24 dezembro 2012

Tanto...

... por dizer, tanto por fazer, tanto por contar, tanto, tanto... Queria contar o quanto sabe bem estar com a Mafalda e deixar-me envolver no seu mundo da fantasia, o quanto dá prazer vencer a luta com a pré-adolescente-Camila-que-já-não-quer-abraços-e-beijinhos e conseguir pô-la a ronronar nos meus braços, o quanto de calor que enche o meu peito de cada vez que pouso os olhos no meu menino Francisco (hoje com um ano, um mês e uma semana), que ainda não anda, só porque não quer mesmo, mas corre o mundo atrás de mim. Tanto que merece ser escrito, registado, partilhado e eu sem conseguir fazê-lo, a desculpa clássica: o tempo não estica. Quero mudar isto, gosto de ler o que escrevi para trás e eles merecem que se registe, para um dia eles terem esse gosto.
Hoje venho desejar aqui, a alguém que ainda se lembre de passar por cá, um Natal iluminado, quentinho, aconchegado, com aquilo que verdadeiramente importa, saúde e amor. O meu vai ser assim, esperando pelo menino Jesus da família, o meu querido sobrinho V. que está prestes a nascer. Feliz Natal!

05 dezembro 2012

Primeira vez na neve...

... para os dois mais novos. Um dia lindo, cheio de sol e sem vento, com uma camada fina de neve mas suficiente para a brincadeira com o trenó. As pequenas brincaram até gelarem, a Camila foi a primeira a desistir, a Mafalda teria ficado na neve até ser noite, estava a delirar, tão feliz, há que tempos que nos pedia para irmos à neve! Espetei dois deditos do Francisco na neve, recolheu logo a mão para dentro da manga a franzir o sobrolho, com uma expressão a dizer "Mas o que é que eu fiz de mal, para me estares a pôr isto gelado na mão?!". Foi um belo passeio, para mim, o grande contra da neve é a "chatice" de fazer frio como tudo, quando fizerem neve quente, ainda sou capaz de alinhar em desportos de Inverno, agora assim... não contem comigo! :-)
 
 


29 novembro 2012

Tem coisas parvas...

... mas tem outras tão doces, como, por exemplo, encontrar um post-it no meu telemóvel a dizer "Gosto muito de ti. Camila".
 :-)

26 novembro 2012

Para o 1º aniversário do Francisco,...



... escolhi como tema os seus peluches, baptizados de "Fanti", o elefante, e "Gi",a girafa, que lhes foram oferecidos pelas manas quando nasceu. Dorme com eles desde então e são uma das suas paixões. Marcaram presença nos convites, na decoração da mesa e do bolinho que fiz com todo o carinho para o meu "Petit Prince". Preparei um pequeno recanto na sala para colocar o bolo e uma decoração muito simples, não houve muito tempo para mais, mas ficou bonito, eu acho.

Já abanam,...

... os dentinhos da Mafalda! Desde a semana passada que anda toda contente por, finalmente, ter dois dentes a abanar, o melhor amigo da escolinha já começou a perder dentes no ano passado e ela andava ansiosa. Eu?! Difícil de me conformar, como sempre que levo uma "chapada" destas na testa que me faz ver o quanto os meus filhos vão crescendo...

18 novembro 2012

O meu menino

O meu menino sorri muito. Sorri não só com os lábios, mas também com os olhos. O meu menino bate palminhas, diz adeus, faz "não" com a cabeça e o dedo em riste, a imitar-me a avisá-lo que não deve mexer. O meu menino mexe, muito, em tudo. É curioso e ávido por descobertas. O meu menino bate com as coisas no chão ou na mesa e observa para ver se se abriram ao meio, para ver o seu interior. O meu menino aquieta o meu coração sempre que se aninha no meu colo, que estica os seus braços para mim, que me olha, inclinando a cabeça para o lado e dizendo "Oiá!" com uma vozinha tão doce quanto mel. O meu menino tem duas irmãs mais velhas e, por isso, veste interiores e pijamas com cor-de-rosa, abraça as Kitty's e a Minnie das manas com adoração e, sempre que lhe tiro uma camisola mais apertada na cabeça, verifico, mecanicamente, se os brincos não foram arrancados das orelhas, como se ele os tivesse. O meu menino adora o avô e faz as delícias da avó e da bisavó no tempo, cada vez mais valioso, que passa com eles. Gosta de comer diospiros do quintal e delicia-se com manga bem madurinha. O meu menino lança um charme irresistível sobre quem ele quer que lhe dê colo. É tanto de doce como de bruto, quando é contrariado, tudo voa à sua frente. O meu menino adora as manas e dá-lhes beijinhos de boca aberta nas bochechas. Observa-as sempre com a atenção e é o espectador mais entusiasta (e o único) dos shows de dança no quarto delas. O meu menino agarra-me os cabelos na nuca, aqueles que doem mesmo, sempre que está no meu colo, e eu gosto. Abraça-me juntamente com o pai e não sei qual de nós fica mais derretido. O meu menino gosta muito de livros, folheia-os na perfeição, página a página. Também gosta no outro sentido, já provou alguns pedacinhos de revista e de livros rasgados.  O meu menino deu, ontem, os seus primeiros passos sozinho, mas não me parece que ande já, tem muita pressa de chegar ao destino, é mais rápido a gatinhar. O meu menino fez ontem um ano e teve um coro de gente que o ama a cantar-lhe os "Parabéns!" às 19:50, a hora dele. Está há um ano fora de mim mas estamos mais ligados do que antes. É a peça que me completou. O meu menino.

17 novembro 2012

Parabéns, Francisco!

 
1 ano. Sem palavras para descrever a emoção deste dia.

13 novembro 2012

Há um ano atrás,...

... terminava o tempo "oficial" da minha terceira gravidez, nunca tinha estado tão grávida. Foi um dia de temporal, cairam pedras de gelo que deixaram mossa no nosso carro. Foi um dia triste porque foi a enterrar a minha tia e madrinha de baptismo. Foi um dia sereno porque me sentia pronta a receber o meu bebé e sentia que estava prestes a fechar um ciclo na minha vida, o reprodutivo ("nunca digas nunca", mas que seja planeado, não). Faltava pouco para receber a minha terceira dádiva de vida e a felicidade que sentia fazia-me flutuar, contrariando a gravidade que fazia pesar o meu imenso barrigão.

Uma -ite das valentes,...

... agora para mim! Uma amigdalite como nunca me lembro, com febre alta, difícil de quebrar, que me fez dormir quase directo de sexta à noite a domingo de manhã. Acordava por pequenos períodos para mudar a roupa molhada, comer uma sopa porque a garganta coberta de pus não deixava passar mais nada e a cabeça a girar não me deixava fazer mais, tinha que voltar à cama. Muito mau. Lado positivo da coisa, gosto sempre de encontrá-lo: menos 2 kg na balança! Já me encontro melhor e praticamente restabelecida, o antibiótico está a ganhar a luta. Mas que não me caia uma destas tão depressa em cima, não tenho permissão para ficar doente assim! :-)

07 novembro 2012

Ando chata e birrenta,...

... nem eu me aturo a mim própria! Resmungo com tudo porque parece-me ter tudo por fazer em casa, apesar do meu homem, que é o melhor do mundo, não sei se já mencionei isso, fazer bastante. Tenho a festa do primeiro aniversário do Francisco para preparar, são as miúdas e o serviço de "táxi" para as suas actividades, são as horas que voam e eu não quero imaginar como vai ser quando voltar ao trabalho sem redução de horário, é a balança que emperrou num número e não há maneira de mostrar um mais baixo... neura, muita neura por aqui! (não falando do ambiente no trabalho, nem vou por aí) E esta neura faz com que eu berre e ralhe e ferva em pouca água e isso não é bom... tenho que respirar fundo!

27 outubro 2012

Troca-tintas

Há coisas que a Mafalda demora a fixar, o que nos faz rir, invariavelmente (para já, não acho preocupante). Troca sílabas de palavras, troca melão com melancia, troca os nomes dos nossos dois cães, troca o nome da tia com o da madrinha, quando quer dizer alguma coisa e fica ali no limbo, sem a palavra sair à primeira, já sabemos que está a tentar decidir a forma correcta mas quase sempre erra. Rimo-nos todos, ela inclusive, e, às vezes, acho que ela faz de propósito para nos rirmos, é a minha palhacita!

Tempos difíceis

Estas últimas semanas têm sido complicadas no meu local de trabalho. Como muitas empresas por este país fora, também esta está a sofrer com a conjuntura actual e viu-se obrigada a encolher a sua estrutura, têm saído pessoas por não renovação de contratos, outras por acordo mútuo e outras por despedimento colectivo. Numa semana e meia, fiquei sem 3 pessoas na minha equipa, num universo de 8... está a ser complicado de gerir, quer em termos de trabalho quer em termos emocionais. Vive-se um ambiente horrível, quem fica sente uma grande incerteza no futuro, a corda no pescoço, esperando a vez em que o nó vai apertar. Além disso, é muito triste ver uma empresa quase centenária, que tem sido o grande pilar da economia da zona, contrair-se desta maneira, com as consequências inevitáveis para as pequenas empresas-satélite. O grande problema, o meu grande medo, é eu e o pai cá de casa estarmos no mesmo barco, em áreas diferentes, embora, para já, não se prevê que sejamos afectados. É desejar ardentemente que o barco atravesse esta maldita tormenta e cheguemos, um dia, a bom porto, neste momento das nossas vidas não vemos outra opção. Vale-me o quentinho do abraço dos meus filhos para atenuar toda a tensão e espantar as nuvens negras que me  perseguem até casa...

25 outubro 2012

Estreia nas "ites":

sai uma otite para o rapazinho cá de casa!

13 outubro 2012

Temos gatinho!

Esqueci-me de registar aqui a última grande evolução na motricidade e que é novidade cá em casa, as manas pouco ou nada gatinharam. No dia 26 de Setembro, o Francisco conseguiu equilibrar-se nos joelhos e mãos, movimentá-los em sequência com êxito e, a partir daí, acabou-se (mais um bocadinho) o sossego, corre a casa toda. Haja calça resistente no joelho!
 

08 outubro 2012

De pequenino se torce o pepino

O meu filho fica estático assim que começa o anúncio da Intimissimi, se não estiver virado para a televisão, torce-se todo e fica fascinado a apreciar... a música, só pode. Ainda não tem 11 meses, será que pode estar a apreciar outra coisa que não a música?!
:-)

E da noite para o dia, acabou-se a mama!

