17 novembro 2014

3 anos

O meu menino doce faz hoje 3 anos. Está um crescido, o meu príncipe, com as suas conversas, as perguntas curiosas, o querer fazer tudo "xójinho". Já não há chupeta, a fralda da noite ainda se mantém mas penso que será por pouco tempo, já dorme na cama grande, come tudo sozinho mas tem vezes que começa "tou canxado, axudas-me?", a ver se conquista uma ajudinha. É de uma sensibilidade tocante, se me ouve a ralhar com as irmãs, vem a correr, abraça-se a mim e diz-me:"eu gosto muito de ti, mamã!" e assim, por magia, a minha fúria desaparece e derreto-me naqueles bracitos. É também muito espertinho a tentar safar-se dos ralhetes com essa táctica, mete o sorriso nº33 e chama-me "a minha fofinha!" ou dá-me beijos repenicados.
É muito comportado, toda a gente comenta como ele é calminho e sossegado, não tenho problemas em levá-lo a casamentos ou restaurantes, ele porta-se sempre lindamente. Tem os seus momentos de "soltar a franga" como convém, quase sempre umas birras de sono, mas até esses são fugazes, basta um abraço bem apertadinho, uma dose de mimo extra e passam logo.
O meu bebé está a tornar-se um menino lindo e amoroso e todos os dias agradeço a benção de ter recebido na minha vida este tesouro, o meu Francisco.

30 julho 2014

Desfralde: checked!

Pois que o rapaz me surpreendeu e a coisa correu melhor do que o esperado, ao fim de 2 semanas de "treino", está desfraldado de dia e de noite! Ainda dorme com fralda por precaução mas amanhece com ela seca quase todos os dias e chama de noite quando tem vontade de fazer xixi. Nos primeiros dias, pensei em fazer pausa no processo porque eram acidentes atrás de acidentes, ele não pedia para fazer e, se eu me esquecesse e passasse mais de 20 minutos sem levá-lo à sanita, corria mal. Lembrei-me de experimentar umas fraldas-cueca que tinha lá num canto, mas sem grandes esperanças porque com as irmãs que não tinham dado resultado, elas encaravam aquilo como fralda e faziam na mesma. Ele não, entendeu que eram cuecas e que não podia fazer xixi no elefante que tinham desenhado. Deixou de haver stress por causa de estar sempre com medo que ele se descuidasse e ele começou a pedir para fazer, pouco a pouco, e a reter durante o sono. Vai tendo um ou outro descuido pequenino quando está entertido na brincadeira, mas "é xó um axidente, mamã!"! :-) Et voilá, mais uma fatia de bebé que vai embora! Biberão out, cadeira de comer out, fraldas out... só falta sair da cama de grades e largar a chupeta, que há-de ser para breve, e acabou, deixa de haver qualquer réstia de bebé cá por casa!
 
Não sei se ria se chore...

02 julho 2014

Desfralde

Está difícil. Assumo que estou com preguiça de começar porque antevejo dificuldades. O rapaz afirma que não quer cuecas, não avisa quando tem cocó na fralda e raramente pede para ir à sanita, não está nada interessado no assunto. Nestas últimas semanas, anda a surpreender-nos com alguns pedidos (às vezes, já tarde), o que pode ser um bom indício. Se no próximo fim-de-semana estiver bom tempo, vou arriscar vestir-lhe as cuecas... e enrolar tapetes e pôr o balde e a esfregona de prevenção!

01 julho 2014

Avaliação final 1º e 5º ano

Não podia desejar melhor, as minhas pequenas tiveram óptimas notas. Ambas passaram pela mudança de ciclo mas adaptaram-se lindamente e os resultados mostram-no. A Camila teve 8 cincos, 1 quatro (Educação Tecnológica) e 1 três (Educação Física), apesar da luta que foi fazê-la estudar ("P'ra que é que eu preciso de estudar?! Já sei tudo!"). A directora de turma avisou-a de que, no próximo ano lectivo, as coisas vão complicar e que ela vai ter que trabalhar mais, espero que ela tenha "absorvido" o alerta.
A Mafalda teve uma classificação final de Muito Bom, a professora apresentou uma média das fichas realizadas e de outros parâmetros, tendo a Mafalda acabado o ano com um 96%. Está a ler lindamente e a desmazelar-se na Expressão Plástica, acho que não a motiva ("É sempre pintar, pintar, estou farta de pintar!").
Ambas estão propostas para o Quadro de Mérito, embora isso não tenha grande importância, sabe sempre bem ver os bons resultados reconhecidos. Estão de parabéns, as minhas filhotas!

