe-a toda, é o que é.

20 outubro 2009

Há 3 dias,...

... as cachopas foram à praia com os avós. Hoje chove que se farta e já falam em neve nas serras para amanhã, de loucos! Alguém que mande arranjar o termostáto deste planeta, se faz favor!

19 outubro 2009

75 anos...

... da minha "vó" materna, hoje! Não teve uma vida fácil, foi mãe aos 17 anos, solteira até aos 20. Depois foi avó aos 40, desta que aqui escreve, e bisavó aos 68, da Camila. É um bocadito chata e mimada, especialmente desde que ficou viúva, e, quando quer, até mázinha, mas também sabe ser querida e é a única avó que me resta, por isso tento aproveitar a sua presença o mais que consigo. É a bisa da Camila e a bibi da Mafalda e hoje vamos cantar-lhe o "Tatabénx a voxê!"! :)
E depois há uma data de blogs que eu costumava acompanhar a encerrar e isto, quer se queira quer não, também desmotiva a pessoa de vir para aqui dizer bobagens (agora era suposto começar uma música qualquer, não é?). Por isso, mas não só, é que este estaminé anda assim paradito...

O espectáculo dentro do espectáculo

Ontem a Camila teve espectáculo de dança, a repetição do espectáculo de Julho, mas noutro local. Correu-lhe bem, estava concentrada e a fazer as coreografias com gosto, mesmo que, às vezes, um pouco desacertada com as outras, mas isso são pormenores, vá! O verdadeiro espectáculo foi dado pela Mafalda durante o intervalo. Colocaram música de dança e isso é que foi vê-la, no espaço à frente do palco, num sacudir de ancas, num sem número de poses ao ritmo da música, a abanar-se toda, inspirada pelas coreografias que a irmã costuma fazer em casa e pelas que tinha já assistido no espectáculo, enfim, uma comédia. As pessoas das filas da frente que conseguiam vê-la alternavam entre a boca aberta de espanto por ver um piolhito tão pequeno a dançar assim e as gargalhadas que as suas poses provocavam. Até eu, que já costumo vê-la dançar em casa, me surpreendi com o seu sentido de ritmo e o à-vontade perante a "assistência" que a aplaudiu com entusiasmo. Acho que temos estrela, temos! :)
Quando muitos pensamentos se atropelam na minha cabeça e não vejo ninguém à minha volta que possa ouvi-los sem me dizer o que já sei que vão dizer e que, se calhar, não entendem que eu só quero falar, não quero ouvir, a solução é falar comigo mesma. Falo mentalmente, argumento de um lado, argumento do outro, faço uma grande salada com as minhas ideias. Às vezes, fico bem, outras vezes, como agora, fico pior, tudo misturado, desejos, receios, opções, expectativas. E depois venho aqui escrever coisas sem jeito no bolg sobre as pequenas, 'tá mal!

14 outubro 2009

Flashback

Ontem comecei as aulas de natação com a Mafalda. Ela estava um pouco rabujenta, queria tirar o fato de banho, não queria a touca na cabeça, mas, assim que entrou na água, foi uma alegria! Eu só a segurava pela cintura e ela "nadava" atrás da bola que a professora lhe tinha dado, batia na água para chapinhar, toda feliz. A primeira vez que a virei de frente para mim, senti um baque no peito. Era a minha Camila com dois aninhos que eu voltava a ter nos meus braços! Tão igual que faz impressão, até a professora, que foi a mesma da Camila quando ela começou a piscina aos 18 meses, comentou o mesmo.
Foi uma delícia ver a alegria da Mafaldinha na água, ouvir as suas gargalhadas de cada vez que me mandava água à cara e sentir o tempo a voltar atrás. Raios, porque é que elas têm que crescer?!
:)

13 outubro 2009

Há 15 anos...

... perdi o meu primeiro avô, o paterno. Até aos 19 anos, tive a sorte de ter a companhia dos 4 avós acompanhando os meus aniversários, natais, etc. O meu avô Manel era um homem alegre, é engraçado como já não me lembro de muitas coisas dele, mas a recordação do som da sua gargalhada está bem gravada na minha memória. Teve 9 filhos, tendo perdido a primeira em bebé, conheceu 15 netos e teve também a infelicidade de sepultar um deles. Era um homem muito conhecido por estes lados pois dedicou-se, durante muitos anos e até a doença o permitir, a organizar excursões por todo o país. Do que ouço, era um homem um pouco duro como marido e como pai, na fase mais jovem, mas talvez porque as circunstâncias de ter que criar 8 filhos o obrigassem a isso. Como avô, era pacífico. Tinha uma Vespa azul e todos lutávamos por um lugar nela quando estava parada no pátio. Cabíamos 3 no assento e, com sorte, ía mais um em pé agarrado ao guiador, fartávamo-nos de dar passeios virtuais. À séria, só andei uma vez, em que ele me foi buscar à escola primária, nesse lugar em pé, sem capacete nem nada, com os olhos a chorar da deslocação do ar, giro! Na sua fase final, mais paradito, deixava as minhas primas mais novas fazerem-lhe totós nos cabelos brancos, porem-lhe ganchos, não se chateava nada, só se ria.
Entretanto, as doenças apanharam-no e, ao chegar de um dia de aulas em Coimbra, recebi a notícia da sua morte, faz hoje 15 anos. Um dia, ainda voltaremos a andar juntos de Vespa azul...