O meu viciado em maminha, que não me podia ver com um decote mais pronunciado que ficava tolinho a dar-me palmadas no peito, não quer mais. Mamou pela última vez na 6ª à noite, no sábado de manhã já não quis. Chegou ao peito, abriu a boca e nem tentou sugar, recuou, pôs-se a olhar para mim com uma expressão que parecia dizer "Mas o que é que eu estou aqui a fazer?!". Ainda insisti um pouco mas começou a chatear-se, a querer fugir do colo e desisti. Já esperava que acontecesse entretanto mas assim, tão de repente, tão radical, nunca pensei. Já tentei mais vezes, de manhã e à noite, com a rotina que tínhamos mas não voltou a querer.
Hoje voltei à pediatra para reavaliar os ouvidos, que já estão no bom caminho, e mostrar-lhe a boca, porque lhe vi uma ou duas aftas nos lábios e associei que também fosse isso que o fizesse rejeitar a mama. Mas a boca não tinha nada por dentro e ela diz que o que se passou com o Francisco é perfeitamente normal, decidiu que não quer mais, simplesmente. O que acontece, às vezes, é voltarem a querer daí a uns tempos o que já é mais problemático porque o leite da mãe acaba-se. Eu fiquei um pouco aflita do peito e espero safar-me sem recorrer a medicação, tenho aliviado a pressão manualmente mas não muito para não estimular a produção, mas parece-me que já está a normalizar. O problema vai ser dar-lhe outro leite, tinha em casa uma lata oferecida pela pediatra mas ele nem prova, atira com o biberão ao ar. Ela diz que não é grave se ele comer bem o iogurte, que gosta muito.
Não esperava que fosse assim, estou um pouco desconsolada, confesso, não por acabar, porque já tem quase 11 meses e sinto que cumpri a minha parte, mas pela forma como acabou. Com a Mafalda foi mais gradual, houve um dia que mamou só uma vez, no dia seguinte não mamou, depois foi mais uma vez, para a despedida e pronto, tudo sereno. Este rapaz não, foi corte total, uma viragem a 180º, de viciado passou a enjoado! Assim seja!

06 outubro 2012

Isto é um blog sobre os meus filhos...

... mas onde, poucas vezes, partilho algumas reflexões minhas sobre outros assuntos. Não gosto de trazer para aqui cargas negativas, é um cantinho que quero preservar e, na maior parte das vezes, opto por ficar sem escrever, quando as preocupações me absorvem e não consigo deixar de pensar nelas.
Ontem, no supermercado, assisti a uma cena que me deixou a pensar. No balcão do peixe, uma senhora, não consegui perceber se era estrangeira ou se tinha um defeito de fala, pois não se entendia o que ela dizia, ía pedindo à peixeira para pesar vários tipos e tamanhos de peixe congelado até ver um valor que lhe parecesse aceitável. Os preços rondavam os € 4... e ela acabou por não levar peixe nenhum, pela reacção dela, era mais do que ela podia pagar. É isto a crise, a triste realidade. Neste momento, não é a minha, felizmente, mas por quanto tempo?! Não concebo a ideia dos meus filhos passaram por privações, não ter meios de lhes satisfazer as necessidades básicas... Tudo o que ouço à minha volta, o que vai acontecendo na empresa onde trabalho, faz-me temer o futuro. E esse temor tem o poder de nos impedir de gozar as pequenas alegrias do quotidiano, de ver o lado bom doutras coisas, de viver.

Balanço da semana: 6 noites mázinhas,...

... para ser simpática. A de terça-feira então, uma desgraça! O pequeno adormecia muito bem, meia-hora depois estava aos gritos, umas noites calava-se com a chupeta e estava a pedi-la com intervalos inferiores a uma hora, outras vezes, como terça, não se calava de maneira alguma, a gritar como se o matassem, e eu a desesperar por não conseguir acalmá-lo de forma nenhuma. A partir das 3 e tal da manhã, sossegava mais mas continuava a choramingar pela chupeta. Durante o dia, andava, em geral, bem-disposto embora mais agressivo e birrento. Não tinha febre, tinha (e tem) o nariz a pingar e a teoria era que tudo era resultado dos dentes que estão a nascer. Já estava a entrar em desespero por não dormir e levei-o ontem à pediatra, que descobriu uns ouvidos inflamados, possíveis causadores de dor forte tipo guinada, especialmente estando deitado. Não justificava antibiótico para já, a estratégia passa por 3 dias de Brufen a ver se passa assim. Certo é que o meu Francisco parece outro hoje, passou bem melhor a noite e dormiu uma sesta de 3 horas, começo a ter o meu bebé "de volta".

27 setembro 2012

O problema...

... é que eu até tenho pena da miúda porque me lembro de ser "tali-qualinho", quando gostava duma série, parecia que era a morte se eu não conseguisse ver! Cheguei a perder um relógio de estimação da minha mãe, o primeiro relógio que ela teve, oferecido pelo meu avô. Numa tarde em que fui chamada para a ajudar na horta, levei o relógio no bolso para, à hora certa, inventar um pretexto qualquer para ir a casa espreitar o episódio das Misteriosas Cidades do Ouro ou do Bel e Sebastião, já não me lembro. Ainda hoje não sei bem o que aconteceu, deve ter-me caído do bolso e a minha mãe teve a sorte de reparar (porque encontrar um relógio minúsculo sem bracelete no meio duma horta cheia de ervas é mesmo muita sorte) e eu dei conta que já não o tinha e fiquei para falecer, muito atrapalhada, esqueci televisão, esqueci tudo. Ao fim do dia, fui confrontada com a asneira, levei o respectivo ralhete e já não me lembro se houve castigo ou não, acho que sim, mas fiquei aliviada quando me apercebi que, afinal, o relógio estava são e salvo.
Resumindo, eu até percebo o desespero dela em querer seguir as séries de que gosta (claro que, nos tempos de hoje, não são os desenhos animados giros que eu via, são as séries do Disney Channel tipo Feiticeiros de Waverly Place,Shake it up! e Hannah Montana), mas não gosto que seja assim e não gosto que a irmã seja obrigada a ver o que ela quer ver (segundo ela, a Mafalda também gosta, pois que remédio, coitada!) e então é uma luta a toda a hora porque queremos reduzir a televisão e queremos que o tempo seja partilhado entre Disney Channel e Jim Jam ou Panda.
Acho que o melhor mesmo é fechar a televisão num caixote, acaba-se a guerra!

Num minuto,...

... está encostada a mim, com um caderno e um lápis nas mãos, a explicar-me o algoritmo da divisão (tem que explicar porque estas modas novas de ensinar as contas não tem nada a ver com o que aprendi), no minuto seguinte está a amuar porque quer ver televisão e eu digo-lhe que só depois de fazer uma coisa qualquer. Num minuto está ao pé de mim a testar a nova máquina de lavar roupa, toda interessada nos menus (tudo o que tenha botões e um visor interessa, claro!), no minuto seguinte chora baba e ranho porque me passo com ela quando, às 16h, já me está a pedir para ver o programa que dá às 21h. E é isto a toda a hora, anda viciada em televisão e as discussões batem sempre na mesma tecla, não sei o que fazer. Quanto mais restrinjo, a ver se ela arranja outros interesses, mais ela fala e pede e chora copiosamente se vê que não vai conseguir assistir aos seus programas preferidos (que são todos, basicamente!). Não sei o que faça...

23 setembro 2012

Ainda do baptismo do Francisco

(agora com imagens de quem sabe do ofício!)
 

A decoração da sala e das mesas
 
 
 
 E o meu "noivinho" lindo
 
 



21 setembro 2012

Pela manhã, soube que a mãe do melhor amigo da Mafalda teve que ir hoje tirar o seu bebé de 22 semanas devido a uma má-formação muito grave do seu coraçãozinho. Que dor, que tristeza...

17 setembro 2012

10 meses...

... e soaram as campainhas de alarme: só faltam 2 meses para o 1º aniversário!!! Vou ali recompôr-me e já venho... (ai)

Alguns detalhes do dia de ontem

A vela e a toalha, bordada por mim.
 
O cartaz das mesas cujo tema foram os brinquedos de menino.


 
As lembrancinhas e o livro de mensagens, saídos das mãos prendadas desta menina, a quem, mais uma vez, agradeço.

Fotos do "noivo"'? Não tenho nenhuma, estou ansiosamente à espera de ver o trabalho da fotógrafa de serviço. :-)


16 setembro 2012

Hoje celebrámos...

... o Baptismo do Francisco. Foi um dia lindo, cheio de emoção para mim, pois este menino é uma dádiva que surgiu na minha vida quando eu, desesperada, pensava que já não tinha direito a ela. Preparámos uma festa simples mas bonita, na minha opinião, com a família e amigos mais chegados, pessoas que nos dizem algo ao coração e que sabemos que estimam muito o nosso filho.  Ele é um principezinho, portou-se assim-assim quando o sono começava a apertar e portou-se lindamente depois de dormir e comer. Os padrinhos estavam babados com o seu afilhado, para ambos foi uma estreia na função e tenho a certeza de que se vão empenhar em cumpri-la da melhor maneira, por isso os escolhemos.
Uma das melhores coisas do dia, para além de viver este momento especial rodeada de quem nos ama, foi assistir a um passe de magia, que trouxe para este lado do monitor uma pessoa virtual que eu sentia conhecer à séculos (foi um dos primeiros blogs que descobri) e que hoje pude abraçar e ver ao vivo. Com o seu talento, a Sandra transpôs a alegria deste dia para as suas imagens e estou ansiosa para ver o resultado final. Pena foi não termos mais tempo para falarmos mais, havemos de arranjar novas ocasiões para isso. Para já, foi muito bom conhecê-la e sentir um à-vontade extraordinário com ela, espero que tenha sido recíproco.
Estou estafada mas muito feliz!

10 setembro 2012

O seu nome do meio é Juan,...

... D.Juan! Não é que o piolho de 9 meses esbanja charme para tudo o que é moça desconhecida que fique ao alcance do olhar?! Há dias, jantámos num restaurante e, a meio da refeição, sentou-se um grupo de pessoas na mesa atrás do Francisco, grupo que incluía duas raparigas de 20's. Acabou-se o sossego! Deixei de conseguir tê-lo virado para a mesa, sempre virado para trás, com sorrisinhos e brrr's com os lábios e olhinhos de apaixonado, esticava-lhes a mão, enfim, um engatatão de 1ª! Elas correspondiam e ele mais tonto ficava! Lá consegui dar-lhe mais umas colheradas de comida mas virava-se de imediato para trás, com um ar de "Então, sentiram a minha falta, miúdas?". Foi uma risada à mesa com as palermices dele e, percebendo que nos ríamos, ainda fazia pior. Entretanto, sentou-se uma família com 2 miúdas mais novas na mesa do outro lado e começou logo a esticar o pescoço para avaliar as possibilidades. Como estavam mais longe, voltou a dedicar-se às suas novas amigas até irmos embora. Quem é que estava babado como tudo? O paizinho, claro, com ar de "nem foi preciso ensiná-lo, está-lhe nos genes!". :-)

Repetidas as análises,...

