30 dezembro 2011

2011? Para mim, foi um ano em grande!

Eu sei que tudo o que nos rodeia transpira pessimismo e há situações de vida realmente graves, felizmente não tenho nenhuma próxima, mas, nesta fase da minha vida, não consigo tirar as lentes cor-de-rosa, ou melhor, azuis, da frente dos olhos. Estarei a enterrar a cabeça na areia, estarei a ser positiva de mais, será errado pensar que vai custar mas vamos conseguir dar a volta a isto? Neste momento, é assim que penso, devo estar toldada pelo efeito "recém-nascido ao colo", que afasta tudo o que é nuvem negra de perto de mim, mas é o que sinto. Em 2011 consegui concretizar um grande sonho da minha vida, que já perseguia desde 2009, que me custou muitas lágrimas de desespero mas que, entretanto, já me proporcionou tantos momentos de felicidade. Vai ser difícil criar 3 filhos nos anos que aí vêm? Pois é capaz de vir a ser, mas conto com todo o amor que nos liga aos 5 para nos ajudar a enfrentar as adversidades e fazer ver, aos olhos de cada um, o que é realmente importante.
Para 2012, apenas desejo saúde, para mim e para os meus, para vós e para os vossos, pois este é o bem mais precioso que dinheiro nenhum pode comprar. Feliz Ano Novo!

No dia 26...

... completámos 12 anos de casados, as bodas de seda. Conseguimos duas horinhas para almoçar a dois, desligar um pouco da criançada e confirmar que aquilo que nos levou a declarar perante Deus e o mundo que ficaremos juntos, de preferência para todo o sempre, não difere daquilo que nos une hoje, está ainda mais intenso e bem acompanhado pelo amor que temos aos nossos filhos.
Uma dúzia já está, venham mais e cada vez melhores!

24 dezembro 2011

Para quem por aqui (ainda) passa...

... e seus familiares, desejo um


23 dezembro 2011

Fico de coração cheio...

... de cada vez que ouço a educadora e a auxiliar do Jardim de Infância ou as monitoras do ATL comentarem como a Mafalda anda alegre, a irradiar felicidade por todos os poros, desde que o Francisco nasceu. Dizem que ela está ainda mais mimosa e que cresceu, está mais responsável porque, como ela diz sempre, "agora sou a mana mais velha do Francisco!". Eu também notei logo essa mudança mas é sempre bom constatar que ela não é visível apenas para os meus olhos de mãe, muuuito subjectivos! :-)

17 dezembro 2011

Um mês de Francisco...

.. e já quase nem me lembro de como era a vida sem estes 4 kg e picos de gente pequenina, quentinha, cheirosa, amorosa, fofa, tão tudo de bom!

12 dezembro 2011

Natal

Árvore decorada no dia 1, como sempre, este ano em tons de azul, a nova cor da nossa vida, e prata
Presépio montado aos poucos, conforme intruções da catequese.
Quase 100 % dos presentes comprados e embrulhados.
Já se pensa nas comezainas para a ceia.
Já se lamenta, de forma conformada, termos o pai cá de casa a trabalhar no dia de Natal.
Sem grande tempo disponível, ainda assim, já vai cheirando a Natal por aqui...

Há 4 anos e tal,...

... era assim.
Agora, um update da "colecção":

Onde se consomem as horas do meu dia:

04 dezembro 2011

Que bem que se dorme...



... na alcofa com os lençóis que eram da mãe, quase com 37 anos e ainda tão bonitos!

02 dezembro 2011

Reacções das manas

Esperava com ansiedade pelo momento da visita das minhas filhas na maternidade, no dia seguinte ao nascimento do Francisco. Elas chegaram junto a mim com os olhinhos brilhantes e sorrisos de orelha a orelha, abracei-as de fugida porque o que elas queriam era ver o mano. Ter os meus 3 filhos junto a mim foi uma emoção intraduzível em palavras, forte de mais. Aguentei as lágrimas firmemente até a Mafalda me mostrar o desenho da "nossa família" que tinha feito na escola:

"O papá, o Francisco, a Camila, eu e tu, mamã!", e o nome escrito pela mão dela "sem ajuda"! "E os meus amigos da escola cantaram-me os Parabéns, mas eu nem levei bolo nem nada!". Foi uma delícia ouvi-la relatar o dia excitante, a alegria em contar a boa nova a toda a gente, o que fez desaparecer o receio que me tinha assaltado umas semanas antes, quando ela amuava de cada vez que alguém lhe perguntava quando é que nascia o bebé. Até agora, o comportamento dela tem-se mantido o de sempre, não noto regressões, temos tentado que a rotina dela não se altere devido ao nascimento do irmão e tudo tem corrido calmamente. Há uns dias, fui levá-la à escola com o mano, ela ía tão feliz que nem se continha, a saltitar e a rir à gargalhada até à porta da escola. Lá dentro, toda inchada, foi chamar os melhores amigos para apreciarem o seu mano, com um sorriso que quase não lhe cabia na cara! :-)
A Camila é uma pequena mamã, uma boa ajuda, está sempre pronta a acompanhar mudanças de fralda, banhos, etc., a querer participar, muito ternurenta com o mano, um doce como só ela sabe ser! Fica toda vaidosa quando lhe digo que ele é parecido com ela em bebé e quando ele a olha, muito atento ao que ela lhe vai dizendo. Quer estar sempre com ele ao colo, volta e meia lá há uma disputa entre elas porque uma pegou mais do que a outra e "ontem foste tu primeiro a pegá-lo!", uma comédia!
Eu?... Eu delicio-me a ver estes "filmes", sentindo-me uma privilegiada por poder acompanhar o crescimento desta relação entre os 3, na certeza que se manterá sempre forte e resistente a tudo, bem cimentada pelo amor de irmãos e fortificada pelo amor dos pais.