27 outubro 2013

Meus filhos,...

... espero que, um dia, não tenham grandes memórias de dias como este. E que, caso os recordem, que consigam perdoar as fraquezas desta vossa mãe que passou o dia a gritar. Neste momento, sinto-me miserável, estúpida por não ter aproveitado todos os minutos deste dia lindo de sol a ser feliz com vocês em vez de andar grande parte do tempo a desgastar-me por dentro. O mau é que, por vezes, não consegui guardar esse desgaste para mim e deixei-o extravasar na sequência de algum insignificante disparate vosso. Vocês não têm culpa de nada, mesmo. Não têm culpa que o pai trabalhe de noite e tenha que dormir de dia, e eu que ande a repetir a cada 2 minutos "Não façam barulho que o papá está a dormir!", fico uma bomba de nervos que explode por qualquer pequena faísca, porque eu própria me sinto mal de vos fazer isso, é anti-natura uma criança não fazer barulho! Não têm culpa que a neura se instale em mim porque o trabalho me afastou de vocês durante 3 dias na semana passada, sem resultados produtivos, e porque, amanhã, mais uma vez, o trabalho me obrigue a outra viagem, que me sinta num comboio desgovernado, sem conseguir orientar-me no que tenho por fazer, com prazos a chegar ao fim e sem conseguir vislumbrar como vou conseguir terminar as tarefas propostas a tempo. Não têm culpa que, por causa deste desgoverno no trabalho, o meu próprio corpo ande transtornado e me faça sentir mal, mal-disposta, inchada, numa tensão muito forte, física e mentalmente. Não têm culpa que eu sinta frustração por não conseguir fazer coisas que quero e que me dão gozo, que me propus fazer e para as quais não arranjei um bocadinho miserável das 49 horas que teve este fim-de-semana.
Espero que esqueçam, apaguem os meus gritos, por vezes descontrolados mesmo, e guardem no vosso coração só os abraços e mimos, que também os houve, claro, e em muita quantidade. Não prometo que não se repita mas prometo que vou esforçar-me muito para que não seja assim mais vezes, por vocês e por mim, para não voltar a sentir-me o bicho mau que me sinto agora. Com amor...

24 outubro 2013

10 anos que parecem 13 ou 14

Ou melhor, querem parecer 13 ou 14, meu Deus! Sabe tudo, os pais nao percebem nada de nada, quer decidir tudo por ela , mesmo tendo a cabeca completamente na lua, ocupada com series de televisao, musica, o que vai vestir no dia seguinte, o que se passou nas aulas que nao seja materia, etc, etc. Brutinha como tudo, so o irmao e que vai tendo direito a algum mimo sem reservas, para a restante familia, um beijo e sacado a saca rolhas, mesmo quando se ve que esta desejosa por mimo. Por vezes perco a cabeca com tanto disparate e distraccao, e exasperante! Tem momentos engracados quando conta algumas aventuras da escola, ja percebe piadas de humor mais refinado e esta a ficar uma miuda bem gira, por sinal. Mas , no geral, esta e realmente uma fase muito irritante. Lembro-me bem de passar por ela, as hormonas aos saltos, o Mundo todo contra nos, so os nossos amigos e que nos entendem... Apesar disso, as duvidas sao muitas, sobre como lidar com estas mudancas da melhor maneira. Nao se pode saltar dos 10 para os 18, nao?!

17 outubro 2013

A um mês dos dois anos

Não consigo entender como 23 meses passaram a esta velocidade, ainda ontem o tinha encaixado em mim e hoje é um menino que me maravilha a cada momento. Fico embevecida com cada descoberta nova, as palavras que saem sem parar, o saber contar até 10 e reconhecer os números, os mimos que dá aos avós e à bisa, a adoração pelas manas e pelo papá, a voz dele quando diz o mais doce "Mamã!" do mundo. Quero guardar na memória, na pele, na retina, todas as sensações de puro deleite que o meu pequeno Francisco me faz sentir, é um bem-estar viciante e que passa tão rápido, as 2 velinhas estão mesmo ao virar da esquina...

04 outubro 2013

O meu menino é feito de música!

O rapaz adora música, tudo o que produza sons musicais o atrai, o pé bate o compasso de qualquer música que cante, sem ele dar por ela. Desde os 10 meses que vamos semanalmente à música para bebés, promovida pela banda filarmónica cá do sítio, com uma musicoterapeuta. São 45 minutos de puro relaxamento, ele pode, por vezes, nem fazer muito no momento mas passamos a semana a cantar, a fazer as vocalizações, as mímicas e as danças que fazemos nesse tempo. Recomeçámos há 3 semanas depois do período de férias, e foi uma alegria quando percebeu onde estava e o que ía acontecer. É muito bom, estimula o raciocínio e é mais uma pitadinha de partilha de bons momentos com o meu bebé, que tanto precisa disso.

Glossário do Francisco (para quando, um dia, me esquecer)

Camia=  Camila
Macáie= brincar
Maiágas= migalhas
Manátes= tomates
Quintáio= contrário
Pafáua= Mafalda
Paxisco= Francisco
Patatas= batatas, arroz, massa

...