... resultado negativo para infecção e comentários dos pediatras que o viram no sentido de que é um menino saudável, que o baixo aumento de peso estará associado ao aumento da mobilidade do rapaz e que o doutor do centro de saúde estava à procura de algo que não existe. Pois ainda bem que assim é, ficamos mais descansados.

05 setembro 2012

Dos resultados das análises...

... temos uma ligeira anemia e positivo para infecção urinária. :-( Segundo o médico, o positivo pode ser devido a contaminação da colheita, visto que fui eu que lhe coloquei o saquinho, embora o tivesse lavado bem antes. Ela já tinha advertido que podia acontecer, se desse negativo ficávamos descansados. Dando positivo, há essa possibilidade de contaminação e, para confirmar, fez uma cartinha que vamos levar à urgência pediátrica do hospital cá do sítio para ser feita uma colheita "comme il faut". Acredito que se confirme o positivo porque já por várias vezes tinha comentado com o pai que achava que a urina dele tinha um cheiro estranho, que foi o que me alertou neste episódio com a Mafalda. Mas depois parecia que passava e fui deixando andar... Ele anda bem, mais lindo e bem-disposto e mexido que nunca, vamos ver o que isto dá. 

03 setembro 2012

Já fomos fazer as colheitas para as análises...

... na sexta-feira, amanhã teremos os resultados e serão logo vistos pelo médico. O Francisco foi um valente, choramigou um bocadinho no momento da picada mas bem menos do que chora com as vacinas. Eu vacilei um pouco enquanto lhe segurava o corpo e o pai segurava os braços, veio à minha mente a imagem de pais a enfrentarem aquela situação diariamente, quando os filhos têm doenças graves, o desgaste de verem os filhos a sofrerem, serem picados, examinados... Acredito que, nesses casos, os pais arranjem forças nunca antes encontradas mas, só de imaginar uma situação dessas com algum dos meus filhos, parece que morro um bocadinho por dentro, seria uma dor sem comparação possível...

O sentido deste blog...

... perde-se um pouco para mim, por vezes. Sim, quero registar as pequenas coisas dos meus filhos, as palermices que me passam pela cabeça em relação a esta coisa da maternidade, enfim, assuntos sem interesse para ninguém a não ser para mim e, um dia mais tarde, talvez para eles. E por isso penso: Vou escrever isto para quê?! Não interessa nem ao Menino Jesus! Mas depois há o feedback desse lado que, sendo, no geral, poucochito pois este não é um blog VIP nem fashion nem coisa que se pareça (nem pretende sê-lo, aliás!), é muito bom e aparece nos momentos certos, quando é mesmo preciso.
Isto tudo para agradecer muito pelos comentários do post sobre as curvas, foi uma daquelas partilhas que me fizeram pensar, entre outras coisas, que a Arca ainda faz algum sentido!

Por aqui neva cinza,...

... cheira a queimado, o sol está vermelho e não se ouviam os pássaros pela manhã, como habitualmente. O fogo está a muitos quilómetros mas a sua sombra é grande e assustadora, nem quero imaginar a aflição de quem o tem mesmo à porta. Malditos incêndios e incendiários!

29 agosto 2012

Malditas curvas

São apenas indicativas, mas não deixam de intimidar, especialmente quando se cruzam no sentido descendente. São as curvas dos percentis, essas malvadas. Tenho um lindo menino que come bem, super-activo e bem-disposto, esta é a realidade. Ontem, na consulta dos 9 meses, as malvadas dizem-me que tenho um bebé que, tendo nascido com peso de percentil 50, está praticamente no percentil 10! Ora bolas p'ra isto, o que é que se passa com o catraio?! Enquanto foi só amamentado, aguentou-se e agora, que come sopas e massa e carne e peixe, é que lhe dá para aumentar menos? Pois, agora ele também se mexe meeeesmo muito, não pára quieto um segundo, nem a dormir. E tem ar de tudo menos de menino fraquinho ou doente. Mas as estúpidas das curvas não deixam de ser um "cortes" e o médico, visto já serem duas consultas em que o percentil vem descendo, mandou fazer análises ao sangue e urina. Não me apetece nada ir picar o meu bebé, mas há um desconforto que não consigo ignorar, graças às malvadas curvas!

27 agosto 2012

As despedidas custam. Muito. Este fim-de-semana, uma família amiga partiu para outro país, porque a vida por cá não lhes proporcionava as condições que desejavam para eles. Custa ver alguém tomar essa decisão, custa ver isso perto de nós, faz-nos questionar sobre a nossa própria situação.

24 agosto 2012

Precisa-se: dias com 30 horas (ou mais)

Vinte e quatro horas não chegam para fazer tudo o que preciso e gosto e tenho de fazer. Vou adiando, adiando, dando prioridade ao essencial, mas começa a ficar tanta coisa acumulada para trás! Já tentei as listas de coisas-a-fazer, a ver se me anima ir riscando as tarefas executadas, mas só me deprime porque é raro eu seguir o planeado, aparece sempre qualquer imprevisto ou algo que demora mais tempo do que eu pensei demorar.
E agora ainda tenho a redução de horário para amamentação, depois do dia 17 de Novembro nem quero pensar como vai ser...

23 agosto 2012

Mafalda, 5 anos e picos,...

... bicicleta sem rodinhas desde ontem. Ainda não conseguiu "sem ajuda" mas acho que chega lá num instante.

22 agosto 2012

Dores de cabeça,...

... náuseas, calores, dentes cerrados, crises de nervos, muito-má-disposição, é isto que me acontece agora sempre que estou a menos de meio metro do Francisco! Porquê? Porque o rapaz está constantemente a ranger os dentes, aiiiiiii! Como é possível, com apenas 4 dentes, fazer aquele som horrível, que só de me lembrar já tenho estômago às voltas?! É mais forte do que eu, é uma reacção puramente física que eu não consigo controlar de maneira nenhuma, fico mesmo à beira do vómito! As irmãs também o fizeram mas nada que se compare, ele está constantemente nisto, esteja bem disposto ou choramingão, já não sei o que fazer. Quando é que isto passa?! Como é que eu o faço parar, alguma ideia?

18 agosto 2012

Uma semana depois do regresso...

... da grande aventura, a Camila ainda tem histórias para contar. À chegada, dirigiu-se primeiro aos irmãos e depois lá se lembrou que os pais existiam! Nós ali, mortinhos por abraçar a nossa menina, e ela não nos ligou nenhuma... temos tanta cabeçada destas para dar, senhores!
No dia seguinte, não se aguentava de mau feitio, respondona, rabujenta, choramingava por qualquer coisinha. Era o sono atrasado e acredito que era o expandir das vontades reprimidas durante a semana, porque, na alcateia, o lobito só obedece. Mesmo compreendendo isso, a descarga de mau feitio foi dose!
Acho que foi uma vivência que ela nunca esquecerá!

17 agosto 2012

9 months in, 9 months out

Está um bebé cheio de energia, a querer já caminhar pelo seu pé mas muito trôpego ainda. Se alguém lhe agarra as mãos e ele se põe de pé, tem que começar logo a passear com ele, se não reclama de imediato. Faz uns beicinhos amorosos quando é contrariado, franze o nariz e os lábios e fica com o olho entreaberto para ver a nossa reacção, safardola! Continua a ser a ser muito fã da maminha, agora já só de manhã e à noite. Adora bolacha maria, massa e pão e não bebe água nenhuma, tal e qual as irmãs. Interage cada vez mais com estas, que o massacram com apertos e beijos mas dos quais ele já se vai defendendo com arranhadelas e puxões de cabelos. Ainda  não dorme a noite toda seguida, choraminga umas quantas vezes à procura da chupeta ou porque não consegue conciliar o sono. Hoje rebentou o 4º dente e andou especialmente chatinho, nem no colo se calava. Ainda assim, cada vez que sorri, o meu mundo ilumina-se e oferece-me uma felicidade sem fim, o meu Petit Prince!

10 agosto 2012

Daqui a umas horas vai acontecer...

... aquele abraço!

07 agosto 2012

Já consegui contactar...

... o chefe da Camila, finalmente. Não nos deixam falar com eles para evitar que algum possa desatar a berrar pelos pais com saudades, o que eu acho que dificilmente aconteceria com a Camila. Segundo ele, está tudo a correr bem, a não ser ela ter começado com uma conjuntivite, que está a ser devidamente tratada na enfermaria local. Na verdade, deve ser uma reincidência pois teve uma há 2 semanas na praia que não deve ter ficado bem curada. Porta-se muito bem e estão todos a adorar. Óptimo, era tudo o que eu queria ouvir!

Ainda assim... ainda falta muito para 6ª feira?!

06 agosto 2012

E já temos um tri-dente!

Super-sónico nos dentes, comparando com as irmãs. Num mês, 3 dentes cá fora e o 4º vem a caminho.

A Grande Aventura da Camila

Começou ontem e dá pelo nome de ACANAC. É o Acampamento Nacional de Escuteiros Católicos, realiza-se de 4 em 4 anos e está a decorrer em Idanha-a-Nova até sexta-feira, com mais de 17 000 participantes. Seis dias. 17 000 pessoas. Muita gente, muitos dias, muitas horas sem saber da minha menina. Ela foi feliz da vida, apesar do ataque de ansiedade na véspera, que eu, controlando a custo a minha própria ansiedade, consegui serenar e transmitir-lhe a segurança de que ela estava a precisar para vivenciar em pleno esta experiência única na vida dela. Não fui escuteira mas gosto do espírito e, das imagens que já vi via webcam, este evento deve ser qualquer coisa de espectacular. Congratulo-me a mim própria por ter tido a força para deixá-la ir, deixá-la viver algo que nunca vai esquecer certamente, apesar de custar muito, muito mesmo. Ainda não consegui contactar com os chefes dela dentro da hora pré-definida mas não estou preocupada, como se costuma dizer, "no news is good news". Só desejo que ela se divirta e que sexta-feira caia nos meus braços, com poeira entranhada em tudo quanto é sítio e com um sorriso do tamanho da sua felicidade!

Três semanas de férias a terminar,...

.. duas delas na nossa praia de eleição nos últimos 3 anos, um pouco ventosa e de água gelada mas calminha, boa para o relax, para conviver com a família que nos visitou, para domir umas sestas, para curtir os pequenos com o vagar que nos foge nas outras semanas do ano. Esta última semana foi passada em casa, não fazendo nada do que eu tinha planeado fazer para organizar/arrumar/limpar o lar, mas sim, ir ao cinema com as miúdas, piscinar em casa de uma das comadres, fazer umas compras e organizar as coisas para a Camila levar na sua Grande Aventura.
As baterias estão recarregadas, as memórias dos bons momentos continuarão a alimentá-las, certamente.

