31 dezembro 2009

Um feliz 2010...

... é que desejo a quem passa por aqui, que o melhor deste 2009 seja o pior do novo ano! Saúde e sorte!

Década 00

Casei 6 dias antes dela começar, talvez com medo que realmente acontecesse o fim do mundo e eu solteira :). Na viragem do milénio, morre um amigo de infância, a milhares de quilómetros de distância. Morre a minha avó paterna. Começo a construção da minha casa. Engravido. Fico efectiva no meu emprego. Mudo-me para a minha casa. Tenho a minha primeira filha. Coloco aparelho nos dentes. Sou operada à cara. Adio a segunda maternidade. Sou madrinha de casamento. Sou operada à cara outra vez. Retiro o aparelho dos dentes. Crio a Arca dos Tesouros. Vou à República Dominicana. Engravido. Morre o meu avô materno. Casa o meu irmão. Tenho a minha segunda filha.
Marcas da minha década, a mais rápida da minha vida.

30 dezembro 2009

As passagens de ano da minha infância foram grandes festas. Na cave da casa dos meus pais, juntavam-se umas quantas famílias, à volta de 40 pessoas ou mais, cada um levava qualquer coisa de comida e bebida, montava-se a aparelhagem com gira-discos para se dançar o "Vamos à la playa" e outras desse tempo, sem faltar a dança da vassoura para roubar o par, compravam-se uns foguetes para os homens lançarem à meia-noite e a festa durava pela madrugada fora, com alguns já bem bebidos que faziam rir os outros até às lágrimas. Nós, os pequenos, brincávamos e pulávamos e o objectivo era deitarmo-nos o mais tarde possível para contar aos amigos quando voltássemos à escola.
Era tudo mais simples, mais espontâneo, sem pressões de impressionar os outros, as pessoas queriam divertir-se, ponto final. Hoje não é fácil acontecer uma festa desta forma, por mais chegados que sejam os amigos ou família, acho que se peca pelo excesso de tudo, de ter tudo muito bem preparado, tentar sempre superar a festa anterior, muitas preocupações para prevenir qualquer tipo de falha, chega-se à hora da festa estafada... Perde-se um pouco o gozo do momento, o prazer de se estar com as pessoas, o puro divertimento. A mim acontece-me, mais do que eu o desejaria.

Ora digam lá se a cachopa não tem olho? :)

Um dia destes, a Mafalda seguia atentamente a publicidade na televisão e eu estava um pouco distraída, até que a ouço dizer "Hello, Jóche!" em simultâneo com o John Malkovich no anúncio da Nespresso. Ri-me e disse-lhe:
"O Jóche é giro, não é?"
Ela sorri e diz: "É, é."
Um ou dois dias depois, a mesma cena: "Hello, Jóche!". Acaba o anúncio e vira-se para mim:"O Jóche é um pínpexe!" (o George é um príncipe!), com um grande sorriso embevecido. Um bocadinho precoce, esta minha filha, mas não há dúvida que, no bom gosto, sai à mãezinha! ;)


Aiii, Jóche!

29 dezembro 2009

Que miséria,...

... olhando ali para o arquivo, estou a ver que nem aos 200 posts chego neste 2009!

28 dezembro 2009

Para comemorar as nossas Bodas de Estanho,...

... largámos os presentes espalhados pela sala, deixámos as crias nos avós e fizemos um retiro rapidinho mas muito agradável num hotel com spa não muito longe de casa. Foi uma descoberta porque nunca tinha estado num spa, adorei e o marido também! Depois de duas horas e meia a alternar entre sauna, banho turco, jacuzzi, piscina, chuveiros sensoriais e espreguiçadeiras, tivemos uma massagem em simultâneo, de quase uma hora, em que eu só pensava:"Eu nasci para isto!", fabuloso! Depois, um jantar requintado e delicioso no restaurante do hotel e... o resto não vou contar, é claro! ;)
Voltamos para casa ontem, revigorados e cheios de saudades das nossas princesas. O spa é uma experiência a repetir, sem dúvida! :)

26-12-2009, 10 anos

Há 10 anos atrás, repetimos, à frente de todos os que nos rodeavam, as promessas que fazíamos um ao outro durante os quase 10 anos anteriores. Para marcar a data, cravei na minha aliança uma pedra cujo brilho reflecte o amor que cresce e se renova, dia a dia. Será uma por cada década, a celebrar a felicidade de estarmos juntos.

Pois que já se passou o Natal...

