24 julho 2012

Momento de Felicidade é...

... saber que vou ter um novo inquilino no meu coração: lá para o Natal, vou ter mais um sobrinho!
Happy, happy, happy!

22 julho 2012

Férias, Holidays, Vacances

11 julho 2012

Temos bi-dente!

Segundo ratito a espreitar detectado ontem. Espero que esta tenha sido a razão das noites (muito) mal dormidas do início da semana, com muito grito e choro difícil de acalmar, estas duas últimas noites já correram muito melhor, felizmente.

09 julho 2012

Os 3 juntos,...

... aninhados em mim, são a essência do meu ser, um orgulho sem medida, provas vivas dum amor sem limites, um sentimento que estala no peito, um bater descompassado do coração, a suavidade de cada pele marcada na minha pele, o cheiro de cada um gravado no meu olfacto, beijos doces, lambuzados, de que me alimento sem nunca enjoar. Há momentos de desvario, em que sinto que não sou capaz, mas depois há tudo isto que descrevi antes e todas as dúvidas desaparecem, era mesmo isto que eu queria na minha vida.

A primogénita

Neste momento, é quem me preocupa mais. Ter dois irmãos mais novos é difícil, ter que ceder espaço no "palco" por duas vezes...complicado. Isto, quando a segunda vez coincide com uma idade em que os tiques de adolescente começam a despontar, torna a coisa mais confusa. Com ela, já não me sinto tão segura. Estamos muitas vezes em conflito, ela olha-me como se eu fosse a Bruxa Má, sou exigente com ela, fico na dúvida se estou a exigir de mais, depois penso "se não exigir agora, o que é que faço dela daqui a uns tempos?!", enfim, não é fácil. Vejo-a crescer todos os dias, o corpo a mudar, ela a fugir dos meus mimos porque já não é bebé e eu a insistir porque ela precisa e gosta deles na mesma, que eu vejo bem, quando ela baixa a guarda. Sei que quero acompanhá-la, ajudá-la a descobrir-se enquanto cresce, mostrando-lhe que a amo sempre e em qualquer circunstância; faço e farei tudo para não deixar que se isole e que entre nós fique algo frio, isso nunca. Porque sei bem o que isso é, e não é bom.

A filha do meio

Há dias, alguém me dizia que tinha uma certa pena da Mafalda, que, às vezes, parecia que ela ficava triste, paradita e um pouco perdida por ser a do meio, por ter "perdido" os miminhos de ser "a mais nova". Não concordei, é típico do feitio dela, não gosta de ser o centro das atenções de qualquer maneira, tem que estudar as situações e os cenários. O que aos outros pode parecer tristeza ou apatia, para mim é simplesmente a minha filha a contemplar, a absorver algo que, naquele momento, lhe captou a atenção e que ela quer compreender. Sei-o porque a Mafalda é daquelas crianças que é capaz de fazer perguntas e falar sobre qualquer coisa que tenha visto ou ouvido no próprio dia, ou no dia seguinte ou até no mês seguinte, enquanto ela não compreender tudo o que está associado, não desliga. E uma criança triste não passa o dia a cantar e a dançar como ela passa em casa e na escola e na casa da avó, os seus "habitats". Quanto a mimos, se isso fosse possível de quantificar, diria que tem tido mais mimos do que a irmã teve quando ela nasceu, e que tem a sorte de ter uns mimos muitos especiais, os mimos de dois irmãos. Sinto-me segura sobre a forma como temos lidado com ela e sei que ela sabe que tem todo o amor do mundo à sua volta.

Coisas que não entendo

Bolsos nas calças dos bebés. Servem para...?!

03 julho 2012

A avaliação da Camila...

... foi boa, satisfaz muito bem. Ainda assim, com reparos à caligrafia, à ortografia e ao empenho, fico sempre um pouco desconsolada por ver que ela não dá o seu máximo, é preguiçosa. Não lhe exijo as melhores notas do mundo, exijo que tenha brio no que faz, que o seu trabalho transmita que fez o melhor que podia e sabia. Folheando as fichas e pastas do ano lecttivo, vê-se que ela podia fazer melhor, às vezes os números nem se percebem e a letra é tão má que nem ela consegue perceber o que escreveu. Acho que os professores deviam exigir mais nestas situações, quado vêem que é pura preguiça ou o "despachanço" para se livrar daquilo o quanto antes, é que ela fica convencida que é boa e que o que faz é o suficiente. Agora vem o 4º ano com os seus exames finais, tento mentalizá-la que tem que se esforçar para o que escreve seja perceptível senão leva um traço por cima e um zero, mas não é fácil. Este Verão vai escrever muito, ai vai, vai.

1º dente, dia 30/06/2012,...

... 7 meses e 13 dias. Não sei porquê, mas dar de mamar passou a estar intimamente associado ao conceito de desporto radical! Isto porque o fulaninho andou com a mania de me morder; há uns tempos que não acontece, mas agora é aquela adrenalina da expectativa da primeira- e última, está dito, pois só com a gengiva já doeu horrores- que me morda com dentes!