24 julho 2012

Momento de Felicidade é...

... saber que vou ter um novo inquilino no meu coração: lá para o Natal, vou ter mais um sobrinho!
Happy, happy, happy!

22 julho 2012

Férias, Holidays, Vacances

11 julho 2012

Temos bi-dente!

Segundo ratito a espreitar detectado ontem. Espero que esta tenha sido a razão das noites (muito) mal dormidas do início da semana, com muito grito e choro difícil de acalmar, estas duas últimas noites já correram muito melhor, felizmente.

09 julho 2012

Os 3 juntos,...

... aninhados em mim, são a essência do meu ser, um orgulho sem medida, provas vivas dum amor sem limites, um sentimento que estala no peito, um bater descompassado do coração, a suavidade de cada pele marcada na minha pele, o cheiro de cada um gravado no meu olfacto, beijos doces, lambuzados, de que me alimento sem nunca enjoar. Há momentos de desvario, em que sinto que não sou capaz, mas depois há tudo isto que descrevi antes e todas as dúvidas desaparecem, era mesmo isto que eu queria na minha vida.

A primogénita

Neste momento, é quem me preocupa mais. Ter dois irmãos mais novos é difícil, ter que ceder espaço no "palco" por duas vezes...complicado. Isto, quando a segunda vez coincide com uma idade em que os tiques de adolescente começam a despontar, torna a coisa mais confusa. Com ela, já não me sinto tão segura. Estamos muitas vezes em conflito, ela olha-me como se eu fosse a Bruxa Má, sou exigente com ela, fico na dúvida se estou a exigir de mais, depois penso "se não exigir agora, o que é que faço dela daqui a uns tempos?!", enfim, não é fácil. Vejo-a crescer todos os dias, o corpo a mudar, ela a fugir dos meus mimos porque já não é bebé e eu a insistir porque ela precisa e gosta deles na mesma, que eu vejo bem, quando ela baixa a guarda. Sei que quero acompanhá-la, ajudá-la a descobrir-se enquanto cresce, mostrando-lhe que a amo sempre e em qualquer circunstância; faço e farei tudo para não deixar que se isole e que entre nós fique algo frio, isso nunca. Porque sei bem o que isso é, e não é bom.

A filha do meio

Há dias, alguém me dizia que tinha uma certa pena da Mafalda, que, às vezes, parecia que ela ficava triste, paradita e um pouco perdida por ser a do meio, por ter "perdido" os miminhos de ser "a mais nova". Não concordei, é típico do feitio dela, não gosta de ser o centro das atenções de qualquer maneira, tem que estudar as situações e os cenários. O que aos outros pode parecer tristeza ou apatia, para mim é simplesmente a minha filha a contemplar, a absorver algo que, naquele momento, lhe captou a atenção e que ela quer compreender. Sei-o porque a Mafalda é daquelas crianças que é capaz de fazer perguntas e falar sobre qualquer coisa que tenha visto ou ouvido no próprio dia, ou no dia seguinte ou até no mês seguinte, enquanto ela não compreender tudo o que está associado, não desliga. E uma criança triste não passa o dia a cantar e a dançar como ela passa em casa e na escola e na casa da avó, os seus "habitats". Quanto a mimos, se isso fosse possível de quantificar, diria que tem tido mais mimos do que a irmã teve quando ela nasceu, e que tem a sorte de ter uns mimos muitos especiais, os mimos de dois irmãos. Sinto-me segura sobre a forma como temos lidado com ela e sei que ela sabe que tem todo o amor do mundo à sua volta.

Coisas que não entendo

Bolsos nas calças dos bebés. Servem para...?!

03 julho 2012

A avaliação da Camila...

... foi boa, satisfaz muito bem. Ainda assim, com reparos à caligrafia, à ortografia e ao empenho, fico sempre um pouco desconsolada por ver que ela não dá o seu máximo, é preguiçosa. Não lhe exijo as melhores notas do mundo, exijo que tenha brio no que faz, que o seu trabalho transmita que fez o melhor que podia e sabia. Folheando as fichas e pastas do ano lecttivo, vê-se que ela podia fazer melhor, às vezes os números nem se percebem e a letra é tão má que nem ela consegue perceber o que escreveu. Acho que os professores deviam exigir mais nestas situações, quado vêem que é pura preguiça ou o "despachanço" para se livrar daquilo o quanto antes, é que ela fica convencida que é boa e que o que faz é o suficiente. Agora vem o 4º ano com os seus exames finais, tento mentalizá-la que tem que se esforçar para o que escreve seja perceptível senão leva um traço por cima e um zero, mas não é fácil. Este Verão vai escrever muito, ai vai, vai.

1º dente, dia 30/06/2012,...

... 7 meses e 13 dias. Não sei porquê, mas dar de mamar passou a estar intimamente associado ao conceito de desporto radical! Isto porque o fulaninho andou com a mania de me morder; há uns tempos que não acontece, mas agora é aquela adrenalina da expectativa da primeira- e última, está dito, pois só com a gengiva já doeu horrores- que me morda com dentes!

29 junho 2012

É hoje!

Até logo, pá! Vê se te esmeras, ok?

27 junho 2012

O espectáculo de dança...

... foi no passado sábado e foi mais uma ocasião para destilar baba pelas minhas bailarinas. Não é que sejam bailarinas perfeitas, longe disso, mas ficam lindas debaixo dos holofotes, cheias de brilho e a mostrar, com empenho, o que aprenderam ao longo do ano. O final foi muito emotivo e a lagrimita deixou o canto do olho e escorreu, sem vergonha, pela cara abaixo. Para o ano há mais, assim espero.

21 junho 2012

Sensação de "chapada na cara"...

... (à mistura com muito embaraço perante o olhar da monitora) é levar a Camila para o ATL com a sua bicicleta que recebeu no Natal com 4 anos, para uma actividade de BTT, e perceber que aquilo já não lhe "serve" há muito, muito tempo, pois ela está realmente enorme, como toda a gente diz e eu teimo em não ver bem!
Em defesa dos pais desnaturados que deixam a criança (lá estou, quais criança, há mulheres feitas com menos corpo, acorda, pá!) andar com uma bicla miniatura, há que dizer que ela não anda tantas vezes assim de bicicleta e que até temos duas maiores que ela já conseguirá conduzir, assim os pneus sejam remendados.

Dilema linguístico

Tenho sempre dúvidas sobre como me referir à Mafalda quando falo dos meus filhos. Digo muitas vezes "a mais nova", porque, efectivamente, é a mais nova das meninas. Mas, assim sendo, tenho "uma mais nova" e "um mais novo"?! Se disser "a do meio", dá ideia que tenho "uma outra" a seguir, que não é o caso, a seguir "um outro".
Isto é uma grande palermice? Pode ser, mas não é por isso que deixa de me causar alguma confusão sempre que calha a aparecer no decorrer das conversas...

18 junho 2012

O bolo do palhaço

O pedido da Mafalda foi feito já em Outubro, quando cheguei a casa dum workshop de modelagem com um palhaço em pasta de açúcar: "Para os meus anos, quero um desses no meu bolo, mamã!" e nunca mais se esqueceu. Fiz-lhe a vontade e o brilho nos olhinhos dela quando viu o bolo pela manhã compensou todo o trabalho.

17 junho 2012

E aos 7 meses,...

... temos aqui um verdadeiro palhacinho Francisco, cheio de gracinhas e caretas, sempre à espera de nos ver rir! Engelha o nariz a fungar, ri-se a mostrar as gengivas desdentadas, pisca os olhos e abana os braços como se quisesse levantar vôo até nós, fazendo umas pequenas pausas para verificar se nos estamos rir ou não. No passado dia 12, rebolou pela primeira vez, ficou muito espantado quando se viu de repente de barriga para baixo. As mãos dele parecem verdadeiros pega-monstros, aquelas coisas gelatinosas que agarram tudo, passa a mão em qualquer coisa e lá fica ela colada à mão dele, seja folhas de plantas ou os brincos da avó ou da mãe ou os cabelos das irmãs.
São sete meses de pura paixão e que passaram a voar.

10 junho 2012

5 anos



Uma mão-cheia de pequeninos dedos, 5 anos de puro encantamento com a minha segunda princesa. Uma menina doce, com um feitio especial que nem toda a gente percebe à primeira, mas que acaba por conquistar todos os que a conhecem. Vê-la crescer é uma dádiva que agradeço todos os dias. Parabéns, querida Mafalda!

08 junho 2012

É oficial:

tenho um bebé que não consegue adormecer sozinho! :-(
De um dia para o outro, o Francisco transformou a hora de deitar num filme de terror. Desde o início da semana que o processo de mamar-aconchegar na cama-beijinho-apagar a luz passou a ser dar mama-espernear na cama, todo sorrisos- aconchegar-beijinho-mais espernear- apagar a luz-choro de pôr a casa abaixo! Voltamos ao quarto, tentamos acalmá-lo e ele cada vez se enerva mais, chega ponto que nem ao colo se acalma.Não é fome porque já experimentei dar-lhe leite no biberão e não o bebeu, sei que a mama o acalmaria mas não podemos ficar reféns disso, embora me custe horrores ouvi-lo a chorar, ainda por cima a dizer "mamã, mamã" (não sei se é intencional ou não, o certo é que parece mesmo que me chama, até a pediatra achou isso na 3ª feira, ao ouvi-lo). Já li que isto é normal nesta fase em que há grande desenvolvimento a nível motor e a excitação que isso provoca é tal que pode alterar os padrões de sono.Temos que ajudá-lo a aprender a controlar essa excitação e "encontrar" o soninho por ele, sem muletas do tipo colo, agarrar a nossa mão, mamar, etc. Ontem lá adormeceu ao fim de inúmeras idas ao quarto para aconchegá-lo, para ele sentir que não está abandonado. Mas é duro. O problema é maior porque nunca tínhamos passado por isto com as irmãs, nesse aspecto foram uns anjos, este pestinha está a pôr-nos a cabeça em água!

06 junho 2012

Faltam 4 dias para o aniversário da Mafaldinha...

... e nunca a vi tão excitada, é mesmo uma delícia vê-la assim. Claro que, às vezes, exagera com a excitação e cai na palermice mas (quase) tudo se desculpa a uma menina que está tão feliz por ir fazer 5 anos!
Eu? Eu não me conformo, a minha princesinha com uma mão-cheia de anos, está difícil de aceitar! (que remédio, não é?)

Já não teve febre durante a noite...

... mas acordou com uma birra monumental a cada duas horas, aos gritos de pôr a casa abaixo (bendito sono pesado das irmãs, que não acordaram). Só o calava com a mama, o que já não acontecia há muito tempo. Quero o meu "godito-bem-disposto" de volta, já!

05 junho 2012

Duas noites sem dormir...

