26 maio 2011

E nomes?Uiiiii...

... que essa parte está tão difícil! É a única coisa que me faz ficar tentada a saber o sexo, facilitava-me a vida, só tinha trabalho a pensar num nome. De menina, é complicado, de menino, complicado é, até ver, não há nenhum nome que eu ouça e, tcha-nan!, é este mesmo! As sugestões das manas são os nomes dos colegas todos da escola, lol! O que vale é que ainda temos tempo para pensar no assunto...

Lá porque é rico, famoso e tudo e tudo,...

... porque é que pensa que está acima da lei e, pior, como é que desafia o perigo, ao viajar de carro com o filho e o sobrinho ao colo?, pensei eu no outro dia, ao ver o Cristiano Ronaldo a chegar à Madeira com a família. Enfim...

25 maio 2011

Se eu ganhasse 50 cêntimos...

... por cada vez que ouço "Ah, agora é o rapazinho, não é?", já tinha um mealheiro bem recheado! Começo a cobrar, que dizem?

24 maio 2011

Ontem foi a estreia da Mafalda...

... nas idas, com os avós, ao encontro anual dos pára-quedistas em Tancos, tal como a mana foi enquanto andou no jardim de infância. Adorou a experiência, vinha toda tostadinha do sol e cheia de coisas para contar, os aviões, os pára-quedistas a cair do céu, os exercícios com os cães, o almoço de pic-nic. Já é tu-cá, tu-lá com os amigos do avô que costumam passar lá por casa de vez em quando, e hejo perguntava quando é que vai outra vez à "teropa". A mana é que ficou cheia de pena de não ir mas, na escola primária, já não se pode faltar quando se quer, pelo menos esta é a política cá de casa.

Ontem soube os resultados...

... do rastreio bioquímico, está tudo bem. E, por isso, quer o meu obstetra quer o médico que fez a ecografia das 12 semanas, com reputação reconhecida na área, consideram que não é necessário fazer a amniocentese, que só o factor "idade > 35 anos" não justifica. Explicaram-me que, em cada 4 casos de Trissomia 21, apenas um acontece nessa faixa etária e que, não havendo nada de suspeito na ecografia das 12 semanas nem no rastreio bioquímico, não se justifica fazer a amniocentese, ainda para mais por ter um risco de aborto associado, e que esta é a política seguida noutros países europeus. Com estas opiniões e com o que li sobre o assunto, estou descansada, na medida do que é possível ficar descansada numa gravidez, pois os medos e os receios aparecem sempre, mesmo sendo a 3ª, e acredito que vai estar tudo bem com o meu bebé!

18 maio 2011

Agora a Camila diz...

... que quer ir para os Escuteiros. Tem lá umas amigas da escola e que gostam daquilo e que também vai gostar, etc, etc. Eu não tenho nada contra, nunca andei nos escuteiros mas sempre tive curiosidade, a tia MJ é super-aficionada e recomenda vivamente e eu acredito na recomendação. O único senão é o tempo. É a escola, a dança, a natação, a catequese... preenchendo o sábado à tarde com o escutismo, fica apenas com o domingo livre, isto quando não tiver actividades. Já a avisei que, se entrar, tem que continuar, não é para desistir ao fim duns tempos. Mas ela está convicta que vai gostar e que não vai desistir, vamos ver...

Hoje de manhã,...

... o bebé teve direito ao primeiro carinho expansivo da mana mais velha, a mais nova já tinha feito festinhas muitas vezes mas a Camila não. A barriga já começa a fazer-se notar, talvez por isso ela sentiu-se impelida a abraçar-me e a fazer festinhas na barriga, com o ar mais carinhoso do mundo. Eu dirigi-me à barriga e disse: "Estás a ver, bebé? Esta é a mana grande!" e ela fica toda inchada, a rebentar de orgulho. Acho que lhe custa bastante perder mais um bocado de "palco" pela 2ª vez mas qualquer ciuminho que possa aparecer será vencido pela natureza doce da minha princesa, de certeza.

17 maio 2011

E já estamos em "countdown"...