... e eu nem consegui vir aqui colocar os meus votos de Feliz Natal a quem por aqui passa, tal foi a correria! Natal bem passado em casa do mano, a 70 km daqui (tanta tralha para passar uma noite fora de casa! :D), com um regresso a casa com o carro ainda mais carregado de tantas prendas que as pequenas receberam (e de tantos doces que se comeram!). Houve visita do Pai Natal, de barriga muito "inchada", óculos escuros embaciados e cabo de vassoura a servir de bengala, mas a Camila já não se deixou enganar, o mito está a cair aos poucos. A Mafalda encolheu-se toda mas não deixou de aceitar as prendas que o Pai Natal lhe estendia.
Para o ano há mais! : )

22 dezembro 2009

As pequenas...

... estão contentes com o/a priminho/a, cada uma à sua maneira. A Camila não teve uma reacção muito efusiva, acho que ficou dividida entre o "Que bom, um priminho!" e o "Eia, mais um para me roubar mais um bocadinho de atenção!" (é um problema para quem foi filha única, neta única, sobrinha única durante mais de 4 anos!), mas acredito que vai delirar quando tiver o bebé no seu colo, ela é muito carinhosa com os priminhos mais pequenos que têm nascido entretanto.
Quanto à Mafalda, ri-se quando fala do "bebé a titi tem a baída, tá a faxêle nã-nã, é nininho!", é capaz de lhe custar um bocadinho (grande!) repartir a atenção que tem dos avós e dos tios com o/a priminho/a mas, com 3 anos feitos, penso que não teremos que recear (muito) que ela o/a atire do berço abaixo ou outras manifestações do género, de intenso "amor" de prima! :D

Agora já posso dizer aqui...

... qual foi esta notícia espectacular: vou ser titi, yeahhh!!! Mano e cunhadinha grávidos, primeiro sobrinho de sangue (já tenho outros de coração), a nascer em Junho, talvez próximo dos 3 anitos da Mafalda, quem sabe...
A mesa da casa dos meus pais começa a ficar pequena para toda a família!:))

18 dezembro 2009

Se há coisa que me chateia...

... é apanhar-me a ser parecida com o meu pai ou a minha mãe em certas coisas. Sigo algumas coisas que me ensinaram como linhas de orientação para a educação das minhas filhas, mas há certas coisas que eu não gostava de me parecer com eles. Especialmente quando é um deles que me alerta, sem querer, para isso. Isto porque, hoje de manhã, à semelhança de todos os outros dias da semana, estava a berrar com a Camila devido à sua lentidão, torra-me a paciência e começo o dia em altos decibéis. O meu pai, que tinha vindo buscar a Mafalda, diz-me, entredentes: "Eh pá, não tens paciência nenhuma com a garota!"
What?! O Sr. Sem-Paciência-que-berrava-assim-que-a-sua-ordem-não-era-cumprida a chamar-me à atenção?! Ainda lhe respondi que não tinha grande moral para estar a falar, ao que ele respondeu que eu tinha obrigação de ser melhor do que ele! A chatice é que, pensando bem, ele até tem razão mas a carga genética da parte dele, às vezes, ganha ao meu auto-controlo. :S

17 dezembro 2009

Uma das coisas...

... que faço desde sempre com a Camila, e agora também com a Mafalda, é incentivar a poupança de água. Chamo sempre a atenção se há torneiras abertas tempo de mais e faço o discurso de que " se um dia a água acabar no Mundo, porque gastamos de mais, como vai ser?! Não conseguimos viver sem ela!" (é dramático para elas? talvez, mas não deixa de ser verdade e eu acredito que, se houver um fim da Humanidade, vai ter a ver com a escassez de água).
Isto tudo porque ontem a Camila contava-me que tinham estado a fazer a carta ao Pai Natal na escola.
"Ah sim? Então o que pediste?"
"Só podíamos pedir 3 brinquedos, pedi um quadro, uma máquina de fazer tranças e uma boneca." (por acaso, vai receber a máquina de fazer tranças, é a única coisa das 3 que vejo que gostava de receber, o resto foi só para encher porque já tem).
"E só pediram coisas para vocês, não fizeram um pedido assim para o Mundo todo?"
"Ehh, não, foi só para nós."
"Então se pudesses pedir qualquer coisa para o Mundo todo, o que é que pedias?" (à espera de ouvir brinquedos para os meninos todos ou coisa assim)
Resposta prontíssima: "Pedia que não acabasse a água!"

Posso dramatizar de mais, mas parece estar a fazer algum efeito! :)

16 dezembro 2009

Bom, bom,...