... e não fui de novo para a borga, não! O Francisco começou com febre ontem à tarde e passei a noite com ele, o que resultou em muito pouco tempo para dormir, chegou a ter 39,5 ºC. Foi visto pela pediatra à hora do almoço que não encontrou nada na auscultação nem ouvidos, à partida será o mesmo bicharoco que atacou a Mafalda no final da semana passada, também andou com febre e dores de cabeça. Já não tem febre desde a tarde, espero não ter uma 3ª noite em claro, a minha cabeça está...zzz...zzz... nas últimas... zzz

04 junho 2012

Ontem, EU FUI...


... e este senhor, bem... é mesmo o Boss, sensacional!


Precedido, e muito bem, pelos nossos Xutos. Grande noite!



(estar ao serviço com 2 horas e meia de cama é um pequeno pormenor sem importância, valeu bem a pena :-D)

25 maio 2012

Choque frontal com a realidade é...

... ir à nutricionista, por coincidência exactamente um ano depois da última vez, em que me encontrava grávida de 15 semanas, e ter agora mais 2 quilos do que tinha então! Costurar esta boquinha, era como eu me vingava!

21 maio 2012

Uns têm falcões nas floreiras,...

... outros têm um ninho de passarinhos não identificados no tubo de ventilação da casa-de-banho. A tampa do exterior caiu e o pais pássaros trataram de construir moradia bem abrigados junto à tampa interior. Há umas semanas, comecei por ver a tampa a querer sair e umas palhinhas a sair pela grelha, até que espreitei e percebi o que se passava. Desde há cerca de semana e meia que ouvimos um piar constante e não resistir a ir espreitar os bebés. São pelo menos 4 e fazem um grande xinfrim, especialmente quando começa a nascer o sol, mas até se torna engraçado. Agora tenho que esperar para limpar o tubo e colocar a tampa no sítio até que os "piu-pius" bebés aprendam a voar.


Ama(menta)r

Amamentar, amar... Misturam-se as palavras e os seus significados, tão interligados entre si. É um acto de amor que, no caso do Francisco, é uma verdadeira adoração, é o nosso momento, em que ele e eu respiramos ao mesmo ritmo, pele com pele, a mão dele no meu cabelo ou a acariciar o meu peito. Não digo que tudo seja rosas nisto da amamentação, há todo o processo inicial que pode ser doloroso e depois a dependência, que é o que mais me angustia, imaginar que ele pode estar com fome e não estar ao pé dele. Mas não há nada mais prático do que dar mama, sempre à temperatura ideal, sempre pronto a servir. E ele mama em qualquer lado, desde que não haja público que o distraia, não pode ouvir ninguém a falar que larga logo a mama para ver ver quem falou, é um cusco.
Aos 6 meses, ainda mama 5 ou 6 vezes por dia, só come uma refeição sem ser leite. Exige muito de mim, às vezes canso-me um bocado, custa-me especialmente durante a noite, mas compensa vê-lo crescer com o meu alimento e ver a satisfação que ele sente enquanto mama. Espero que dure até que ele queira (a não ser que me morda quando tiver dentes, já o fez sem dentes e dói que se farta!) e que seja benéfico para ele e aprazível para mim.

Na praia, na semana passada

17 maio 2012

Meio ano de azul


Seis meses tão ricos de emoções, incrivelmente rápidos, vividos muito intensamente, aproveitando cada momento de descoberta do mundo por parte deste rapazinho por quem estou perdidamente  enamorada, o meu Francisco.

16 maio 2012

Primeira Comunhão

A Primeira Comunhão da Camila foi no passado sábado, pelas 18h. Estava muito calor e a capela ficou um forno mas correu bem, eram 12 meninos e meninas todos embonecados. A Camila levou um vestido simples mas bonito e adequado à cerimónia, na minha opinião, conjugado com umas sabrinas prateadas e ganchos prateados na cabeça, estava linda, a minha princesa grande! 

 Aqui o bolinho que fiz para partilhar com os avós e os tios, na pequena reunião familiar depois da missa.

15 maio 2012

Ela é...

... roupa pelo chão e alguém que apanhe se quiser, ela é respostas tortas e disparatadas (como quando sabe onde estou, porque acabou de me ver passar, eu chamar "Camila, chega aqui!" e ela responder "Onde?" - fico passada!), ela é meia hora para começar a tomar o pequeno-almoço, a passarinhar pela cozinha sem nexo (do género: abrir a gaveta dos talheres, ver que não há colheres pequenas e saber que estão todas na máquina de lavar, mas fica a contemplar a gaveta, à espera que as colheres nasçam por lá!), ela é eu gastar minutos preciosos a apanhar-lhe o cabelo, elásticos e ganchinhos e tudo e tudo, porque logo tem dança e ela pôr, logo a seguir, o chapéu na cabeça e ficar toda despenteada, quando nem está sol e quando, nos dias em que está sol, ela nunca se lembra do chapéu. Isto tudo concentrado em 40 minutos logo depois de acordar de mais uma noite de uma série delas mal dormidas (aqui ela não tem culpa nenhuma) transforma-me em qualquer coisa nada boa de ver e ouvir e só me leva a pensar que ela anda a tentar tudo para me pôr na ala psiquiátrica do hospital. :-S
Devo estar a falhar em alguma coisa, certamente, mas onde?...

Uma pilha de nervos pela manhã...

... com a mais velha é uma óptima maneira de "comemorar" o Dia da Família! :-(

10 maio 2012

Um mês para os 5 anos...

... e a cachopa já não se aguenta. "Sabes quanto falta, mamã? E eu vou receber muitas prendas, pois vou? E vou convidar os meus amigos A, B, C, D....". Anda tão entusiasmada que eu espero conseguir preparar uma festinha que não defraude as suas expectativas, é que esta cabeça anda a mil com tanta coisa lá dentro! Os parabéns do Panda, que teve nos últimos anos, já eram, não fui a tempo. Mas não vou falhar com o mais importante, a minha pequenina merece! :-)

Quem tem 3, tem 4?!

Para mim, não. Há muita gente a achar isso, pela quantidade de vezes que mo sugerem, bolas! Passar de 2 para 3 é quase chocante mas, depois disso, pelos vistos, é sempre a abrir! Pois comigo, não, 3 é a conta certa, e, nos tempos de hoje, já é uma pequena loucura, como costumo dizer. Mesmo que fosse mais nova e rica, não me aventurava a ter mais filhos, acho que 3 é o meu limite para conseguir ser eu a orientá-los, educá-los, conhecê-los... Nas famílias mais numerosas, acredito que acabem por ser os mais velhos quase a criar os mais novos, acho praticamente impossível que não seja assim, não há pais super-homem/super-mulher. Eu já conto com a Camila para pequenas tarefas com os irmãos, e faz-lhe só bem, cria sentido de responsabilidade, mas acho que ela não deveria ficar sobrecarregada com isso se os pais decidissem ter mais filhos, não seria justo. E quero ser eu a mãe de todos por igual, conseguir atender às necessidades específicas da idade de cada um, assegurar-lhes que estou com eles sempre que precisem de mim. Por isso, não há planos para o quarto, ficamos por aqui. E ficamos muito bem!

01 maio 2012

Um casamento no próximo sábado...

... e o que vestir às pequenas, com este tempinho?! Eu vou ter que me arranjar com o que tenho porque estou de castigo, não há compras de roupa enquanto não perder peso. O Francisco já tem fatiota, para elas é que está mais difícil adaptar vestidinhos frescos a este tempo horroroso. E estando elas constipadas e com tosse, piora um pouco. São Pedro, um pouquito de sol, vá lá, pode ser?

23 abril 2012

Balanço da 1ª semana em modo mãe-trabalhadora-fora-de-casa

Até ver, tudo a correr serenamente. O rapaz mama antes de eu sair de casa, come a sopa por volta do meio-dia e, cerca das três da tarde, já estou em casa para ele mamar novamente (parece um cachorrinho a farejar-me o peito quando o pego ao colo, só rir!). Estou a fazer um horário das 9 às 14:30, sem hora de almoço, e que eu não me importava nada de manter depois dele fazer um ano, abdicando de parte do salário. Porque o tempo também é dinheiro e o tempo com e para os meus filhos vale muito mais que dinheiro. Mesmo que a lei preveja essa situação (não tenho a certeza se a prevê ou não), seria muito difícil a empresa aceitá-la e não ser olhada de lado, embora, na minha opinião, até consigo render mais assim, em jornada contínua. Sinto-me mais motivada a fazer mais e melhor naquele tempo em que me dedico completamente ao trabalho, porque sei que, depois, tenho tempo suficiente para tratar das coisas de casa, das crianças, esses pensamentos não interrompem tanto o dia de trabalho como quando estou a trabalhar das 9 às 17:30 ou 18 ou 19, por vezes. Infelizmente, este país esquece-se que as pessoinhas pequenas que estamos criar vão mandar nisto tudo, um dia destes, e que devíamos ter mais tempo para as educar e formar, para que tornem este mundo num sítio cada vez melhor. Resta-nos fazer o melhor que sabemos e conseguirmos...

18 abril 2012

É muito difícil...

... ser conquistada pela roupa de menino da mesma forma que deliro com roupas de menina. Em contra-partida, não resisto a uns ténis ou sapatos pequeninos para o Francisco, adoro calçado de baby boy. Estes são a mais recente aquisição, um mimo!

17 abril 2012

5 meses...

... de um menino risonho, bem-disposto, um gordito viciado na maminha mas que já come sopa como um senhor. Um menino de olhar traquina, fascinado pelas manas, um sedutor dos papás que o adoram com uma paixão imensurável.
Há 5 meses que somos 5, há 5 meses que somos tão mais felizes com este menino entre nós!

15 abril 2012

Poliglota atrapalhada

A Camila gosta de ler tudo o que lhe aparece à frente que não seja em português e perguntar o que quer dizer. Às vezes, lê na diagonal e tem umas saídas engraçadas, como quando me perguntou porque é que eu comprava tantas revistas Continente MagaNIZE. Ou como nesta Páscoa, em que recebeu uma caixa de bombons Milka e que ela achou que era uma caixa de bombons para aniversário por que dizia "Parabíens" (isto dito com sotaque de portunhol). "Diz o quê?!", perguntámos nós. "Está aqui escrito: Pára...hum, pral... eh, hum... pralinés! Qu'é isso?!" lol

Ontem, ao 3º round,...

... começou a correr melhor! Ainda rabujou, esperneou, chorou. Acalmei-o, deixei-o distrair-se um pouco e voltei a tentar. Fez um ar resignado tipo "Lá terá que ser!..." e começou a comer. Ainda cospe algumas vezes mas já não empurra a colher. Troquei a cenoura pela abóbora, talvez tenha gostado mais do paladar. Hoje foi a vez do pai treinar a "modalidade" e pode-se dizer que o resultado foi positivo. Com calma chegamos lá.