10 junho 2014

7 Anos

Pequena Mafaldinha completa hoje sete anos, minha princesinha de luz! Doce mas arisca, sensibilidade à flor da pele, coração tão cheio de amor!
Quisemos dar-lhe um presente especial, algo que a marcasse, e nada nos marca mais do que as emoções. De tanto ouvi-la desejar montar a cavalo, a ideia surgiu e a prenda foi uma aula de equitação. Ficou tão feliz quando percebeu ao que ía. E sei que nunca vai esquecer a prenda que recebeu no seu 7º aniversário!



 Os meus dias são tão mais iluminados porque tu existes, minha querida. Parabéns!

27 maio 2014

Y= azul

Há dias, estava a vestir ao Francisco um casaco da Zippy que tem um Z de um lado do fecho e um Y do outro. Com sempre faz quando vê letras e números, disse logo: "É um zê!", eu perguntei-lhe: "E esta?", apontando para o Y, não esperando que ele respondesse. Ele ficou calado uns segundos e depois diz:"é a axui (azul)!". Eu fiquei: "Como?! Azul, qual azul?". E ele, prontamente: "Do Noddy, mamã, é a axui do Noddy!". Fui verificar nuns livrinhos do Noddy que andam lá por casa, porque não fazia ideia do que é que ele estava a dizer.

E não é que é mesmo?!

26 maio 2014

O "xusto"

O Francisco esteve doente esta semana, febre alta, diagnóstico: aginas. Tem andado a comer mal, o que, a juntar à sua preguiça natural, fez com que andássemos a dar-lhe a comida à boca com mais frequência.
No sábado à noite, estando plenamente recuperado, não se justificava, mas o fulaninho começa com a  manha: "Axudas-me?" e a recostar-se na cadeira e a conversar com a irmã, mil e uma distracções e nada de comer, até que o pai lhe ralha: "Põe-te já direito, pega na colher e vamos a comer tudo num instante!" num tom de voz zangado que raramente usa (quem berra sou eu!). O Francisco não diz piu, pega na colher e faz-se à vida. Daí a 5 minutos, pergunto-lhe: "Então, estás a comer?" e ele responde, com uma expressão de "Pudera!": "Xim, o papá deu um xusto!"!
Só visto, o que nós nos rimos!
 
(tanta coisa assim que eu não ando a registar aqui...)

Depois da tempestade...

Foi um fim de semana calmo qb, a solução é mesmo sair de casa com eles, não faço nenhum em casa mas, pelo menos, o pai dorme descansado e eu não me enervo. Muitos mimos, compras com as meninas e um stock considerável de elásticos para as benditas pulseiras da moda, e temos um domingo pacífico. Espero que assim se mantenha pela semana dentro.

24 maio 2014

Ganda besta!

Sou eu mesma. Uma besta bem quadrada que teve um final de dia a condizer com o seu grau de bestialidade.
São 5 e meia, hora de sair. Acabei de falar com o marido, vou directa ao shopping para compras algo urgentes e ele já está em casa a orientar os pequenos. Dou uma vista de olhos pelas máquinas antes de ir embora, maldita hora o fiz, uma delas está a dar resultados disparatados e não pode ficar assim para o fim-de-semana. Segue-se mais de uma hora ao telefone com o técnico a dar indicações para diagnosticar e resolver a avaria. Mexe-se, reme-se, ler umas amostras, a coisa parece orientada mas sem grandes certezas. Já não vou às compras que queria, encho o saco. Acabo por sair quase às 8 e meia a voar porque o sítio onde vou comprar pão para o marido levar à noite está quase a fechar. Graças a isso, ainda ouço "sabonete" da chefe por não lhe ter dado feedback da situação antes de sair. O saco enche mais. Chego a casa quase às 9 da noite e levo "patadinha" do marido, que já não vai dormir tanto quanto devia antes de ir trabalhar, vai trabalhar as próximas 3 noites seguidas. Mais um pouco para o saco. Com os garotos, começa o ritual/massacre habitual nos fins de semana deste turno: "Chiu, não façam barulho! Falem baixo, o papá está a dormir, precisa de descansar!", repetido a TODOS, TODOS os minutos. O saco está cheio, quase a rebentar.
A Camila vem fazer queixas da Mafalda estar a preparar um "esquema" para me enganar na casa-de-banho. Ralho-lhe que não quero queixinhas cá em casa. A Mafalda tem sido apanhada várias vezes a mentir, especialmente sobre a sua higiene, se já se lavou, se lavou os dentes, diz que sim sem o ter feito . Confronto a Mafalda e ela nega o que a irmã me disse. Leva um estalo e mais outro porque continua a negar, já vejo tudo vermelho. Chamo a Camila e confronto-a, o que é que ela tinha visto em concreto, afinal. Não viu tudo o que me disse, viu uma parte e a outra inventou, pintando o quadro o mais negro possível para eu me passar com a irmã. Levou também e disse-lhe que era má, mesmo má, que não tinha coração. E o saco explode.  Desabo. Eu deveria ter tido o discernimento de avaliar a situação, de não me deixar levar pela fúria, eu é que sou a adulta. Choro de dor, de culpa. O Francisco passa a mão na minha cara e diz "xá passou!", aperto-o num abraço onde procuro consolo. Chamo as minhas filhas e envolvemo-nos num abraço a 4,  enxugo as minhas lágrimas nos seus cabelos e repito, sem parar, declarações de amor aos 3 e pedidos de perdão.
Falho tanto, tantas vezes. Por vezes, sou uma grande besta.