... era que o Natal fosse mesmo mágico e eliminasse o sofrimento de qualquer criança no Mundo. Há uns dias, vi a reportagem sobre umas crianças de São Tomé e Príncipe que vieram até Portugal para serem tratadas de problemas de saúde que, na sua terra, não teriam tratamento. Quando vejo situações assim, questiono-me do porquê as minhas filhas terem tido mais sorte do que aquelas crianças, só por nascerem num país em que existem cuidados de saúde (nem sempre os que achaos ideiais, ainda assim), é muito triste haverem crianças condenadas à nascença só por nascerem no sítio onde nascem. É muito triste não conseguir fazer nada ou fazer muito pouco para mudar isso...
Milagres da Natal?! Era este, o meu pedido.

Quando o Verão não se estendia até Novembro,...

... eu chegava a Dezembro com as compras de Natal praticamente feitas. Com o tardar do frio, não há espírito natalício/consumista que se aposse de mim, faltam 8 dias e ainda tenho umas quantas coisas por comprar. :S

15 dezembro 2009

Esqueci-me de mostrar...

... o que tenho em mãos desde a semana passada:

Agora é esperar que chegue ao dia 2 de Outubro do próximo ano e que não me tenha esquecido do sítio onde os arrumei! :)

11 dezembro 2009

A mim,...

... que trato todos os meus familiares por tu, pais, avós, tios, primos e não considero que isso seja falta de respeito, faz-me "espécie" os pais e os filhos que se tratam por você, acho tão impessoal!

Um dia destes,...

... falávamos, entre amigos, de como é difícil educar, das diferenças entre a educação que tivémos e a que estamos a dar aos nossos filhos. Na nossa educação, encontramos coisas com as quais não concordamos, que nunca faríamos assim e que, na altura, nos causaram a nós, filhos, sentimentos de frustração, de injustiça e até de raiva para os nossos pais. Agora, morremos por dentro só de pensar que os nossos filhos possam ter esses sentimentos em relação a nós. Será que os nossos pais não tinha esse medo? Sentimo-nos, agora, adultos mal formados por nos ter sido recusado um presente que tanto queríamos ou outro desejo qualquer? Ao atendermos à quase totalidade dos pedidos dos nossos filhos, ao dispôr a nossa vida em função deles, que todos, mais ou menos, fazemos isso, estamos a fazer o melhor por eles a longo prazo?
Uma amiga dizia-me há tempos que não pensa ter filhos, não se vê capaz de educar, que tem medo da responsabilidade e que não conseguiria ser como eu, ter pulso. Fiquei surpreendida, não me acho tão dura assim porque sempre me comparei com o modelo de educação dos meus pais. Às vezes, até me deixo levar por elas, as crias, consciente que estou a ceder porque é tão mais fácil! Admito que, na maior parte do tempo, sou uma mãe chata, que luta para que hajam regras e para que estas sejam cumpridas, que defino limites em quase tudo, menos nos afectos, e que tudo isto me dá uma grande trabalheira e uma dorzinha no coração quando vejo olhitos desiludidos porque "a mamã não fez o que me estava a apetecer tanto, tanto agora, já, neste momento!". Mas estou convencida que esta é a melhor maneira de ajudar a formar as mulheres que as minhas filhas vão ser um dia.

10 dezembro 2009

Mafalda, 2 anos e meio

Dois anos e meio de intensa paixão por aquela pulguinha eléctrica que me desarma com o seu sorriso maroto, desafiador, cujas lágrimas grossas que rolam pela sua carinha quando a contrario me derretem por dentro e quase que abalam a firmeza dos meus princípios de educadora, que nos seus braços pequeninos me aninha e me faz sentir pura felicidade.

07 dezembro 2009

Zig Zag ao vivo

Ontem fomos até ao Pavilhão Atlântico ver o espectáculo do Zig Zag ao vivo. As pequenas gostaram, aplaudiram, foi um mimo ver a Mafaldinha a bater palmas ao ritmo das músicas. Não tenhoa companhado na televisão o trabalho do apresentador Pedro Leitão mas pareceu-me ter algum jeito.
Fomos lanchar ao Vasco da Gama, onde já tínhamos almoçado, e eu cheguei à conclusão que sou mesmo campónia, não tenho paciência para tanta gente em todo o lado e demorar tanto tempo para fazer seja o que for, desde ir à casa-de banho ou comprar um café, acho que definharia se algum dia tivesse que viver numa cidade grande!

01 dezembro 2009

E hoje...

... é dia de fazer árvore de Natal e presépio, a vontade não é muita mas a "melga" maior não se cala! :)

Mafalda a folhear o catálogo de brinquedos do Continente:

"Olha o Biquéi, a mim quélo! Oi, o Nóni, a mim quélo! A mim quélo o catélo da pinxesa! Um popó um bebé, a mim quélo! A mim quélo, a mim quélo, a mim quélo....!"

Isto com 2 anos, nem quero pensar como será daqui a um ano ou dois! :o