12 abril 2012

O primeiro contacto com a colher...

... foi ontem, a 6 dias de fazer 5 meses. A ideia era amamentar em exclusivo até aos 6 meses, o rapaz sempre mamou bem, pensei que seria possível. Mas comecei a enfrentar um dilema a partir do momento em que percebi que não conseguia "fixar-lhe" horários para as refeições que encaixassem no meu horário de trabalho, como aconteceu com a Mafalda. Normalmente, consegue fazer um intervalo de 3 horas entre refeições mas também acontece querer mamar novamente ao fim de 2 horas, é muito incerto. Para meu descanso enquanto estiver a trabalhar, pensei em introduzir uma sopa ao fim da manhã e, anteontem, a pediatra concordou com a ideia. Ontem foi então a estreia e... não correu nada, nada bem! Ficou com uma cara de "Mas que raio?!....", a franzir o sobrolho e a olhar, muito admirado. Até aceitou bem a colher, não começou a chuchar como fizeram as irmãs, o problema foi o que ía na colher, a sopa. Deitava-a fora, ficava com ela na boca aberta, cospia-a, engolia alguma após 3 ou 4 vezes a enfiar-lhe a mesma colher de sopa na boca. Às páginas tantas, começou a chatear-se e a chorar, a partir daí, nada feito.
Hoje, nova tentativa. A sopa estava mais fluída, com uma textura diferente, mas a reacção foi a mesma, um grande "Blarghhhh!". Depois de tentar, fui dar-lhe banho para lhe abrir o apetite e voltei a tentar a sopa. Estava esganado mas nem assim! Amanhã vai ser o pai a tentar, é que, ao meu colo, o gajinho está sempre à procura da mama, tem o faro apurado!
D. Francisco tem até domingo para começar a comer como deve ser, na segunda-feira já não está a mama em casa disponível a toda a hora! Queria arranjar uma solução, não era mais uma dor de cabeça... :-S

09 abril 2012

Daqui a uma semana...

... já terei completado o meu primeiro dia de trabalho pós-licença. Sei que na véspera vou chorar baba e ranho, apesar de saber que o Francisco vai ficar lindamente com o pai e a avó. Mas vais ser inevitável, vou chorar pelo fim deste tempo, algo estafante e absorvente, mas emocionalmente tão especial com o meu bebé, o meu último bebé. No início do dia, vou estar excitada com o regresso à empresa e por voltar a ver caras amigas (há outras que dispensava bem, mas, enfim, faz parte). Ao longo do dia, vou lembrar-me algumas vezes do meu pequeno mas não vou estar a ligar constantemente para saber como se está a portar, assumo que, se ninguém me ligar, é porque está tudo a correr bem. No final do dia, vou estar com a cabeça em água com tanta informação que vou receber; apesar de ter mantido algum contacto durante estes meses, há sempre coisas que mudam e das quais vou ter que me inteirar rapidamente. Sei que vou voltar para casa a voar, cheirar muito a minha cria e perceber que, afinal, é possível passar mais do que 2 ou 3 horas longe dele sem me cair um pedaço do corpo ou parar de respirar.
Tenho quase a certeza que a próxima segunda-feira vai ser assim, já vi este filme. Duas vezes.

A minha pré-pré-adolescente...

... já não gosta muito de levar com beijos e miminhos dos pais ou avós, já foge desses "embaraços" a sete pés. A única pessoa com quem ela se derrete à primeira é o irmão e a irmã também leva, de vez em quando, com umas demonstrações de carinho mais efusivas. Confesso que, às vezes, reajo mal, fico ofendida com ela me rejeita, não a entendo. Respiro fundo, lembro-me que é da idade e sei que, se insistir um bocadinho e misturar com brincadeira, acaba por aceitar os mimos e ronronar como um gatinho. Mas custa. E ainda só tem 9 anos...

08 abril 2012

Estes coelhinhos desejam...

... uma Páscoa Feliz!

07 abril 2012

O treino do sono

O "treino do sono", para além do "treino das refeições à colher", é das últimas tarefas das minhas licenças de maternidade, a avó e o pai ajudam depois quando regresso ao trabalho. Até ver, sem grandes alaridos, a fase de "treino do sono" do Francisco não está a correr muito mal. Depois de 3 noites complicadas, temos conseguido "domar" a pequena fera sem recorrer à mama. Passa por um período de sono mais agitado por volta das 2 da manhã, tem que ser enroladinho da manta várias vezes até que volta a pegar no sono até às seis, seis e meia. A essa hora, normalmente já está há 8 horas sem comer e a fome fala mais alto, claro. Mama e depois ainda dorme até às 9 ou 10 da manhã.
Durante o dia, tem vezes que faz grandes birras mas que eu acho que acontecem mais quando o deixamos acordado tempo a mais da conta e depois tem nada para o ajudar a conciliar o sono, porque não gosta da chupeta. Quando o deito aos primeiros sinais de sono, aconchego-o, dou-lhe beijinhos e digo-lhe que vai dormir uma soneca, ele sorri, é capaz de ficar um bocadinho a olhar para os bonecos da cama e, daí a pouco, adormece sozinho. Ainda não posso dizer que esta é a rotina, mas vamos bem encaminhados.

Mancha mongólica

Por curiosidade, alguém conhece alguém com mancha mongólica no tornozelo? O Francisco nasceu com uma mancha azulada no tornozelo, a primeira pediatra que o viu no hospital ainda pôs a hipótese de ser posicional, caso desvanecesse com o tempo. Mas não desvaneceu, mantém-se lá, num azul arroxeado. Pelo que li e perguntei aos médicos, não é uma localização muito vulgar, por isso a minha curiosidade.

05 abril 2012

Temos tido noites atribuladas...

... com D. Francisco, ultimamente. Está na fase em que deveria adquirir mecanismos de consolo e de voltar ao sono profundo quando entra em fases de sono ligeiro, mas não tem corrido muito bem. Não gosta de chupeta, o dedo só lhe serve quando a fome aperta, o consolo ideal seria ter constantemente a mama da mãe a 2 centímetros do nariz, de modo a poder mamar sempre que houvesse vontade e o soninho precisasse de ser conciliado. Mas não dá, a mama da mãe não é chupeta e ele tem que aprender por si. A técnica tem sido embrulhá-lo numa mantinha, tipo casulo, para evitar o esbracejar maluco que ele faz e que acaba por despertá-lo mais, dar mama só quando se verificar que é realmente fome (normalmente por volta das 4-5 da manhã, tenho mamado antes pelas 22 horas) e ir tentado sempre que pegue na chupeta, às vezes, lá corre bem. A noite passada já correu melhorzinho, depois de 3 noites a acordar de hora a hora com ele aos gritos, uma autêntica tortura. Espero que a evolução positiva continue.

A Camila chamava...

... as perneiras das calças de "mangas dos pés", a Mafalda chama ao cotovelo o "calcanhar do braço"! :-)

Tenho pena...

... de não registar aqui tantas coisas da Mafalda e agora do Francisco como registei da Camila, no início do blogue. Comecei a fazer (finalmente!) a passagem do blogue a livro e rio, choro, sorrio com as coisas que vou lendo sobre a minha mais velha, as suas conquistas, as suas invenções linguistícas, os seus disparates. Claro que o tempo disponível é inversamente proporcional ao número de filhos mas quero muito vir aqui guardar mais tesouros dos meus mais novos, coisas que não interessam nem ao menino Jesus mas que, um dia, saberá bem recordar.

03 abril 2012

Uns dias de passeio,...

... antes de terminar a minha licença de maternidade, levaram-nos até à capital e arredores, para dar a conhecer às pequenas, e aos pais também, que não conheciam tudo, alguns locais e monumentos importantes e para viverem novas sensações, tal como andarem de metro.
Começaram no domingo com o espectáculo Disney on Ice, um sucesso garantido. Nos dias seguintes, explorámos a Serra da Arrábida e as suas praias, Sesimbra e o Cabo Espichel, a Torre de Belém e o Mosteiro dos Jerónimos, o Museu dos Coches seguido dum pastel de Belém e um latte do Starbucks a acompanhar, o Aquário Vasco da Gama, a baixa de Lisboa, o Palácio Nacional da Ajuda... Tudo isto intervalado com muitas paragens "técnicas" para alimentar o pequeno buda, claro!
Uns dias bem passados, com muito, muito mimo, a cola mais eficaz destas memórias no nosso álbum da vida.

02 abril 2012

Pézinhos...

Adoro-os e não me canso de fotografá-los.
Difícil é imaginá-los daqui a uns anos a calçar 43 e a cheirar a queijo roquefort :-p !

20 março 2012

Duas riscas

Foi há um ano que as vi, no pedaço de plástico que molhara 5 minutos antes. Surpresa total, apesar de esperar por isso há 18 meses. Uma explosão de alegria no peito, que tive que conter durante algumas horas até poder contar ao pai. Um pai que ficou apatetado a olhar para elas e a dizer "E isso é o quê, isso é o quê?", já sabendo a resposta no segundo imediato, quando trocámos um longo abraço, quais atletas chegados à meta duma longa maratona.
Hoje temos um pequeno príncipe que nos relembra a cada segundo que toda a espera, toda a ansiedade, todas as lágrimas de frustração valeram a pena, um pequeno príncipe que renova e incrementa, a cada momento, a felicidade imensa que sentimos há um ano atrás

19 março 2012

Para um Super-Pai,...

... super-prendas:
Uma caixa de madeira, decorada com "découpage", com um baralho de cartas, da Camila
Um individual personalizado com um "retrato" do pai e uma mensagem, da Mafalda
Um bolinho decorado a condizer com os super-poderes do pai, do Francisco
E muito, muito mimo, totalmente merecido!

18 março 2012

Já estou a deprimir,...

... faltam 29 dias para voltar ao trabalho! :-(

12 março 2012

Bibe novo com assinatura

Estes já estão estafados de tanta brincadeira e a pedir reforços. Lá entrou a avó costureira em acção para fazer um bibe novo. Entretanto, a mãe bordadeira meditava sobre que tipo de letra iria usar para bordar o nome quando se fez luz: vou usar o tipo de letra dela, claro! Mafaldinha escreveu no papel, do papel passou para o tecido e ficou assim:

O bolo de aniversário da Lobita

Para soprar as 9 velas, transformei em doce a sua paixão do momento, o escutismo. Tentei retratá-la num acampamento, junto ao fogo, a observar a lua e as estrelas. No interior, escondia-se o arco-íris.

A poucos dias dos 4 meses,...