(post a reler muitas vezes para não me esquecer do que me está a roer por dentro neste momento)

03 abril 2014

Ainda tem só 2 anos e já tenho saudades dele assim!

Há medida que vejo a Camila a crescer e a entrar na idade da parvoíce (tanta, por vezes, que até dói!), vou tendo cada vez mais saudades "antecipadas" do meu bebé-já-não-tão-bebé-assim! E o facto dele ser um doce de menino, tão meigo e fofo e lindo que só dá vontade de "estrafegar" com beijos a toda a hora, só me faz pensar ainda mais em como vou viver sem voltar a ter esta "fofice" toda na minha vida, em como vai ser quando ele se transformar num adolescente borbulhento e tonto (antes ainda tenho a Mafalda que, com 6 anos, já me dá a entender que vai dar que fazer no futuro).

02 abril 2014

Palavras que ele diz e que eu adoro

Tiquitêcas = etiquetas
Píncime = príncipe
cuí = kiwi
mufada = almofada/sofá

(a completar)

10 março 2014

11 Anos

Nasci como mãe há 11 anos. O que antes sonhara ou projectara caiu-me no colo com 3,380 kg, numa avalanche de emoções e sentimentos: felicidade, (algum) medo, amor, esperança...
Não há poder igual, o de criar alguém. Não há presidente, rei, ministro, que tenha poder maior do que este. Com a Camila, cada vez me sinto mais um pouco espectadora e menos criadora. Dói, porque ainda é cedo, ainda ontem nasceu, ainda é tão "a minha menina", mas não deixa de ser uma benção maravilhosa, ver um ser humano desenvolver-se à nossa frente, vê-la adquirir capacidades, tornar-se uma miúda gira, ser única e especial.
Hoje faz 11 anos que abracei este desafio, o maior e mais maravilhoso de todos os desafios da Humanidade. Parabéns, minha filha!

09 março 2014

Francisquices

Há dias, a Mafalda perdeu o 3º dente. Ao deitar, quando nos preparávamos para o colocar debaixo da almofada para a Fada dos Dentes, o Francisco pergunta: "O qu'é ixo?", ao que eu respondo: "É o dente da Mafalda, caiu. Vês, tem ali um buraco!". Ele dispara logo: "Ó Mafaúa, põe fita-cóia!".

:-D

A vidinha vai correndo...

... e só isso já não é mau. Às vezes, cansa de ser tão "vidinha" mas, quando foge um pouco disso durante algum tempo, pensa-se logo: "ai quem me dera a minha vidinha de volta!". Por isso, estamos bem. Os cachopos a crescer todos os dias, a fazerem de mim alguém com mais experiência de vida, ou mais velha, vá, felizmente com saúde e sem darem chatices das grandes. 
Neste tempo, aconteceram coisas que certamente mereciam ser guardadas na Arca mas nunca consigo ganhar ao relógio, é tramado. Vão perder-se, certamente, porque a minha memória anda fraquinha, fraquinha... O que fica gravado a fogo é o cheiro da pele, o calor do abraço e o amor que rebenta no meu coração de cada vez que a lembrança deles atravessa a minha mente, isso não perderei nunca.

Phuuuu, phuuu...

... 'á lá arejar isto, que é só pó!
:-)