... para os 4 anos da Mafaldinha! Mentalmente, já se vai contando os convidados, preparando a ementa, imaginando o bolo, que ela quer que seja da Kitty... só não consigo é preparar-me para o facto de que ela JÁ vai fazer 4 anos, a minha pinguinha! Ai, aiiiii...

11 maio 2011

As reacções

Das manas:
Disse-lhes, com elas no meu colo, que tínhamos uma surpresa: íam ter mais um irmão ou uma irmã, que eu tinha um bebé na barriga, para a Mafalda entender logo. A reacção dela foi levantar-me a camisa e dizer "Não tens nada!" (porque a barriga estava pequena), lol. A Camila reagiu menos bem ao início: "Oh, não, outra vez não!", quase a querer chorar, mas, ao mesmo tempo, a sorrir. Disse que não queria, que já chegava uma para a chatear, etc, etc. Dei-lhe um grande abraço e disse-lhe que a "culpa" era dela, que é uma filha tão linda e maravilhosa, que não resistimos a repetir a dose uma e outra vez. Acalmou e, daí a 2 minutos, já andava a escolher nomes para a criança e a fazer contas das diferenças de idades ("eu tenho 8, a Mafalda vai ter 4... quando eu tiver 12, vão ter outro filho?! LOL). No dia seguinte, contaram logo às amigas e professoras, todas eufóricas. Agora, andam as duas cheias de mimos para a mamã, quando estou mal-disposta à noite, a Mafalda toca na barriga e diz: "Porta-te bem, bebé!", um doce!
Da restante família: se alguém ficou a pensar que somos uns "gandas" malucos por ter 3 filhos (embora nunca tivéssemos escondido que era o que desejávamos), disfarçou bem porque todas as reacções foram óptimas, algumas de grande euforia mesmo, o que nos enche de satisfação. Tal como a Mafalda tem o primo S. dois meses mais novo, este bebé também vai ter uma priminha 2 meses mais velha, companhia para brincadeiras não vai faltar!
Agora é aproveitar ao máximo cada dia desta viagem, esquecendo os incómodos e gozando os prazeres desta última gravidez.:-)

Pois que temos o 3º rebento a caminho,...

... completando aquilo que sempre sonhámos, eu e o pai, como a nossa família! Mas não foi fácil, foi uma luta de 18 meses até conseguirmos o nosso pequenino "troféu". Ciclos desregulados, toma de medicação, mudança de ginecologista, análises a mim e ao pai, mais medicação, contagem de dias, stress, cada vez mais stress, até que começo a convencer-me, no início do último ciclo, que mais vale desistir da ideia. Que, se não aconteceu num ano e meio, é porque não é para ser, que estou muito bem com as minhas duas princesas, que a minha ansiedade acaba por me tornar rabujenta e quem sofre é quem está à minha volta e que não merece, e este ciclo que nunca mais acaba, já lá vão 7 semanas, vou mas é ligar ao médico para ver o que se passa, que, de certeza, não estou grávida porque não me dói o peito nem enjôo nem nada, mas isto não ata nem desata, de qualquer forma deixa cá estragar mais uns euros num teste de gravidez só para confirmar que não estou grávida e... PUM! Duas riscas. Duas riscas?! Hã? Duas riscas! Não pode! Estou grávida! Olha, agora que eu já estava de cabecinha feita, que estava convencida que não ia acontecer, aconteceu. Surpresa, incredulidade, euforia, grande euforia!
Dois dias depois, fui ao médico que encontrou na ecografia uma lentilhazinha (não chegava a ser feijão) de 2 mm e tal, correspondente a 4 semanas e picos, longe das 7 semanas de calendário (eu já disse que tinha ciclos completamente malucos, não disse?). Nos dias seguintes, lá começa o peito a inchar e a doer (o sintoma que eu esperava) e, entretanto, começam as digestões difíceis, dores de estômago e enjôos à noite (sim, os meus não são matinais, são noctívagos).
Esperamos pela eco do 1º trimestre para divulgar a notícia, queríamos que fossem as manas as primeiras a saber. Agora já somos 5 aos olhos de toda a gente e é tão bom tão bom! :-)

06 maio 2011