... eis que D. Francisco teve a sua estreia na Pediatria do hospital cá do burgo :-( . Começou com febre no final da tarde de sábado, após duas sestas de duas horas (o primeiro sinal de que algo de errado se passava, nunca tinha acontecido) e continuou febril durante a noite, mesmo com Ben-u-ron. Ontem, manhã cedo, estando ele com a cabeça a ferver, as mãos e os pés gelados (conseguimos medir uma temperatura axilar de 38.3 ºC com alguma dificuldade) e com um choro difícil de acalmar, ligamos para a Saúde 24 que nos diz para seguirmos ao hospital, febre em bebés com menos de 6 meses é sempre caso para observação (coração encolheu). Lá fomos nós, foi observado de imediato, colheram urina e fizeram rx ao tórax (coração encolheu mais um bocadinho). Vêm os resultados, está tudo bem com pulmões e não há infecção urinária, há que colher sangue para despistar outras hipóteses (coração encolhe ainda mais um pouco). Dois enfermeiros tiraram sangue ao meu homem pequenino (engraçado, foi atendido só por homens, enfermeiros e médico, acho que foi caso único nas nossas visitas à Pediatria) e lá aguardamos uma hora, até virem os resultados dizerem que não havia nenhuma infecção (coração distende um pouco). Como eu estou constipada e ele tinha um ranhito, muito pouco, seria, à partida, apenas o bicharoco da constipação, mas para estarmos atentos e voltar se a febre continuasse. Felizmente, já não tem febre desde ontem à tarde e o coração da mãe e do pai já voltou (quase) ao normal.
Filhos doentes é daquelas coisas que não se tornam mais fáceis de se suportar, por mais filhos que se tenham...

10 março 2012

9 anos


Último aniversário de um só dígito. O tempo que voa, a minha bebé que, aos poucos, vai dando lugar a uma menina crescida, cada vez mais longe da minha asa, onde ainda lhe sabe tão bem voltar às vezes. Aprendo tudo com ela, deste ofício de ser mãe, com tudo o que isso traz de bom e mau, mas é isso que faz dela especial, a minha primeira filha. Na palavra amor não cabe tudo o que sinto por ela, na palavra emoção não cabem todos os sentimentos que hoje me enchem o coração, ao reviver cada momento deste dia há 9 anos atrás. Parabéns, minha doce Camila!

09 março 2012

Uma das coisas...

... que não muda na Mafalda é a sua veia dramática e sua obstinação que, há coisa de ano e meio, relatei no post da história que ainda lembramos hoje como "Não tenho gato nenhum!!!". De vez em quando, especialmente quando está com sono, cria um drama sobre uma situação qualquer, em que normalmente não há nada a fazer mas ela não se conforma com isso. Há dias, foi por causa duma taça com pinguins que a Camila recebeu no Natal. A irmã comia os cereais na taça dos pinguins quando ela meteu na cabeça que haveria de comer também taça dos pinguins. E então lá começou a lamúria: "Porque eu não tenho nenhuma taça de pinguins... O Pai Natal não me deu uma taça de pinguins, não tenho taça de pinguins nenhuma!!!", tudo acompanhado dum choro de desgraçadinha. É capaz de parar e daí a uma boa meia hora, quando pensamos que já passou, volta ao ataque! Acabamos por rir, eu e o pai, não resisitimos. Ontem, enquanto fazíamos compras de coisas para o aniversário da irmã, saiu a pergunta: "Mas porquê a Camila faz anos primeiro?". Pronto, lá vem história, pensei eu. Expliquei-lhe que a Camila nasceu a 10 de Março e ela a 10 de Junho, os anos comemoram-se no dia em que se nasceu. "Mas porquê a Camila nasceu primeiro? E porquê eu não faço anos agora?". Tentei explicar melhor e ela calou-se, mas daí a um quarto de hora , voltou à carga, ai a minha paciência!
O homem que a levar um dia vai ter bem que fazer, vai! :-)

07 março 2012

Aluga-se...

... para eventos festivos:
Máquina de fazer bolhas
:-)

01 março 2012

Olá, eu sou a CLS...

... e sou viciada em bebés!
Estou completamente "agarrada", não consigo viver sem a minha dose horária de snifo nos pézinhos e no pescoço do Francisco, ou de beijos nas suas bochecas ou na barriga, ou da sua mãozinha a apertar a minha enquanto mama. Céus, como isto vicia! Como é que eu vou viver sem este "produto" quando ele se acabar?! Não posso andar a fazer bebés o resto da vida, não haverá disto em garrafinhas unidose, tipo as do soro fisiológico?

(estão a ver?! há mais de 2 horas que eu não toco no pequeno, já não digo coisas com coisa!)

A Mafaldinha...

... vai ter um passeio da escola, com autocarro, muitos quilómetros, muitas horas! Aiiiiiiiii...

(cá está outra coisa imutável, o coração pequenino de cada vez que elas saem nestas andanças! :-) )

28 fevereiro 2012

Pensamentos...

Aprendi, e aprendo todos os dias, muita coisa com a maternidade. Uma dessas coisas, que tento aplicar também nos outros aspectos da minha vida, é a não cuspir para o ar. Até podia ter as minhas teorias sobre várias coisas mas não há nada como a chegada dum filho para desconstruir facilmente muitas dessas teorias. Há coisas imutáveis: o amor que lhes tenho, os valores e princípios de educação que lhes quero passar... o resto vai mudando, de dia para dia, de filho para filho. Na maternidade e na vida, é sempre tempo de mudar de ideias, de aceitar as coisas que não vão bem de encontro ao que esperávamos e contra as quais nada podemos ou devemos fazer, de perceber que talvez haja uma forma melhor do que a que achamos mais correcta, manter a mente aberta. Nem sempre consigo, claro, às tantas dou por mim a fazer julgamentos, críticas, acho que é típico do humano, difícil de contrariar. Mas já fui pior. Como escrevi no início, vou aprendendo todos os dias.

22 fevereiro 2012

Carnaval 2012



21 fevereiro 2012

Os 9 anos da Camila...

... estão a chegar e cheira-me, pela amostra dos últimos dias, que vêm carregados de chatices. Quer fazer o que bem entende e lhe passa pela cabeça, sem pensar nas consequências, quando corre mal, desculpa-se que não sabia ou põe as culpas na irmã, enfim, tem dias que não se aguenta. Eu respiro fundo, tento controlar-me, fazer com que entenda que nem sempre pode ser assim, mas não resulta, daí a pouco cai na mesma asneira. Há pouco, passei-me, gritei com ela e "aqueci-lhe" o rabo, não me orgulho disso e sinto-me péssima e não é esta mãe que quero ser para ela, disse-lhe tudo isso. Mas foi o resultado do acumulado desde há vários dias e os meus nervos não resistiram. Consome-me a dúvida se estarei a reagir exageradamente, se devo deixar andar ou se devo manter-me firme. Mas o que me faz sentir pior é saber, pela minha experiência, que estas reacções minhas não resolvem nada ou muito pouco e podem criar um fosso entre nós difícil de transpôr, isso é que me aterroriza...

Mas, idiota como sou,...

... eu própria, às vezes - poucas, vá lá, porque já é a 3ª vez, mas ainda assim - caio na esparrela de achar que até tenho algum tempo livre e planear fazer alguma coisa em certo e determinado dia. Claro que as contas saem quase sempre furadas e não consigo fazer nada do que pensei e fico danada e frustradíssima. Até me lembrar que nunca mais o meu filho vai ser assim bebé, que se lixe o que tinha pensado fazer, haverão outras oportunidades, pois este é um tempo único nas nossas vidas e que não se repetirá.

Sou capaz de esganar...

... a próxima pessoa que me disser para gozar bem o descanso ou que estou de férias! Descanso?! Férias?! Isto só pode vir de alguém que nunca teve os primeiros meses da vida de um bebé colada à sua vida 24/24 horas! Não me estou a queixar porque sei que tem que ser assim, eles dependem de nós mais do que nunca, nesta fase, e é para isso mesmo que existe a licença de maternidade, para lhes dedicarmos todo o tempo que os bebés exigem. Ainda ontem de manhã estive mais de duas horas seguidas de volta do Francisco, entre dar de mamar, mudar a fralda e roupa, mudar de roupa porque bolsou, mudar a fralda e roupa derivado a um grande cocó transbordante, novamente dar mama, já estava passadinha! Por isso, isto não são férias e tem muito pouco de descanso, ó povo que faz este tipo de comentários!

17 fevereiro 2012

Três meses de Francisco,...

... três meses de deleite com este maravilhoso presente que a vida me trouxe, que me faz sentir abençoada, e que, todos os dias, me faz sentir um pouco mais feliz, quando já parecia que não seria possível sê-lo.

14 fevereiro 2012

Dia de S.Valentim

Para os amores da minha vida!

Inventam tanta coisa neste Mundo...

... e não há maneira de inventarem um dispositivo qualquer que faça a chupeta saltar para a boca dos bebés quando eles começam à procura dela durante o sono!

A música da moda...

... também se canta cá por casa, inevitavelmente! Um destes dias, à mesa, acabámos, eu e a Mafalda, por fazer uma adaptação caseira que reza assim:

Massa! Massa!
Gosto tanto de massa!
Ai, com ketchup,
ai, ai, com ketchup!

Delícia, delícia!
Gosto tanto de massa!
Ai, com ketchup,
ai, ai, com ketchup!

Sábado, lá em em casa
a mamã fez massa p'ró janta-a-ar.
Eu sentei-me à mesa e disse:
Ó mamã, o ketchup está a faltar!

Massa! Massa!
Gosto tanto de massa!
...


A Camila não canta porque não gosta de ketchup (anda tão assim... implicativa, ca nervos!) e, agora, a piada é ouvir a Mafalda a cantar e a misturar as duas versões. :-D

13 fevereiro 2012

Coisa mai linda,...


... fofa, cutchi-cutchi, um docinho! E a pequena também! ;-)

12 fevereiro 2012

A Promessa...

... da minha Lobita aconteceu ontem, estava eufórica por estrear a farda dos Escuteiros, usar o seu lenço amarelo pela primeira vez, leva aquilo mesmo a sério e ainda bem! Foi uma bonita cerimónia para a qual a Camila escolheu, e muito bem, a tia MJ para madrinha. Para festejar, não faltou o bolinho alusivo à ocasião, com a divisa dos Lobitos, e um grande sorriso da minha filhota.

10 fevereiro 2012

Notas a registar sobre o Francisco

- No dia 28 de Janeiro, bebeu o meu leite no biberão pela primeira vez. Estava com receio de que ele rejeitasse a tetina, por não ir muito à bola com a chupeta, mas assim que deu conta que aquela tinha leite, fez uma cara de espanto e bebeu tudo sem paragens;
- No dia 4 de Fevereiro, dobrou o riso pela primeira vez, dando uma gargalhadinha deliciosa quando lhe dava beijinhos no pescoço.