12 outubro 2009

Fico exausta, logo à segunda-feira de manhã, depois de mais uma batalha contra a molenguice da Camila. Quase todas as manhãs é isto, um desespero. Fico com dor de cabeça para o resto do dia, pela camada de nervos que apanho, pela força que faço para me conter e não desatar logo à palmada, pelos gritos em surdina para não acordar a pequena, por acabar por chegar à palmada e a dizer coisas muito feias, por me sentir um traste por me ter descontrolado perante a pessoa que mais amo no mundo e para quem eu queria ser um exemplo, por ver que todo este desgaste não resulta em nada pois parece que ela nem me ouve, continua na mesma velocidade devagar-devagarinho. Ela fica assim quando dorme menos do que o normal, ontem deitou-se às 10 da noite e hoje estiquei a corda e acordei-só às 8 e 10, mas depois exijo que ela dê corda aos sapatinhos. Especialmente porque ao sábado e domingo acorda às 8 da manhã, fresca que nem uma alface, para ir ver televisão!
Eu também preciso de dormir mais, é meio caminho andando para ter mais paciência, sei-o bem. E ela tem que ir para a cama às 21 e acordar às 7 e 40, no máximo, só assim posso deixar de ter estas manhãs horrorosas.

08 outubro 2009

Para verem como o nickname Mafarrica lhe assenta que nem uma luva, passo a relatar o que aconteceu ontem à noite.
Estamos as 3 no quarto da Camila, na hora de deitar, já depois da história contada. Digo-lhe:
- "Vá, Mafalda, dá beijinho de boa noite à mana."
Ela, num repente, atira um "Não!" e uma "bolachada" de mão cheia na cara da irmã, que fica sem reacção, coitadinha. Ralhei-lhe e mandei-a pedir desculpa à mana. E ela:
- "Não!", de sobrolho franzido e cara de peste.
- "Mafalda, pede desculpa à mana, já! Fizeste dói-dói e a mana está triste!"
- "Não!", e tapa a boca com as duas mãos, tipo "não digo, não digo e não vais conseguir obrigar-me!"
- "Mafalda, ou pedes já desculpa à mana ou não te vou ler a história do ursinho!" (anda apaixonada por um livro de contos que deram à irmã, que tem ilustrações muito coloridas e na capa tem um urso, quer que lhe leiam a "tóia do uxinho" a toda a hora, especialmente antes de ir para a cama)
Ela transfigura-se, mete o ar mais angelical do mundo e diz, muito, muito baixinho:
- "Pupa."
- "Hã? Não ouvi nada."
Diz então mais alto, a sorrir para a irmã:
- "Pupa" e dá uma grande beijoca no olho da irmã, onde lhe tinha acertado. E depois mais uma e mais uma, até desatarem as duas a rir e aos abraços.
Estou tão lixada com esta miúda! :)

07 outubro 2009

Mafaldices

No fim-de-semana, quando a sentávamos no carrinho de passeio:

"Mamã, puta a mim!"

(puta= empurra)

:)
Ao fim de duas semanas sem chupeta, eu já noto diferença nos dentinhos dela, os incisivos centrais de cima já estão mais alinhados com os do lado. Ela já se conformou, no fim-de-semana ainda falou dela quando lhe deu o sono no carro mas lembrei-a que ela a tinha trocado pela Minnie e lá lhe passou. No feriado, viu o priminho M. com a chupeta e estava sempre a pô-la na boca dela, tipo "guarda-a bem, que ainda ta tiram, como me fizeram a mim!". :D

06 outubro 2009

Norte Alentejano...

... foi o destino escolhido para o fim-de-semana que passou. Bem instalados em Alter do Chão, no sábado visitámos a Coudelaria de Alter-Real, um sítio rico em História, onde vimos muitos "balitos" (cavalitos) e uma demonstração muito interessante de falcoaria. Almoçámos no Crato e ainda visitámos Portalegre. No domingo, rumámos a Marvão, onde encontrámos uma feira islâmica cheia de colorido, e fomos almoçar a Castelo de Vide, visitámos o castelo e o museu instalado na antiga sinagoga da comunidade judaica que existiu outrora na vila. Depois, ala para casa porque ontem já foi dia de trabalho para o pai da casa.
A Camila, de vez em quando, começava a refilar que estava cansada, que lhe doíam as pernas, que não gostava de férias assim, que só gosta de férias de hotel como as de Cabo Verde, enfim, uma chata! Mas acompanhava-me sempre quando eu subia às muralhas dos castelos, e voltava a ir se o pai decidisse fazer o mesmo, e fartou-se de fazer perguntas, acho que ela acaba por gostar e aprender alguma coisa nestes passeios. Já para a Mafalda, é mais cansativo do que proveitoso mas não fica mal-humorada e já aprecia muita coisa. Eu e o pai... ficámos a pensar que também teria sido um fim-de-semana bem passado se tivéssemos ido só os dois, eheheh... ficará para uma próxima.
Na sexta à tarde, a Camila teve mais uma consulta de otorrino no Hospital e teve alta, tudo limpinho e sarado. No fim-de-semana começou com um pouco de tosse, espero que estas mudanças de tempo não tragam já o primeiro teste às suas resistências. :(

01 outubro 2009

Camilices

À hora do almoço, estava a ajudá-la a apertar as calças e reparo:

-"Olha, puseste o cinto ao contrário!" (no sentido inverso ao que eu lhe tinha colocado há uns dias)
- "Pus, assim dá-me mais jeito para abrir a manivela!


LOL