Queria ser melhor

Todos os dias luto por isso, quero ser melhor. Melhor mãe, melhor esposa, melhor filha, melhor neta, melhor irmã, melhor tia, queria tanto ser melhor! E se há dias em que me deito na cama sentindo-me efectivamente melhor, outros há, como hoje, em que me sinto muito longe disso...

Da vida...

Há uns tempos, comecei, por graça, a construir a minha árvore genealógica no Geni.com. Hoje, fui actualizá-la. Inseri o Francisco e a priminha F. nascida em Setembro e identifiquei 2 tias, uma delas minha madrinha, como falecidas, ambas com 54 anos, ambas vítimas de doença... Em 4 meses, duas entradas e duas saídas... a família a crescer por um lado e a diminuir por outro.

04 fevereiro 2012

31 janeiro 2012

Visto eu estar de castigo,...

... enquanto estiver com esta batelada de quilos a mais não há roupa nova para este corpinho, os pequenos é que ficaram a ganhar nesta época de saldos, só compras para elas e ele.

Preciso de perder 9 ou 10 quilos, 5 que tenho ainda da gravidez e outros 4 ou 5 que já tinha a mais graças às porcarias hormonais que tomei e ao stress que me fazia devorar este mundo e o outro. Já contactei a nutricionista onde andei há uns tempos que me disse que, enquanto mantiver este ritmo da amamentação, o que há a fazer é alimentação saudável, sopinha a todas as refeições e tentar controlar o maior inimigo, um apetite de gigante. Mais tarde, lá irei entrar em dieta, agora estou a começar também o exercício físico. Será que consigo atingir o meu objectivo?...

30 janeiro 2012

6 anos de Arca dos Tesouros

Está a ficar uma senhora!

(tal como há um ano, continuo sem nada disto que escrevo aqui guardado numa forma física, a ver se é durante estes meses de licença que consigo passar a Arca a livro)

29 janeiro 2012

Faz hoje um ano,...

... foi um dia muito triste, tive, pela 16 ou 17ª vez consecutiva, a confirmação de que não estava grávida. Foi o dia em que atirei a toalha ao chão, em que comecei a mentalizar-me que teria que desistir da procura pelo 3º filho para bem da minha cabeça, para bem das minhas filhas, para bem da harmonia do meu lar, pois a minha frustração e ansiedade começava a afectar os que mais amava. Estava farta de tomar medicações às quais o meu corpo não dava a resposta pretendida, estava farta de contar dias para saber que comprimidos tinha que tomar. Fiquei de coração partido porque queria tanto, tanto ter mais um filho... Foram dias muito sombrios, o meu 36º aniversário aproximava-se e a vontade de comemorá-lo era nula, sempre pensei que engravidaria até aos 35.
Sem o saber, foi também o dia que ficaria registado nas consultas e ecografias como D.U.M., o dia em que se iniciava O Ciclo, aquele em que eu consegui este tesouro precioso que dorme aqui ao meu lado neste momento. Os sorrisos que me dedica valem todas as lágrimas que derramei e penso: "Como é que eu pude pensar em desistir disto?!". Mas talvez tenha sido esse libertar de amarras, o soltar a pressão, que ajudou a que acontecesse, não sei... Sei que nunca me esquecerei de toda a tristeza que senti há um ano, pois isso ajuda-me a valorizar ainda mais todo o bem que tenho hoje em mãos e que me faz sentir imensamente feliz!

21 janeiro 2012

"Eu sei que tens um blogue sobre nós!",...

.. disse-me a Camila. Fui apanhada um pouco de surpresa. Eu nunca lhe tinha mostrado a Arca mas não era segredo, um dia era lógico que ela viesse a saber, nem que fosse consultando o histórico da net no computador. "É a caixa dos tesouros ou qualquer coisa assim, foi a I. que me disse já há muito tempo." (essa também me surprendeu, não fazia ideia que a I. conhecesse o blogue). Perguntei-lhe se se importava que eu escrevesse sobre ela, respondeu-me que não, que na escola também têm um blogue onde escrevem sobre as coisas que fazem.
Esta situação deixou-me a pensar. Será que um dia ela e os irmãos vão gostar de saber que este registo existe aqui, aberto para o mundo? Na minha perspectiva, não há aqui nada que os possa embaraçar mas a perspectiva deles pode ser diferente. Comecei a escrever aqui como poderia ter começado a escrever num caderno, a piada disto é a interacção, os comentários, a partilha de experiências... Por outro lado, há a exposição de sentimentos, maneiras de ser, defeitos e qualidades... até que ponto isso pode ser visto como uma coisa negativa, da parte dos visados, os meus filhos? Ando a pensar nisto...

18 janeiro 2012

Parece que isto do acordo ortográfico é mesmo a sério mas não há quem me faça ler "diréto" quando leio "dirêto", no canto superior esquedo dos telejornais! É o que me faz mais confusão, a queda das consoantes mudas, não sei se alguma vez me habituarei a escrever assim. Tento, pelo menos, saber quais as alterações, é assim que os pequenos cá de casa vão saber escrever...

Relações muito à frente

Mafalda - "O meu amorado é o D.A. e o da I. é o X.M."
Eu - "Ai sim? Pensei que o X.M. era o teu namorado..." (normalmente, não tenho estas conversas de namorados, não acho grande piada nesta idade, mas como ela começou, alinhei)
Mafalda - " Agora não é mas, amanhã, eu e a I., a gente torca (troca)!"

Ó céus!
A Camila anda super-entusiasmada com os escuteiros. Teve o primeiro acantonamento nas férias de Natal, foram 3 dias longe de casa, a fazer jogos, caçadas, a dormir pouco... chegou a casa tão rabugenta que quase me arrependi dela ter ido! Mas também vinha a debitar histórias e mais histórias, relatos dos seus feitos, com os olhinhos a brilhar de entusiasmo, gosta mesmo daquilo! Em Fevereiro vai fazer a promessa, está ansiosa para comprar a farda. Gosto de vê-la assim empenhada, para já, está a ser uma boa e proveitosa experiência para ela.

Com este meu filho,...

... confirma-se aquela teoria de que os homens são uns mariquinhas no que diz respeito à tolerância à dor e às doenças.Pois que as manas levaram exactamente as mesmas 3 picas aos 2 meses e nem uma nem outra ficou tão sensível, tão chorosa, tão inconsolável quanto o meu rapazinho! Depois das vacinas, adormeceu e, quando acordou, parecia estar ainda no pânico do momento das picadas, chorou tanto, tanto... Dei conta que estava febril e foi outro cinema para lhe colocar meio supositório, o mocinho é mesmo sensível! Só hoje à tarde é que voltou ao seu normal, com muitos sorrisos e sem queixumes, felizmente.
Da consulta dos dois meses, fica o registo que está no percentil 50 em peso (5,280 kg) e comprimento (58 cm) e um pouco acima no perímetro cefálico, exame global normal. Está tudo bem, como se quer. :-)

17 janeiro 2012

2 meses

A alegria do dia ficou ensombrada, tenho que estar a consolá-lo constantemente pois ficou traumatizado com as 3 picas nas pernas que levou hoje, na consulta dos 2 meses, pobre bebé! Por mais filhos que tenha, esta é daquelas coisas que não dói menos no meu coração...

16 janeiro 2012

Acidentes

Desde a semana passada, a Mafalda anda constantemente a esquecer-se de ir à casa-de-banho a tempo e horas, quando vai já há pinguinho nas cuecas ou então faz mesmo tudo, como há dias, no carro. Perguntamos-lhe se tem chichi, diz sempre que não, dizemos-lhe para ir fazer, diz sempre que não, e, daí a minutos, lá está o "acidente"! Esta parte é que chateia, ela nega mesmo estando aflitinha, não percebo o que se passa. Chamar a atenção por causa do irmão?... A mim, não me parece que haja razão para isso, temos-lhe dado muita atenção, mimos, brincado muito com ela, será que, mesmo assim, é pouco?!
Hoje soube que um rapaz meu conhecido está dia e noite no hospital, com a esposa, à espera que o filho de 3 anos sucumba a um cancro a qualquer momento, os médicos dizem-lhes que, agora, só um milagre. Não consigo sequer tentar imaginar o tanto de dor que deve rasgar o coração destes pais...

Para compensar,...

... o rapazinho, esta noite, dormiu 7 horas e meia seguidas! Muito bom.

13 janeiro 2012

Sabem...

... aqueles dias em que temos um bebé casa que demoramos longos minutos a adormecer, porque está perdido de sono mas resiste? E que, quando finalmente fecha a pestana, cai uma pena no chão e ele volta a acordar? Dias em que passamos horas nisto e não conseguimos fazer mais nada? Têm sido assim, estes últimos dias, grrr!

A Mafalda fala correctamente...

... mas agora tem uma particularidade muito engraçada no discurso, troca muitas vezes o lugar dos "r" e "s". Por exemplo, põe "querme" na cara ou "Foi um turque!" em vez de truque. Ontem, um amiguinho da escola fez anos e a mãe foi fazer o bolinho à escola. Depois da Mafalda me explicar como foi amassado e quais os ingredientes, perguntei-lhe onde é que cozeram o bolo. Resposta: "Foi na pastuca!" :-D

09 janeiro 2012

Ainda sobre jogo de cintura,...

... há dias estive a dar o almoço à boca à Mafalda, que estava cheia de sono e a engonhar à mesa, com a mão esquerda enquanto segurava o Francisco a mamar com o braço direito. Entretanto, devo estar apta para um número de circo qualquer, não? :-)

Parece-me que tenho aqui...

... um chuchador de dedo em potencial. O Francisco não é muito fã da chupeta e, de há uns dias a esta parte, tem andado a treinar chegar com as mãos à boca para lamber os dedos. Ontem já o apanhei de polegar na boca. É assim que eles começam, para quem tem chuchadores do dedo em casa?

Mafaldinha, tens que jogar no Euromilhões...

Nas noites em que o pai trabalha, fico sempre na expectativa que a Mafalda me chame para o seu chichi habitual da madrugada à mesma hora em que estou a tratar do Francisco. E não é que tem acontecido quase sempre?! Tem uma pontaria dos diabos, a miúda, e a noite passada foi especialmente refinada, tive que levá-la a fazer chichi a segurar o pequeno por baixo dos braços porque tinha acabado de encher a fralda daquela maneira que só ele sabe e que, normalmente, resulta num transbordo nada agradável de limpar! Haja jogo de cintura!

03 janeiro 2012

60 anos...

... é a idade que a minha mãe completa hoje. Conta com uma filha de quase 37, um de 33 e 4 netos. Se eu chegar aos 60, terei uma filha com 32, outra com 28 e um rapazola de 24. Netos?...Se os tempos continuarem assim, não me cheira, mas quem sabe está calado, como se diz por aqui.

Para comemorar o aniversário da avó cá da casa, um bolinho com muitas imperfeições mas feito com toda a dedicação.